Home » » Kill All The Secrets - Capítulo 2.10 - " And I Declare You... "

Kill All The Secrets - Capítulo 2.10 - " And I Declare You... "







Nome: Kill All The Secrets (Mate Todos Os Segredos).

Número de Temporadas: 3.

Capítulo:  2.10 - " And I Declare You... "

Classificação : 16 + - Contem cenas de violência,mortes,sexo,insinuações...

Gênero : Drama,Comédia,Mistério...

Autora: Laura.

Personagens: Ashley (Principal) Brittany (Principal) Nickole (Principal) Lavínia (Vilã) Molly (Coadjuvante) Henri (Principal) Jensen (Principal ) Jared (Principal) Misha (Principal) Ben (Secundário) Chad (Coadjuvante) Lilly (Secundário) Cecy (Secundário) Rene (Secundário) Annie (Secundário) ....

Sinopse: Após os últimos acontecimentos, Ashley, Nickole e Brittany, tem suas vidas viradas de cabeça para baixo, principalmente por terem testemunhado a morte de Lavínia, da qual agora são suspeitas. Como se não bastasse os problemas com a justiça, Ash se vê de frente com seu antigo amor, que volta disposto a tê-la de volta, Jensen sente que Ash está um pouco distante, isso o deixa inseguro, se deparando com uma situação onde as decisões não dependem apenas dele. Nick se sente vazia diante de todos os acontecimentos, principalmente em seu termino com Jared, a Chegada de Misha talvez possa mudar isso, ou apenas complicar tudo ainda mais. Bri como sempre prefere viver em seu mundo onde tudo gira em torno de homens, não que isso seja uma má ideia... Molly tenta usufruir dos bens de Lav, mas não esperava por uma surpresa nada agradável. O trio de amigas no final do primeiro capítulo, se veem de frente com algo que poderia ser julgado impossível de acontecer, quem é ela ? o que ela quer? A última pergunta eu posso responder, brincar com as "culpadas" da morte de Lav.

Considerações: Quando tiver o player nas cenas serão as músicas das cenas,acho que não tem necessidade de ficar colocando toda hora "música da cena",mas como este é o primeiro capítulo tudo Ok.Ainda Sobre as músicas,quando uma cena não tiver música,aproveite a música da cena passada (Até a cena que tiver um novo player),por que eu escolho as músicas pensando nisso.
Onde estiver Look (Exemplo,Look Ashley,Look Das garotas),vocês podem clicar para visualizarem a roupa dos personagens e os Personagens. Quando estiver Casa da Ashley,carro,escola,podem clicar para visualizarem o local onde a cena ocorreu !!!!

.........................................................................................................................................



2.10 - "And I Declare You..."
" E Eu Declaro Você... "


- Meninas. Ash voltava ao fórum, encontrando as amigas no lado de fora, o recesso que o Juiz havia anunciado de Uma hora, se tornou longas cinco horas. - Nenhuma novidade ainda?
- Nenhuma. Nick dizia.
- Vocês voltaram para cá já tem tempo? Ash parava de frente para elas.
- Não, voltamos a poucos minutos atrás. Bri se intrometia.
- E o ser ressurgido das trevas?
- Parece que ainda está trancada em uma salinha, aguardando o termino do recesso. Nick olhava para a porta de entrada do Fórum.
- Sabe que eu ainda estou chocada com essa volta dela, digo, agente já suspeitava que ela estava viva, mas aparecer assim, foi tão assustador.
- Concordo com você Ash. Nick olhava para ela. - O Grau de mentiras, a historia, e o pior, ver que ela realmente estava viva, por que no fundo, eu tinha esperanças que essa L.B. fosse outra pessoa...
- De certa forma, antes a Lav ser a L.B. do que outra pessoa. Bri dizia pensativa. - A Lav já é nossa inimiga desde sempre, ela sabe de tudo, pior seria se tivesse outra vadia na jogada.
- É, você tem razão. Ash dizia. - Mas sabe a pior parte nesse julgamento? Ver a Molly se dando mal, eu juro que não estou me sentindo bem com isso, a Molly no fim das contas, queria ver a Lav se dando mal, assim como nós queremos.
- Ok, a Molly desde sempre anda junto da Lav, e não é por que ela resolveu se virar contra a Lav, que apaga todas as coisas  que ela fez no passado. Nick dizia friamente.
- Mudando de assunto, vocês acreditam que a Lav realmente está paralítica? Bri dizia duvidosa.
- Lav? Inválida? Ash gargalhava. - Piada do ano, está na cara que essa vadia só está fazendo isso para todos ficarem com pena dela.
- Patrick chegando. Bri o apontava, vendo-o se aproximar.
- Ash, você esteve em casa?
- Sim, e minha Mãe pediu para você ligar para ela assim que possível.
- Ok, já vou fazer isso, está um tumulto lá dentro, e eu tendo que ficar vigiando as testemunhas, ajudando o Juiz a checar alguns fatos...
- Você sabia esse tempo todo que a Lav estava viva Patrick?
- Sim Nick, eu só não podia falar.
- E Você acredita nela? Ash dizia receosa.
- Em certas coisas sim, em outras. Dizia pensativo. - O que importa é que vocês se livrarão das acusações de terem a matado, e com o que a Lav contou, a Bri deixa de ser um suspeita da morte da Amy. Agora com a licença de vocês. Patrick caminhava um pouco mais a frente, retirando seu Celular do bolso, ligando para Lilly.


Relembrando: Look Ash - Look Bri - Look Nick 
 Look Patrick


- Lilly querida, acabei de encontrar com a Ash, ela disse que era para te ligar...
- Fiquei preocupada, até agora você não deu notícias, e Ash disse que não te viu muito durante o julgamento...
- Eu estava na sala vigiando a Lavínia, e zelando pela ordem, caso algo acontecesse.
- Tudo Bem. Sorria.  - E o Juiz já tomou algum partido? Como as pessoas reagiram com a presença da Lavínia?
- O Juiz está impressionado com a historia da Lavínia, mas ele acredita nela, principalmente por ser Filha da Ex Juíza, e também pelas provas que ela apresentou no fim dessa primeira parte do julgamento.
- Você acha que isso se resolve hoje?
- Sim, até por que, acho difícil surgir alguma prova que mude o rumo desse julgamento.
- Você acredita na inocência da Molly?
- Tem algo incoerente nessa história ,mas acho que a Lavínia não iria inventar isso.
- E as meninas?
- Estão normais, cochichando como sempre, mudando o assunto principal da conversa quando alguém se aproxima...
- São assim desde crianças...
- Ah, antes que eu me esqueça, você foi no médico mais cedo? Patrick se referia aos exames de rotina, do qual Jared havia indicado, para ver se alguma sequela ficou depois daquele incidente.
- Sim.
- E??? Dizia preocupado.
- Está tudo bem, minha saúde está na mais perfeita ordem. Sorria.
- Fico feliz, agora eu preciso voltar lá para dentro, depois agente conversa com calma, Te Amo, Bye. Patrick encerrava a ligação, e se virava para Trás, vendo Lav apontar na porta de entrada do Fórum, com Yvonne a empurrando. - Eu disse para ela ficar lá dentro. Patrick a via se aproximar. - Lavínia, posso saber o que você faz aqui? Quando minhas ordens foram bem claras?
- Eu peço desculpas Xerife. Dizia cinicamente. - Mais aquela sala está um forno, já que o ar condicionado estragou, e eu não sou obrigada a ficar lá, desidratando feito bacalhau no sal.
- Garota Chata. Revirava os olhos, pensando consigo mesmo. - Ash. Patrick a chamava, fazendo a mesma se virar para trás. - Você e  suas amigas, fiquem de Olho. Apontava para Lav. - Eu preciso voltar lá para dentro.
- Awesome. As três bufavam, se aproximando de Lav.

Relembrando: Look Lav - Look Yvonne


- Yvonne queridinha, se você quiser ir comer algo, eu ficarei bem sozinha. Virava sua cadeira em direção das meninas.
- Tem certeza Senhora?
- Eu já mandei você ir. Se estressava.
- Sim Senhora. Saía dali rapidamente.
- Hello queridinhas. Lav ria cinicamente.
- Se poupe de falar alguma coisa, ninguém aqui está interessada em escutar essa sua voz cínica e dissimulada. Ash parava de frente para ela.
- Ai como suas palavras me ofendem, acho que vou até chorar. Fazia bico.
- Você me dá nojo. Nick se intrometia.
- Nojo? Lav fingia espanto. - De mim? Por que queridinha? o que foi que eu fiz para você? A olhava cinicamente.

- Se você não calar essa sua boca agora, eu vou enfiar a minha mão na sua cara. Bri dizia no mesmo tom de cinismo.
- Quanta maldade, bater em uma inválida. Gargalhava. - Se você fazer isso, serei obrigada a te denunciar por bater em uma pobre pessoa indefesa.
- Inválida. Ash sorria para ela. - Você pensa que eu sou idiota para acreditar nisso?
- Claro que não, minhas pernas nunca estiveram em melhor condições. Lav olhava para os lados, e levantava a perna direita.
- Como você tem a coragem? Esse tempo todo se passando por morta, nos infernizando com mensagens, assinadas com a sigla L.B. Nick dizia chocada.
- Mensagens? Eu não sei do que vocês estão falando.
- Claro, agora não foi você quem fez aquela barbaridade com a Mãe da Ash. Bri dizia com um certo tom de raiva. - Obrigando-a consequentemente a terminar com o Jensen...
- Você terminou com o Jensen? Lav se interessava. - Ai , que notícia ótima. Começava a gargalhar.
- Pare de fazer a sonsa. Ash colocava sua mãos no encosto lateral da cadeira de rodas, olhando nos olhos de Lav. - Porque você está bem longe de ser isso. Sacudia a cadeira.
- Ash. Nick puxava a amiga pelo braço. - Não faça isso. Percebia as pessoas em volta olharem.
- Só uma pergunta. Bri dizia pensativa. - Como aconteceu sua verdadeira morte? Quer dizer,não morte.
- Digamos que eu tomei essa poção que eu mencionei no meu julgamento.
- Como você conseguiu isso? Nick dizia espantada.
- Bom, isso é uma coisa que irá ficar em segredo, como diz o ditado, em boca fechada, não entra moscas.
- E se você tivesse morrido de verdade? Bri se assustava.
- Eu ia tocar aleluia dando badaladas no sino da igreja. Ash jogava o cabelo.
- Séria um belo risco. Ver todas vocês presas,seria uma vitória.
- Sua doente, isso que você fez com a Molly é repugnante. Nick se alterava.
- Não fiz nada mais do que minha obrigação, ela me traiu, e agora está recendo o que merece. Olhava fixamente para Ash. - E quer saber, esse advogado que se ofereceu para defender a Molly, está do meu lado. Via as meninas ficarem sem reação, enquanto Patrick se aproximava.
- Meninas, o que está acontecendo aqui? Patrick voltava, após ser informado do estranho clima que estava ali.
- Não está acontecendo nada. Nick se intrometia.
- Senhorita Lavínia, melhor voltar para dentro, não é o seu lugar aqui fora.
- Tudo bem. Olhava para ele. - Seria muito pedir a sua ajuda com a cadeira de rodas. Olhava cinicamente para Ash.
- Não, mas e sua enfermeira?
- Ela foi comer algo. Olhava para as meninas. - Assim que a Yvonne chegar, diga que eu estou a esperando lá dentro. Saía dali, sendo empurrada por Patrick.



- Ai, como passar alguns segundos com esse ser suga minhas energias. Nick bufava.
- Chega em certo ponto, que eu não consigo me controlar, e o pior é o deboche dela, fingindo que não sabe de nada.
- Talvez a L.B não seja ela. Bri dizia pensativa. - Talvez, tiramos conclusões precipitadas demais.
- Claro que é ela Bri. Ash olhava para a amiga. - Se fosse outra pessoa, as mensagens de texto não teriam parado de chegar.
- A Ash está certa Bri, a Lav não iria revelar isso, nem que fosse para ter o gostinho de se gabar.
- Pode ser. Bri via Henri se aproximar.


Relembrando: Look Henri


- Ash. Henri sorria para ela, se aproximando um pouco mais, iniciando um beijo.
- Hi, você veio ver o resto do julgamento? Dizia surpresa.
- Não, vim por outro motivo. Olhava para o lado de Nick e Bri, as cumprimentando.
- Boa Tarde Henri. As duas diziam juntas. - Bom, vamos deixar vocês a sós. Nick puxava Bri junto. - Ash, estamos te esperando lá dentro.
- Ok. As via sair dali.

- Então, qual o motivo de você vir aqui?
- Bom, além de ser uma desculpa para ter ver. Pegava nas mãos dela, caminhando lentamente pela frente do Fórum. - Eu tenho um convite para te fazer.
- Convite sobre?
- Lembra quando eu te contei sobre o meu acidente?
- Uhun. Olhava para ele.
- Então, eu fiquei um bom tempo em Dallas com minha Mãe, e como ela tinha se mudado a pouco tempo para lá, a vizinhança ajudou muito na minha recuperação, Principalmente a Donna e a Sharon, que viraram grandes amigas da minha mãe.
- Ok, e onde você quer chegar com essa historia?
- Elas estão na cidade, e me convidaram para Jantar com elas, e pediram para eu te levar junto.
- Eu adoraria ir. Parava de frente para ele, sorrindo.
- Só tem um problema. Dizia receoso.
- Qual?
- A Donna é Mãe do Jensen e a Sharon é Mãe do Jared.
- Uau. Ash dizia surpresa. - Henri, então acho melhor eu não ir.
- Eu disse á elas que não era uma boa ideia, mas elas insistiram, dizendo que ficariam sentidas caso eu não fosse.
- Acho que é melhor você ir sozinho, minha presença nesse jantar não vai ser das mais agradáveis.
- Donna disse que adoraria conhece-la. Olhava nos olhos dela. - Mas se você não quiser ir, eu também não irei, podemos fazer outra coisa...
- Você acha que elas ficariam sentidas caso não fossemos?
- De certa forma, sim. Olhava nos olhos dela. - O tempo que eu passei no Texas, foi o suficiente para Elas me consideram como parte da família...
- Oh God. Ash dizia pensativa. - Então acho melhor agente ir.  Dizia não muito convicta de sua decisão, temendo alguma situação embaraçosa.
- Tudo bem, posso te pegar às Sete e Meia?
- Não precisa me pegar, eu passo no seu apartamento antes.
- Ok. Sorria. - E como está esse julgamento?
- Da Pior maneira possível, como já disse, a Lav voltou, a Molly está pagando por um crime que não fez,e eu estou me sentindo culpada, por saber a verdade e não dizê-la.
- Como eu já te disse, mesmo que possa parecer cruel, você não tem prova de nada, se você falar alguma coisa, isso só irá te prejudicar.
- Eu sei, só queria poder colocar a Lav atrás das grades.
- Nenhum crime é perfeito, e a hora dela ainda vai chegar. Henri dizia, escutando o Bip de seu celular. - Bom, preciso voltar para o Campus.
- Ok, te vejo mais tarde então. Ash se aproximava dele, iniciando um beijo.
- Combinado, Love You, Bye. Saía dali.
- Bye. Ash o via se distanciar, e logo caminhava, até entrar no Fórum novamente.




.....


- Jared? Sharon abria a porta do quarto do filho, vendo o mesmo deitado na cama. - Atrapalho?
- Claro que não mãe. Se sentava. - Pode entrar.
- O que você e o Jensen fazem trancafiados no quarto?
- Eu só estou um pouco cansado, resolvi dormir um pouco.
- Tem certeza que é somente isso? Sharon se sentava na beirada da cama, olhando para o filho.
- Tenho. Jared dizia sem jeito, mas na verdade, estava pensando no julgamento e em seu suposto filho que Molly carrega dentro de si. Jared não queria dizer isso para sua família, principalmente por não ter certeza sobre a paternidade...
- E aquela historia que o Jensen disse sobre Três namoradas?
- Não foi nada de mais, quero dizer, uma foi, mas não deu certo.
- Que pena. Sorria para ele.
- E as coisas em casa?  Por que Papai não veio? Nem a Megan...
- Seu Pai está trabalhando na contabilidade como você já sabe e a Megan está ocupada com a faculdade de arquitetura.
- E o Jeff?
- Está bem. Sorria. - Continua trabalhando como ortopedista.
- Saudade deles.
- Você deveria nos visitar então.
- Ah, muito correria por aqui, mas assim que tiver uma oportunidade, eu irei. Sorria. - Mãe, posso fazer uma pergunta?
- Claro.
- A hora que a Donna estava conversando com o Henri... A Senhora o conhece também?
- Claro que o conheço. Sorria. - Um homem muito gentil, educado, doce. Olhava para Jared. - Vocês não se dão bem?
- Eu não tenho nada contra Ele, já conversei com o mesmo algumas vezes.
- Então por que eu senti um clima estranho enquanto Ele conversava com a Donna?
- Mãe, eu vou te contar algo, mas a Senhora tem que me prometer que não irá contar para a Donna.
- Prometo que não vou contar.
- Então, a Ex namorada do Jensen, já foi Ex do Henri também, que por sinal, parece ser a atual novamente.
- Nossa, que troca, troca. Gargalhava.
- Nem me diga. Sorria junto.
- Mas eles tem algum problema?
- Pelo estranho clima que a Senhora mesmo presenciou, o que diria? Levantava as sobrancelhas.
- Oh Deus, espero que esse jantar aconteça de uma maneira sadia.


Relembrando: Look Jared - Look Sharon - Look Jensen - Look Donna - J's Room


- Jensen. Donna entrava no quarto do filho, vendo-o olhar pela Janela.
- Sim. Se virava para trás.
- Você está estranho desde a hora que eu convidei o Henri para vir jantar aqui. Se aproximava dele..
- Não estou estranho.  Olhava para ela. - É  só um cansaço.
- Tem algum problema eu ter convidado ele para jantar?
- Deixa para lá, se isso é importante para a Senhora, não tem problema algum. Se sentava no sofá de seu quarto, que fica perto da janela.
- Querido, eu o convidei por que Ele é uma ótima pessoa, a Mãe dele virou uma grande amiga minha e da Sharon também. Se sentava ao lado do filho. - E eu o considero como uma parte postiça da família.
- Tudo bem...
- Você conhece a Namorada dele? Donna dizia interessada. - Ela é dessas garotas fúteis que não tem conteúdo algum? Preciso caprichar mais no Jantar? Ou me preparar psicologicamente?
- Eu não sei da vida particular dele. Jensen tentava manter a calma.
- Sabe, eu adoraria ver vocês dois como amigos, ele é uma ótima pessoa, assim como o Jared, vocês iriam se dar super bem.
- Olha Mãe, podemos evitar ficar falando dele? Jensen não gostava do clima que a conversa estava tomando.
- Ok, não falo mais nada sobre.
- Desculpe se eu fui grosso.
- Você não foi, mas mesmo que tivesse sido, eu entendo.
- Entende? Dizia confuso.
- Sim, você está com ciúmes.
- Eu? Com ciúmes dele? Dizia ironicamente.
- Sim, você está com ciumes da sua Mãe dando atenção para ele. Se levantava do sofá. - Mas não precisa ter, eu apenas tenho um carinho especial pelo Henri.
- Ok, Mãe. Jensen dizia aliviado, percebendo que a Mãe não havia desconfiado de nada.
- Venha cá, me dá um abraço. Donna se aproximava dele, dando um forte abraço.

...


- Voltei,perdi alguma coisa? Ash se sentava no meio das meninas.
- Isso aqui está mais morto que minha avó, que Deus a tenha. Bri fazia sinal da cruz.
- Essa demora para decidir esse caso já está passando dos limites. Nick se virava para Ash.
- Vocês não vão acreditar no que aconteceu.
- Ai Ash, não vai me dizer que alguém morreu? Nossa, isso por que essa coisa voltou agora.
- Não morreu ninguém Bri. Ash gargalhava.
- Então o que aconteceu? Nick dizia curiosa.
- O Henri me chamou para jantar, e  adivinhem onde?

- Não sei... Nick dizia pensativa.
- Ele alugou um jatinho e vocês vão jantar em Paris?
- Não. Ash gargalhava novamente.
- Então onde vocês irão jantar? Bri dizia curiosa.
- Na casa do Jensen.
- OMG !!! Nick e Bri diziam juntas. - Quem o convidou para jantar lá? Bri ficava surpresa.
- A Mãe do Jensen e do Jared estão na cidade, e elas conhecem o Henri, ai resolveram chamar ele, e não aceitaram um não como resposta.
- E você vai?
- Sim Nick, e eu sei que não é uma boa ideia, o Henri estava até pensando em cancelar, mas parece que a Mãe do Jensen ficaria chateada com isso.
- Ai, que situação Ash, ir jantar na casa do Ex, que ainda te ama, e que você... Bri pensava no que iria dizer. - Enfim, e ainda ter a mãe dele presente. Será que ela sabe dessa historia?
- Ai, não sei, agora que você falou isso, me deu um frio na barriga.
- Sabe Ash, acho que talvez fosse melhor você contar para Ele o real motivo de terem terminado, quem sabe assim, evitaria brigas e mágoas.
- Eu não seria louca de fazer isso, ainda mais agora, com a Lav andando livremente por ai, se acontecesse algo com Ele, com vocês ou com a minha família, eu não me perdoaria. Talvez algum dia eu fale a verdade...
- Falando nisso Nick. Bri se intrometia. - Você deveria dar outra chance para o Jared, ele ama você.
- Ai, eu e o Jared é algo tão complicado, Eu amo ele também,mas eu não confio nele, ele esconder que a Molly estava grávida e que o filho é dele. Dizia pensativa. - E além do mais, tem o Misha, que é tão carinhoso, verdadeiro, ele tem coragem de fazer aquilo que acredita, Ele teve a coragem de revogar seus direitos como Padre para viver algo incerto...
-  Ai, Ai, Misha. Bri se abanava. - O beijo que aconteceu no hospital, que beijo. Bri pensava consigo mesma. - Por isso que  Nick não larga o doce, será que eles já fizeram sexo dentro daqueles confessionários? Será que ela já viu o que eles esconde debaixo daquela Batina?
- Bri. Ash a cutucava, percebendo a amiga com o olhar muito alegrinho, mordendo os lábios. - O que se passa nessa mente impura?
- Hã? Olhava para ela. - Nada. Olhava para frente, vendo os Membros da Justiça voltarem para seus lugares e Lav se sentar no banco da frente, do seu lado oposto.




Relembrando: Look Molly - Look Gregory - Juiz - Fórum


- Declaro reaberto o Julgamento de Molly Mollyart. O Juiz batia o martelo. - Depois de horas conversando e discutindo o caso, chegamos a um parecer. Olhava para a Promotora. - Eu declaro Molly Mollyart culpada pelo Crime Doloso, que resultou na morte de Chad Thompson. Sendo punida com 20 anos de prisão, sem direitos à recursos, sem direito a recorrer. Olhava para Molly, que começava a chorar. Também Declaro que diante de novos fatos, um novo julgamento deverá ser marcado, para julgarmos as mortes de Amy Vanderbill e Olivier Hanks !!!

- Molly.O advogado olhava para ela, que se levantava da cadeira. - O que você vai fazer?
- Eu sou inocente. Começava a gritar. - Eu não matei ninguém,eu não vou ser presa. Molly saia correndo dali, derrubando a mesa no chão.
- Peguem ela. O Xerife dava as ordens.
- Parada Molly. Um dos policiais a parava  na saída da sala de audiência.
- Você não vai me pegar. Molly o chutava no meio das pernas, saindo correndo dali feito uma maluca.
- Não deixem essa criminosa fugir. Lav berrava.
- Peguem ela na saída do Forum. Patrick avisava os guardas pelo Rádio.

- Tomara que ela consiga fugir. Ash dizia apreensiva.
- Ash. Bri a cutucava.
- Apesar de tudo, ela não merece ir para o presídio, ainda mais grávida.
- Ai que clima tenso. Nick dizia, vendo Lav se aproximar, sendo empurrada por Yvonne.
- Eu disse que ninguém brinca comigo e sai ileso. Lav passava por elas gargalhando, saindo da sala, acompanhando os policiais, que iam atrás de Molly.
- E de pensar que nós já tivemos aquele vídeo em nossas mãos. Ash se lembrava.
- Foi tudo culpa minha, se eu tivesse ficado quieta.
- Não foi culpa sua Nick. Bri olhava para ela, se levantando do banco, juntamente de Ash e Nick.
- Na verdade, todas nós tivemos culpa. Ash dizia. - Nós deveríamos ter levado o vídeo na delegacia assim que vimos. Saíam dali, caminhando até o lado de fora do Fórum, que estava cercado de polícias, e algumas pessoas, que se interessavam pelo alvoroço.

- Senhorita Lavínia. Um jornalista com uma câmera fotográfica se aproximava dela. - A Senhora poderia conceder uma entrevista para o Jornal da cidade?
- Olha bem para a minha cara de quem dá entrevistas para esse jornalzinho ridículo que essa cidade tem.
- Melhor o Senhor sair, a Senhorita Lavínia está cansada devido ao julgamento. Yvonne começava a empurrar a cadeira de rodas.
- Só uma pergunta. Dizia fazendo Yvonne se virar. - O que A senhorita Vanderbill tem a dizer sobre o julgamento?
- Que finalmente a justiça foi feita. Virava sua cabeça para o lado. - Vamos Yvonne.
- Sim Senhora. A Empurrava até onde Ash, Nick e Bri  estavam paradas, parando a cadeira um pouco mais a frente.

- Molly Mollyart, parada, ou serei obrigado a atirar. Patrick a via se aproximar da porta de entrada.
- Vocês não vão me prender. Molly dava meia volta, tentando achar outra saída.
- Te peguei. Sodado Andy a segurava pelos braços, colocando-os para trás e a prendendo com as algemas.
- Vocês estão cometendo um engano. Molly era levada até ao lado de fora, Lav se aproximava dela, empurrando sua cadeira de rodas.
- Você achou que iria fazer tudo e sair ilesa? Olhava para Soldado Andy. - Posso falar com ela em particular? Preciso apenas de um minuto. Sabe, Eu tenho que desabafar com esse ser, botar para fora toda a mágoa. Andy olhava para Patrick, que escutava tudo, atrás de Lav.
- Pode, estaremos olhando dali. Patrick ficava de frente para ela, apontando a porta de entrada do Fórum.
- Thanks Xerife. Lav o via se distanciar.

- Sabe, eu me arrependo de uma coisa, deveria ter dado veneno para você, seria um favor ao mundo. Molly a olhava raivosa.
- Ai queridinha, não se faça de ofendida, porque a única ofendida aqui sou eu, pela sua traição. Gargalhava. - Sabe o que eu desejo para você? A olhava cinicamente. - Uma vida bem sofrida no presídio, desejo que você apanhe feito uma cachorrinha de rua, e se não for pedir muito, que seu bebe nasça morto.
- Cala a boca. Molly gritava.
- Sabe qual foi o seu erro? Se achar mais esperta do que eu, achar que poderia ser má. A olhava nos olhos. - Admito, você pode até ser má, mas eu, sou o Diabo reencarnado. Gargalhava.
- Eu mandei você calar a boca seu ser nojento. Molly levantava seus braços algemados, e dava o melhor tapa na cara que conseguia, diante de sua dificuldade.
- Cretina. Lav cuspia na cara dela. - Esse tapa não vai ficar assim, eu juro que  você vai se arrepender dele, ahhh vai sim. Cuspia novamente.
- Chega vocês duas. Patrick intervinha na briga. - Vamos Molly, você será transferida para a penitenciária ainda hoje. Caminhava com ela até o carro policial, saindo dali rapidamente.

- Ai, esse negócio de ficar cuspindo está muito cliché.
- Também acho Bri. Nick dizia rindo.
- Ai não. Bri dizia com voz de nojo.
- E isso? Ash gargalhava da pombinha que acabara de fazer suas necessidades no ombro direito de Bri. - Está clichê?
- Ai que nojo. Nick também ria.
- Eu vou costurar seu orifício pombinha de uma ....
- Olha o palavreado mocinha.O Juiz Bobby passava rindo da cena.
- Ai Bri, só você mesmo para nos fazer rir. Nick ainda gargalhava.
- Bom, eu já vou indo, preciso descansar um pouquinho e depois me arrumar para o Jantar.
- Boa sorte com o Jantar.
- Thanks Nick, eu vou precisar. Dizia pensativa. - Bri, talvez fosse uma boa ideia você vir junto, digo, você é amiga do Jared, não seria estranho você aparecer.
- Hum, vou ligar para o Jared e ver, depois eu te ligo.
- Ok, agora eu vou indo. Bye. Ash saía dali, caminhando até seu carro.
- E eu preciso ir em casa, tomar um belo banho e depois passar na Igreja.
- Quando foi que você se tornou mais pecadora do que eu? Bri a olhava espantada.


....


- Lilly. Elle entrava no quarto da Mãe de Ash, vendo-a retirar algumas roupas do Closet. - O que a Senhora está fazendo?
- Ah, nada demais, apenas separando aquilo que eu não uso, ou não gosto mais, para doar para quem precisa.
- Você poderia ter me chamado, que eu ajudaria.
- Thanks Elle, mas você já faz tanto nessa casa, e isso é coisa boba. Sorria.
- Ah, eu estava vendo na Tv, já saiu a sentença da Molly.
- O Patrick acabou de me ligar. Já estão a tranferindo para uma Penitenciária.
- Ai, que dó dela, tão jovem, grávida, tinha tanto o que viver.
- Estava pensando nisso...
- Sabe, eu acho que a Molly não teria coragem de armar um crime dessa magnitude, sequestrar a Lav, até dá para acreditar, por que aquela ali, nunca foi flor que se cheire, e talvez em um momento de raiva a Molly tenha a sequestrado.
- Por que você acha isso? Lilly se sentava na cama.
- Simples, essa morte do Chad foi algo feito a sangue frio, ela está grávida, ou seja, com as emoções a flor da pele, e além do mais,  a pessoa precisa ser muita má para matar alguém dessa maneira,e ninguém fica má de uma hora para outra para fazer isso, a pessoa já nasce má. Elle se sentava ao lado de Lilly, ajudando-a a dobrar algumas roupas.
- Pensando dessa maneira, faz sentindo. Olhava para Elle pensando. - E se faz sentindo, o real assassino ainda está a solta?
- Bom, talvez, isso é só uma hipótese.
- O que me assutou nesse julgamento mesmo, foi a Lavínia estar viva.
- Eu fiquei surpresa, nunca achei que essa testemunha surpresa fosse Ela.
- Tomara que a coitada mude, depois de ser mantida em cativeiro.
- Assim espero.
- Mudando de assunto. Olhava para Lilly. - A Ash falou alguma coisa mais sobre o Henri?
- Não sei se ela te disse, mas Ele a pediu em namoro.
- Ai que lindo. Elle se admirava.
- Mas ela está na dúvida, se deveria dar outra chance, se deve firmar algo sério.
- Por mim, ela se casaria com ele, o acho um fofo.
- Eu não o conheço tão bem, mas Ele é uma boa pessoa, gostaria que a Ash o trousesse aqui qualquer noite para jantarmos, nos conhecermos melhor...
- Adorei essa ideia do Jantar.


Look Lilly - Look Elle - Lilly's Room


- Hi Mommy,Hi Elle. Ash entrava no quarto de Lilly.
- Hi querida, como você está?
- Boa tarde Ash. Elle sorria.
- Boa Tarde Elle. Sorria de volta. - Ai, sabe que eu não sei como estou. Dizia confusa. - Um pouco chocada, um pouco impressionada e preocupada.
- Também não é para menos, quanta coisa para um só dia.
- Nem me diga Mãe. Suspirava exausta. - Pior que eu acho que a Molly foi presa injustamente.
- Por que você pensa assim? Elle se interessava.
- Por que se o nome da Lav está relacionado, sempre tem algo errado.
- Essa garota tem uma energia pesada em volta dela.
- É, eu sei. Ash enrrolava os cabelos, fazendo um coque. - Bom, vou tomar um belo banho de banheira, descansar um pouco e me arrumar, vou jantar fora com o Henri.
- Ok querida, bom banho.
- Thanks. Saía dali.
- Sabe que é engraçado ver a Ash falar que vai sair com alguém. Lilly gargalhava. - Ela sempre namorou as escondidas...

.....

Horas Depois...



- Molly Mollyart. A Secretária do presídio feminino lia a ficha dela. - Declarada culpada, pela morte de Chad Thompson. Terminava de ler em silêncio. - Nossa, de muitas que já passaram por aqui, você é uma das mais selvagens. Dizia um pouco surpresa. - Tome. Entregava para ela o Unifome Laranja, característico dos presídios Americanos. - Vá se trocar naquela salinha, onde você será revistada. Apontava para ela, que caminhava rapidamente até lá.
- O que essa fez? Chloe a carcereira chegava.
- Matou o namorado e depois o cortou em pedacinhos.
- Ela? Dizia surpresa.
- Pois é, também me assustei, achei que ela tinha feito algo "bobo". A via sair da sala. - Por favor, seus pertences para eu guardar. A secretária dizia, e Molly os entregava. - Todos os seus pertences ficarão guardados aqui, quando sua pena terminar, você poderá pegá-los. Começava a colocar os pertences de Molly em sacos plásticos separados.
- E isso aqui é o que você vai precisar para sobreviver. Entregava um cobertor e alguns produtos de higiene.
- Me acompanhe por favor Molly. Chloe caminhava na frente, e Molly a seguia. - Você parece que não gostar muito de conversar.
- Olha bem o lugar onde eu estou, como conversar com ... Molly preferia não terminar a frase.
- Olha, para o seu bem, tome cuidado com o que você disser.
- Olha onde eu cheguei. Passavam pelo portão de proteção, dando acesso a área onde as celas ficam.

- Tem carne nova no pedaço. As detentas começavam a gritar.
- Gracinha.
- Essa vai ser a minha nova empregadinha.
- Ela tem cara de quem tem grana, se não nos ajudar, vai se da mal. As presas estavam em euforia com a chegada de Molly.

- Esta é a sua Cela. A carcereira a abria, e Moly entrava, parando no canto esquerdo, olhando assustada com o cenário, que seria sua nova moradia.
- Minha triste vida. Molly iniciava um choro.
- Agradeça moçinha,sua colega de quarto não é das piores. A carcereira trancava a cela.
- Qual é o Seu nome? A Detenta se sentava na cama.
- Molly, e o seu?
- Lucy. O que você fez para estar aqui?
- Nada, eu sou inocente. Molly dizia com o olhar perdido, fazendo Lucy gargalhar, com a aparte do "Inocente".
Share this article :

1 comentários:

  1. Gente, eu to rindo aqui com a Pombinha defecando na Bri. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Lav não basta vencer, tem que ir tripudiar na pessoa.

    Gente, a Lav é muito cínica, minha única reação era ir de tudo que ela falava.
    Adoro odiar ela. DIVA
    Chocada, e quando agente acha que a Lav não pode mais se superar, agente descobre que o Advogado foi contratado por ela, para ferrar a Molly.

    Ash e Henri tão fofos, louca para ver esse jantar.
    Mas ainda sim, quero Ash e Jensen, os dois precisam voltar.

    Bri tem uma quedinha pelo Misha, é isso mesmo produção? Prevejo barraco vindo ai? kkkkkkkkkkk

    To com dó da Molly e do Jared tbm. A coitada tá grávida, e vai para a cadeia, espero que ela dê a volta por cima. Fiquei com a impressão que o Patrick ferrou com a Molly para proteger a Ash...

    Ansiosa já pelo proximo Capítulo.

    ResponderExcluir

 
Support : Your Link | Your Link | Your Link
Copyright © 2013. Supernatural Family | Here's Your Family. - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger