Home » » Kill All The Secrets - Capítulo 2.11 - "The Dinner "

Kill All The Secrets - Capítulo 2.11 - "The Dinner "





Nome: Kill All The Secrets (Mate Todos Os Segredos).

Número de Temporadas: 3.

Capítulo:   2.11 - "The Dinner "

Classificação : 16 + - Contem cenas de violência,mortes,sexo,insinuações...

Gênero : Drama,Comédia,Mistério...

Autora: Laura.

Personagens: Ashley (Principal) Brittany (Principal) Nickole (Principal) Lavínia (Vilã) Molly (Coadjuvante) Henri (Principal) Jensen (Principal ) Jared (Principal) Misha (Principal) Ben (Secundário) Chad (Coadjuvante) Lilly (Secundário) Cecy (Secundário) Rene (Secundário) Annie (Secundário) ....

Sinopse: Após os últimos acontecimentos, Ashley, Nickole e Brittany, tem suas vidas viradas de cabeça para baixo, principalmente por terem testemunhado a morte de Lavínia, da qual agora são suspeitas. Como se não bastasse os problemas com a justiça, Ash se vê de frente com seu antigo amor, que volta disposto a tê-la de volta, Jensen sente que Ash está um pouco distante, isso o deixa inseguro, se deparando com uma situação onde as decisões não dependem apenas dele. Nick se sente vazia diante de todos os acontecimentos, principalmente em seu termino com Jared, a Chegada de Misha talvez possa mudar isso, ou apenas complicar tudo ainda mais. Bri como sempre prefere viver em seu mundo onde tudo gira em torno de homens, não que isso seja uma má ideia... Molly tenta usufruir dos bens de Lav, mas não esperava por uma surpresa nada agradável. O trio de amigas no final do primeiro capítulo, se veem de frente com algo que poderia ser julgado impossível de acontecer, quem é ela ? o que ela quer? A última pergunta eu posso responder, brincar com as "culpadas" da morte de Lav.

Considerações: Quando tiver o player nas cenas serão as músicas das cenas,acho que não tem necessidade de ficar colocando toda hora "música da cena",mas como este é o primeiro capítulo tudo Ok.Ainda Sobre as músicas,quando uma cena não tiver música,aproveite a música da cena passada (Até a cena que tiver um novo player),por que eu escolho as músicas pensando nisso.
Onde estiver Look (Exemplo,Look Ashley,Look Das garotas),vocês podem clicar para visualizarem a roupa dos personagens e os Personagens. Quando estiver Casa da Ashley,carro,escola,podem clicar para visualizarem o local onde a cena ocorreu !!!!

.........................................................................................................................................




2.11 - "The Dinner "
"O Jantar"

- Ash. Lilly batia na porta do quarto da filha, entrando nele, e se deparando com roupas jogadas para todo lado.
- Hi. Dizia gargalhando, caminhando até ao centro do quarto, com um vestido prata, com o zíper lateral aberto.
- Uau, posso saber qual furacão passou por aqui? Olhava em volta.
- O Furacão não sei qual roupa usar. Deixava o vestido prata cair, ficando apenas de lingerie.
- Ash? Você sempre sabe o que usar, nunca vi você ficar em dúvida sobre qual roupa vestir.
- Eu sei, mas não consigo me decidir.
- Por que essa dúvida? Caminhava até a cama da filha, se sentando na beirada. - Não é apenas um jantar qualquer?
- É. Dizia pensativa. - Quer dizer, não.
- Como? Sorria para Ela.
- É um simples jantar na casa de Família.
- Ok, e qual é o porém?
- O Porém é que quem convidou o Henri para Jantar, conhece a Mãe dele, e eu não quero passar uma impressão errada.
- Então é um Jantar mais íntimo certo?
- Isso. Jogava os cabelos para trás. - E eu não quero passar a imagem de perua ou séria de mais nem de vulgar.
- Ash. Lilly gargalhava. - Siga o seu bom senso, que será impossível você errar.
- A Senhora acha que um longo com brilho vai ficar exagerado demais?
- Dependendo da quantidade de brilho, ficará perfeito.
- Hum. Dizia pensativa.
- Mudando de assunto. Via Ash jogar um pouco de laquê nos cabelos na frente do espelho. - Você pensou no pedido que o Henri te fez?
- Na verdade, ainda estou pensando.
-  Olha, sem querer me intrometer na relação de vocês, eu adoraria que você o trouxesse mais aqui em casa para eu conhece-lo melhor, talvez nos jantares, eu simpatizo com ele,você sabe que eu não sou contra a relação de vocês.
- Tudo bem Mãe, eu vou falar isso com ele. Sorria.
- Ok, agora eu vou deixar você terminar de se arrumar. Se levantava da cama. - Caso você  ainda esteja em dúvida. Olhava para dois vestidos em cima da cama. - Esse vestido longo Azul é perfeito, agora se você quiser um curto, aquele ali. Apontava um vestido amarelo em cima da poltrona. - Ficará perfeito também.
- Thanks Mommy. Sorria, vendo a Mãe sair do quarto.


Relembrando: Ash's Home - Look Lilly
....


- Ai Ai,finalmente em casa. Lav se levantava da cadeira de rodas, dando uma boa olhada.
- A Senhora deve estar exausta com esse julgamento e depois ter que legalizar sua situação, assinar aquela papelada.
- Na verdade, nunca estive tão bem. Sorria. - Como a vida é bela.
- A Senhora deve estar feliz com a prisão da Molly.
- Você não imagina o quanto.
- Rápido,sente-se, sua empregada. Yvonne escutava passos.
- Velha chata. Lav se sentava e cobria suas pernas com uma coberta.
- Senhorita Lavínia, como é bom ter a Senhora em casa novamente. Karl chegava até a sala.
- Eu já não posso dizer o mesmo ao olhar para essa sua  cara de Múmia que acabou de sair do sarcófago. Lav dizia, fazendo Yvonne dar uma leve gargalhada.
- Eu arrumei um quarto para a Senhora aqui em baixo, já que com a cadeira de rodas será impossível subir escadas.
- Bom, eu tenho uma enfermeira, e não vou dormir no quarto debaixo, a Yvonne pode muito bem me carregar.
- Tudo bem Senhora, e só para informar, eu terminei de limpar o quarto da Senhora, não tem mais nenhum pertence da Senhorita Molly.
- Não fez mais que sua obrigação.
- A Senhora quer alguma coisa em especial para o Jantar?
- Não vou jantar em casa, vou sair, ver gente, já fiquei muito tempo trancada.. Jogava o cabelo  para trás. - Leve essas malas para cima, prepare meu banho de banheira e depois disso, pode sumir daqui.
- Tudo bem Senhora. Pegava as malas de Lav, subindo as escadas com um pouco de dificuldade.
- Nossa, como a senhora gosta de dar ordens.
- Criados foram feitos para isso, serem mandados. Gargalhava.
- Em qual quarto eu irei ficar?
- No antigo quarto do meu Noivo, assim que subirmos eu lhe mostro qual. Dizia pensativa. - E você não precisa se preocupar em suar essas roupas de enfermeira, tanto branco me dá dor nas vistas, além de me deixar enjoada. Olhava para ela.
- Sim Senhora.
- Agora me leve lá para cima, tenho que fazer uma ligação para o Reitor Josh. Gargalhava cinicamente.


Relembrando: Look Lav - Look Yvonne
....


- Misha. Nick entrava na Igreja,vendo o mesmo acender algumas velas.
- Nick, Hi. Sorria para ela.
- Cheguei em má hora?
- Não, só que está quase na hora da missa. Caminhava até ela, que se sentava no penúltimo banco.
- Misha, a sua carta. Dizia preocupada. - Ainda vai demorar para chegar?
- Bom, já era para ter chegado. Se sentava ao lado dela, pegando em suas mãos.
- É que agente ter que ficar se encontrando dentro da igreja, as escondidas, isso não é certo.
- Eu sei disso, e também não me sinto confortável pedindo para você fazer isso.
- Você acha que essa carta ainda vai demorar para chegar?
- Como disse, já era para ter chegado. Depois eu vou ligar para o arcebispo e ver o que está acontecendo. Olhava para ela, vendo-a sorrir. - Mudando de assunto, como foi o julgamento da Molly?
- Como já era esperado, ela foi condenada.
- Coitada.
- Coitada nada, pouco me importa se ela é ou não culpada. Bufava. - Isso é o que ela merece por tudo de ruim que fez.
- Nick, se acalme. Misha se assustava.
- Não precisa se assustar, isso é o que eu penso, e eu não vou fingir que me importo com ela.
- Nutrir sentimentos ruins não é bom para ninguém. Olhava nos olhos dela.
- Eu não tenho raiva ou ódio dela, apenas acho que ela teve aquilo que mereceu.
- Por que você vê a vida de uma maneira tão dura, tão preto no branco?
- Eu não vejo a vida de uma maneira dura, Eu apenas não consigo suportar traições ou mentiras.
- Mais errar faz parte de ser humano, e perdoar, nos torna pessoas melhores. Acariciava a face dela.
- Eu sei disso, e acho sábio da sua parte dizer isso, mas eu não consigo  agir dessa maneira. Fechava os olhos, sentindo a mão dele acariciar sua face. - Sabe, apesar de tudo, você é tão resolvido consigo mesmo.
- Thank You. Se aproximava dela, colando seus lábios com os de Nick, iniciando um longo beijo, onde Nick sentia algo que apenas Misha a fazia sentir, Segurança.
- Jesus,esse mundo está perdido. Gerth, uma Senhora de 70 anos entrava na Igreja, e via a cena que ocorria no banco dos fundos.
- Oh My God. Nick paralisava o beijo, e olhava para o lado, totalmente assustada.
- Eu, Eu po-posso explicar. Misha gaguejava.
- Ele. Nick se levantava. - Caiu um cisco no meu olho, e ele estava apenas assoprando.
- Com a boca? Mordia a ponta do dedo, olhando-o assanhadamente.
- Eu, errr, melhor eu ir. Nick saía apavorada dali.
- Espera. Misha se levantava, gritando-a, embora a mesma já tivesse saído dali.
- Ai Padre, seu safadinho, eu quero um beijo também meu gostosão. Se aproximava dele, abraçando-o.
- Minha Senhora. Dizia assustado.
- Isso,sua Senhora, Sua Escrava, o que você quiser que eu seja, Eu sou todinha sua. Apertava a bunda dele.
- Por favor Senhora, pare com isso, logo as pessoas chegarão para a Missa.
- Eu não vou te largar nunca mais. Passava suas mãos pelo peitoral dele.


Igreja - Look Nick - Look Misha - Gerth
....


- Jensen. Jared batia na porta do quarto do amigo.
- Sim. O via entrar, enquanto vestia o blazer em frente ao espelho.
- Esse jantar. Dizia um pouco receoso, se sentando na cama. - Você tem certeza que prefere participar dele?
- Por que eu não iria participar? Fingia inocência.
- Henri, Ash, Ex namorada... Olhava para o amigo, vendo-o sorrir ironicamente.  - Por favor Jensen, não faça nada de estúpido.
- Eu não vou fazer nada, como já disse, não me importo com ela.
- Vou fingir que acredito. Pensava consigo mesmo.
- Eu só vou participar desse jantar por que é importante para minha Mãe.
- Que bom escutar isso, eu sei como você pode ser impulsivo diante de certas situações.
- Já disse que não precisa se preocupar. Sorria rapidamente.
- Bom, às vezes ela não vem.
- Ela vem, eu tenho certeza disso. Se sentava na cama, calçando os sapatos. - Mudando de assunto, sua namoradinha acabou sendo presa.
- Eu já disse que ela não é minha namoradinha. Se irritava.
- Ok, Senhor Estressadinho. Dava leves tapas nas costas do amigo. - Você acha que foi ela?
- Não sei, mas ela é meio maluca, então...
- Você deveria ir visitá-la, ela carrega um filho seu.
- Já disse que não é meu. Interrompia o que Jensen dizia. - Você ficou sabendo que a Lav não morreu?
- Eu vi passar no Jornal mais cedo, que historia. Olhava para Jared. - E sua namo... Pensara no que iria dizer, ao ver Jared fechar o punho. - E a Molly envolvida nisso também.
- E Ela está com as pernas meio que imobilizadas, fiquei com pena. Jared evitava voltar no assunto Molly novamente.
- Eu também, a Lav sempre gostou de ser independente. Olhava para baixo. - Coitada, quanta coisa ruim acontece com ela...
- Bom, até eu que não sou muito fã dela, tenho que concordar com isso.
- Eu vou fazer uma visita para Ela depois, nessas horas é bom ter amigos por perto.
- Me avise quando for que irei junto.
- Ok. Se levantava da cama, saindo do quarto, Jared ia logo atrás.


Look Jensen - Look Jared

....


- Bri, onde você está? Ligava para ela, descendo as escadas de sua casa. - Já está quase na hora do Jantar? Passava pela sala, dando um tchauzinho para Lilly e Patrick, que estavam sentados no sofá.
- Estou no Grill, e sorry por isso, mas eu achei melhor não me intrometer nesse jantar.
- Por que? Fechava a porta de casa, caminhando até a garagem, entrando em seu carro e saindo dali.
- Primeiro por que eu me auto convidar para um jantar mais íntimo é o fim e depois você sabe muito bem o que eu penso sobre toda essa situação, eu iria acabar falando algo que não deveria.
- É, você tem razão. Parava em um semáforo, vendo algumas pessoas atravessarem a faixa. - É que eu estou tão nervosa com esse Jantar.
- Eu posso imaginar, e não adianta mentir para mim, por que eu sei qual é o verdadeiro motivo.
- Hã? Se fazia de desentendida, dando partida no carro, ao ver o sinal abrir.

- Ash, você está com medo desse jantar por que é algo que você nunca fez, principalmente por conhecer sua Sogra. Gargalhava.
- What? Se assustava. - De onde você tirou isso?
- Ash, eu sou sua amiga desde sempre, e te conheço muito bem para afirmar isso, você não quer passar uma imagem ruim para a Mãe do Jensen.
- Eu preciso desligar. Entrava na garagem do edifício onde Henri, Jensen e Jared residem.
- Ash, só por que você não quer dizer ou confirmar isso, não muda o fato de ser verdade.
- Bye Bri. Encerrava a ligação saindo do carro ,caminhando até a escada, que dá acesso a portaria, andando até ao  elevador, entrando nele pensativa. Ash pensava em todos os últimos acontecimentos, as mensagens de L.B. obrigando-a terminar com o Jensen, as chantagens,o incidente com sua Mãe, Molly sendo presa injustamente e a volta de Lav. - Vai ser melhor para todos. Se olhava no espelho do elevador. - O Henri é um homem incrível e me faz feliz, me faz bem e  eu não quero que ninguém se machuque por minha culpa. Saía do elevador ao chegar no andar escolhido. - Henri. Batia na porta do apartamento dele.



Look Ash - Look Henri - Henri's Apartamento




- Uau. Abri a porta, se admirando com a visão. - Você está linda.
- Thanks, você também está lindo. Sorria para ele.
- Está tudo bem para você ir nesse jantar? Fazia sinal para ela entrar.
- Eu entendo que isso é importante para você, então, está. Passava por ele.
- Ok, só vou pegar meu casaco e já vamos. Passava por ela.
- Henri. Ash dizia, fazendo-o se virar para trás. - Sim. Olhava nos olhos dele.
- Sim? Curvava as sobrancelhas.
- Eu aceito namorar com você. Dizia docemente.
- Uau. Se aproximava dela um pouco surpreso. - Eu achei que isso não iria acontecer. Repousava suas mãos na face dela. - I Love You. Se aproximava dos lábios dela, iniciando um beijo.
- Eu gosto de você também. Olhava nos olhos dele sorrindo.
- Espera. Henri saía correndo da sala.
- Ok. Jogava a franja do cabelo.
- Lembra? Henri voltava com um anel dentro de uma caixinha aberta. - O Anel que você devolveu quando rompemos na sua formatura?
- Claro que eu lembro. Dizia surpresa. - Você o guardou ?
- Yeah. Pegava na mão direita dela, colocando o anel.
- É lindo. Se aproximava dele, dando um selinho.
- Agora, é melhor irmos, antes que cheguemos atrasados. Sorria para ela.
- Ok. Ash dizia, e Ele abri a porta.


.....


- Molly, tem visita para você. Chloe, a carcereira abria a cela dela.
- Visita? Achei que visitas noturnas fossem proibidas.
-  É o seu Advogado, e Ele conhece o Diretor daqui, então...
- Ok. Saía da cela, sendo acompanhada por Chloe e por uma policial.
- O que será que ele quer. Pensava consigo mesma. - Será que a Lav armou mais alguma coisa? OMG,essa vadia não se cansa?
- Molly, te darei Dez minutos, aproveite a conversa. Abria a porta da salinha.
- Obrigada Chloe. Entrava  na salinha, se deparando com Gregory sentado em uma cadeira, com suas mãos repousadas sobre a mesa. - Dr. Gregory, o que o Traz aqui? Se sentava de frente para ele.
- Eu preciso te confessar algo. Dizia apreensivo.
- Ok, diga.
- Eu não fui totalmente honesto com você. Olhava para baixo.
- Como? Eu não estou entendendo. Dizia confusa.
- Eu não te defendi como deveria.
- Por que? Por que você faria isso?
- Por que eu fui desonesto, medroso, e eu não me orgulho disso.
- Qual foi a chantagem? Molly era direta.
- A Lavínia sabe muita sujeira minha, principalmente pela Mãe dela ter sido uma Juíza...
- Tinha que ser essa Vadia. Batia o punho na mesa, nervosa. - O Senhor não podia ter feito isso comigo, o Senhor sabe que eu sou inocente.
- Eu sei, e peço desculpas por isso. Dizia sem jeito. - Mas se eu não fizesse  isso para ela, minha carreira inteira iria acabar.
- Essa cretina, eu juro que vou fazer ela pagar por tudo.
- Molly. Olhava para ela com pena. - Se você quiser, Eu posso conseguir alguns direitos para você,já que está gravida.
- Eu não preciso da sua compaixão. O olhava com desprezo.
- Sabe, mesmo que eu tivesse te defendido como deveria, diante dos fatos que a Lavínia apresentou, você nunca seria inocentada.
- Por que eu deveria aceitar a ajuda de alguém que ajudou a me prejudicar? Ficava em silêncio pensando. - Eu recuso sua ajuda, por que, quem me garante que você não está aqui á mando da Lav?
- Molly, eu quero afundá-la, assim como você quer.
- Me responda, em quanto tempo irá acontecer um novo julgamento?
- Você se refere as mortes de Amy e Olivier?
- Sim.
- Vai demorar um pouco ainda, A justiça precisa reunir alguns fato, pensar em teorias...
- Interessante. Dizia pensativa.
- Então vai aceitar minha ajuda?
- Irei pensar. Se levantava da cadeira.
- Vou deixar o número do meu Celular na portaria, caso você queira entrar em contato, estarei a disposição.
- Se você quer se útil. Olhava para ele. - Peça para deixarem eu usar roupas normais, esse uniforme está incomodando minha barriga, e como estou gravida, necessito de roupas mais confortáveis.
- Ok, vou ver o que eu consigo fazer.
- Isso não foi um pedido, foi uma ordem, eu quero que você consiga, se fosse para tentar, Eu mesma conversaria com o Diretor desse Lixo de Lugar. Saía dali.


Relembrando: Look  Gregory
.....

Look Bri - Grill


- Nick. Bri acenava para ela, que entrava aflita no Grill.
- Thank God. Caminhava até ela.
- Que cara de quem viu um fantasma é essa? A via se sentar na mesa, de frente para si.
- Você não vai acreditar no que aconteceu. Jogava o cabelo para trás.
- Você, Misha e Jared fizeram um Ménage à trois na Igreja? De preferencia dentro do Confessionário?
- What? A olhava incrédula. - Isso é o que se passa na sua mente?
- Não. Dizia pensativa. - Tem coisas piores. Gargalhava. - Você quer que eu conte?
- Melhor deixar esse pensamentos impuros somente na sua mente.
- Então, o que aconteceu para te deixar desse jeito?
- Eu fui na Igreja ver o Misha. Dizia receosa. - Ai agente se beijou.
- E fizeram sexo dentro da Igreja?
- Não, Bri, quantas vezes eu vou ter que te dizer que Eu e o Misha não fizemos Sexo e nem vamos fazer enquanto ele for um Padre? Olhava para ela. - Nem tudo se resume em pornografia como sua mente imagina.
- Fine Madre Tereza, só tome cuidado, quando você for tirar o atraso...
- Nem termine esse pensamento, ou eu vou me levantar e deixar você falando sozinha. A repreendia.
- Ok, então o que aconteceu depois do beijo? Fazia cara de tédio.
- Sabe a Gerth?
- Aquela senhora que poderia ter sido minha irmã em outra vida?
- A própria.
- O que ela fez?
- Então, ela flagrou eu e o Misha nos beijando.
- Really? Começava a gargalhar intensamente.
- Não sei qual é a graça nisso. Nick olhava para baixo.
- A sua cara na hora, deve ter sido impagável. Continuava gargalhando. - E o que você fez? Respirava fundo.
- Eu me levantei, e disse que ele estava tirando um cisco dos meus olhos.
- What? Voltava a gargalhar. - Você é péssima em inventar mentiras.
- E se ela contar para alguém?
- Mas vocês não vão se assumir?
- O Misha está esperando a carta, enquanto ela não chegar, ele não pode abandonar a Igreja...
- Quer um conselho? Tentava não rir.
- Diga.
- Reze para o Misha ter conseguido apagar o fogo da Velha. Voltava a gargalhar.
- Briiiiii !!!!! Nick gritava, dando um forte tapa no braço dela.
- Ai. Passava sua mão onde Nick havia dado o tapa. - Tá bom, não falo mais nada. Olhava para a porta. - Oh God
- O que foi?
- Vire-se. Apontava Lav entrando no estabelecimento.
- Oh My God, o que ela faz aqui?


......



- Henri. Donna abria a porta, vendo Ele e Ash de mãos dadas e sorrindo. - Boa Noite.
- Boa Noite Donna. A Abraçava. - E essa é a minha namorada, Ashley Baltmoore. Olhava para ela. - Ash, essa é a Donna.
- Boa Noite. Sorria para Mãe de Jensen. - É um prazer conhecer a Senhora.
- Digo o Mesmo. Se aproximava dela, dando um forte abraço. - Vejo que os elogios que o Henri fazia a você não eram nenhum pouco falsos, você é linda e tem um belo sorriso. Olhava para ela.
- Thanks.
- Que indelicadeza a minha, entrem por favor. Dava passagem para Eles.
- Com licença. Ash e Henri entravam, parando no meio da sala, vendo Sharon se aproximar.
- Henri, que bom revê-lo. Se aproximava dele, dando um forte abraço.
- Digo o mesmo.
- E quem é esta linda mulher? Sharon a olhava.
- É a Ashley. Donna se entrometia.
- Prazer !!! Ash dava um abraço em Sharon, vendo Jensen a olhar.
- O Prazer é todo meu. Sorria de volta.


Look Donna - Look Sharon - Sala





- Awesome,agora vão ficar babando no casalsinho felicidade? Jensen se incomodava ao ver a cena da sala de Jantar, que é conjugada com a sala.
- Relax Jensen !!! - Lembre-se, não faça nada estúpido.
- Ela é muito cínica, sorri como se nada tivesse acontecido. Dava uma boa golada no vinho.
- E bonita também. Ela esta ... Jared parava de falar ao escutar Jensen fingir um tosse. - Ok, não falo mais nada.
- E Agora estão vindo até nós. Jensen fingia um sorriso, ao ver sua mãe se aproximar com Ash.
- Hey Ash. Jared sorria timidamente, arrematando o resto da bebida que estava em seu copo.
- Boa noite Jared. Dizia um pouco incomodada.
- E esse é o meu filho, Jensen. Donna o apontava.
- Eu já conheço Ele. Desvia seu olhar.
- Então vocês já se conhecem? Donna dizia surpresa.
- Sim, ele foi meu professor na Faculdade daqui e o Jared é médico no hospital.
- Jensen, comprimente a Ashley. Olhava para ele. - Onde está sua educação?
- Boa Noite Ashley, espero que você tenha uma agradável noite ao lado do seu namorado. Sorria de lado, ironicamente.
- Boa Noite. Dizia sem graça, se sentindo desconfortável com essa situação.
- Nossa. Sharon chegava até a sala de jantar, de braços dados com Henri. - Que clima estranho, isso por que todos se conhecem.
- Impressão sua querida. Donna se intrometia, abraçando Jensen de lado.
- Jensen, Jared, Boa noite. Henri os cumprimentava.
- Boa noite. Jensen não mostrava nenhum pingo de simpatia por ele.
- Hey,bem vindo Henri. Jared apertava a mão dele. - Quer uma taça de vinho? Jared pegava a garrafa na mesa.
- Eu prefiro não beber, depois eu levarei a Ash. A abraçava de lado. - E álcool mais direção não é uma boa combinação
- Ok. Jared voltava com a garrafa para a mesa.
- Henri,sua mãe vai ficar admirada com a Ashley. Donna olhava para ela sorrindo.
- Eu sei. Ele abria um sorriso.
- Essa é uma menina rara de se encontrar, de cara percebi que além da beleza, ela é educada, inteligente... Donna era interrompida por uma nova tosse cínica de Jensen.
- Jensen,esse é o tipo de mulher que eu espero ter como Nora algum dia!!! O abraçava de lado, sorrindo.


.....

Look Lav


- Bri, Nick, que surpresa vê-las por aqui. Lav se aproximava da mesa delas, sendo empurrada por Yvonne.
- Você de novo. Nick bufava. - Duas vezes no dia, Deus só pode estar me castigando por... Fazer atos imorais na Igreja. Pensava consigo mesma a última parte.
- Ai Nick querida, não seja grosseira, minha presença apenas enaltece essa espelunca. Dizia cinicamente.
- Não sabia que Barata agora enaltecia alguma coisa. Bri olhava para ela sorrindo.
- Yvonne.
- Sim senhora.
- Arrume uma mesa para você se sentar, por que já achei minha companhia para Jantar.
- Tem certeza Senhora?
- Vá logo, antes que eu resolva não pagar o seu Jantar.
- Sim Senhora. Saía dali.
- Pode pegar essa sua cadeira enferrujada, dar meia volta e sair daqui pelo mesmo caminho que chegou. Bri se irritava.
- Ai Bri, que falta de educação, eu apenas quero jantar com duas amigas queridas. Gargalhava. - Vocês não se importam não é? As olhava cinicamente.
- Eu me  importo.
- Que pena Nick, porque eu vou continuar sentada aqui do mesmo jeito. Lav se acomodava na mesa, puxando as travas de sua cadeira de rodas.
- Vamos embora Nick,não quero ter uma indigestão. Bri  pegava sua bolsa ao lado da cadeira e se levantava.
- Se eu fosse você, ficaria sentadinha e quietinha no seu lugar.
- Ah é? Bri a olhava debochadamente. - E porque eu faria isso?
- Por que eu posso aprontar um escândalo dizendo que estou sendo vítima de Bullying, que vocês estão sendo preconceituosas diante do meu estado físico. Fazia voz de coitada.
- Seu ser desprezível, ficar usando doença como desculpa.
- E você acha que ela Liga para isso Nick? Se sentava novamente. - Essa cretina, assassina...
- Você nem paralítica está.
- Mas quem vai provar o contrário Nick querida? A olhava cinicamente. - Onde está a amiguinha Vadia de vocês?
- Se você está se referindo a Ash, nesse exato momento ela deve estar na maior pegação com o Jensen.
- Como? Mudava sua expressão. - Não era para Ela fica longe dele?
- Bem, e quem disse que Ele quer ficar longe dela?  Nick entrava no joguinho de Bri.
- Vocês estão blefando,ela não teria a audácia de fazer isso.
- Ai Lav querida, não fique com inveja, o Jensen ama a Ash, não tente competir com isso.
- E sabe. Nick olhava para ela. - A Ash sempre será superior e melhor do que você.
- Cala a boca. Lav batia na mesa. - Cala essa boca imunda. Gritava.
- Sabe por que ela sempre será melhor do que você? Bri olhava para ela. - Por que ela nunca precisou matar alguém para conseguir o que quer, ela nunca precisou manipular as pessoas. Gargalhava. - As coisas simplesmente caem no colo dela. A olhava cinicamente. - Vamos Nick, não estou afim de gastar minha noite com Ela. Se levantava da mesa.
- Vadias. Gritava. - Vaaaadiiiiiaaaaas !!!!! - Mas se vocês acham que tudo vai ficar assim. Exibia um olhar psicótico. - Estão muito enganadas. As via sair do Grill.


....

-  Mas o Jared era um bebe muito sapeca. Sharon  mostrava algumas fotos que trouxe consigo, de quando Jared era mais novo. - Desde pequeno, arteiro.
- Que fofa essa foto. Ash gargalhava.
- Era tão lindo.
- Está me chamando de feio agora Mãe? Jared a olhava, fazendo bico.
- Claro que não meu filho. O abraçava de lado. - É que quando vocês são bebes, é tudo tão engraçado, agente sente aquela coisa de que vocês precisam de nós. Dizia emocionada. - É que Mãe não gosta de ver os filhos crescer, seguir seu caminho,é difícil deixar vocês seguirem seus caminhos.
- Sem choros, vamos voltar as fotos. Henri sorria sem jeito.
- Esse Cachorro é seu? Ash reparava em uma foto.
- Sim.
- Ele ficou no Texas?
- Na verdade, ele morreu, enquanto eu morava por lá. Olhava para baixo.
- Desculpe por perguntar.
- Jared era um grude com seus Dogs, eram dois na verdade, Harley e Sadie,  ele até adoeceu quando um deles morreu.
- E o Outro? Henri se interessava.
- A Megan, minha irmã o deixou fugir. Sorria de lado.
- Megan é essa que está na foto certo?
- Sim. Sharon confirmava. - E esse rapaz, é o meu filho mais velho, Jeffrey.
- A Nick iria adorar ver essas fotos. Ash dizia em baixo tom de voz.
-O que você disse Ash? Jared olhava para ela desconfiado.
- Nada, apenas pensei em voz alta.

- Sabe Jensen.  Donna arrumava a mesa, e observava Ash sorrindo enquanto via as fotos de Jared. - Não sei porque, mas eu adorei a Ashley. Dizia pensativa. - Ela tem uma energia positiva, um astral alegre,uma simplicidade...
- Nem tudo que reluz é ouro Mãe.
- No caso dela, é sim. Olhava para ele, que colocava os alimentos na mesa. - Sabe, eu ficaria contente em tê-la como Nora.
- Como a Senhora pode ver, Ela já tem namorado, e sem  mencionar que mulheres feito Ela, só servem para te dar dor de cabeça, trabalho...
- Mas é isso que torna tudo interessante. Olhava para Jensen. - Você sabe que eu sou muito intuitiva com as pessoas, e Ela parece ser um ser humano maravilhoso.
- Mãe, vamos mudar o assunto? Ela é, era minha aluna, satisfeita? Jensen pensava na primeira desculpa que vinha em sua mente.
- Ela ERA sua aluna, no passado.
- Ok, vamos Jantar por que estou faminto.
- Henri teve sorte, olha como ela é elegante, classuda, espontânea.
- Hey Guys,o Jantar já está servido. Jensen gritava, interrompendo Donna e suas indiretas.

- Então vamos comer. Jared se levantava apressadamente.
- Não liguem para a falta de educação do Jared, ele é esfomeado mesmo. Sharon se levantava.
- Tudo bem. Ash gargalhava. - Também para sustentar uma pessoa de quase Dois Metros de altura.
- Viu, ela me entende. Jared gargalhava.
- Vamos Henri. Ash passava de mãos dadas com Ele por Sharon, que dava caminho para ela passar.
- Jared, agora eu entendo a birra do Jensen. Sharon cochichava com o filho.
- Pois é, apesar de tudo, é a mulher certa pra ele.
- Ela é muito doce e agradável.
- Ela sempre foi assim.
- Quem sabe ainda não fiquem juntos.
- Acho bem difícil, Ela terminou com Ele sem um Verdadeiro Motivo.
- Ninguém sabe os planos de Deus meu filho,tudo pode mudar.
- É,talvez. Vamos jantar. Caminhavam até a mesa. Donna e Sharon se sentavam nas extremidades opostas da mesa. Jensen e Jared se sentavam um ao lado do outro, Ash e Henri se sentavam lado a lado, com um pequeno porém, Ash estava de frente para Jensen.

- Que silêncio. Donna reparava seus convidados totalmente mudos, escutando apenas o barulho dos talheres. - A Comida está sem tempero? Ruim? Dizia receosa.
- Não Donna, esse Nhoque está maravilho. Ash sorria. - A Senhora quem preparou?
- Sim, é uma receita de família muito especial.
- A Donna como sempre tem uma mão ótima para cozinhar. Jared sorria. - Minha Mãe também, estou louco para comer a sobremesa que Dona Sharon fez.
- Não disse que é esfomeado. Sharon gargalhava. - Mal iniciou o jantar e já está pensando na Sobremesa.
- Jensen, qual o motivo desse seu silêncio? Donna perguntava e Sharon logo se intrometia.
- Henri, como estão as coisas na Universidade daqui? Digo, você sempre deu aula em escola ,e ir assim para uma Universidade, deve ser bem diferente...

- É bom que assim, você e meu filho vão poder passar algum tempo juntos, e se conhecerem, adoraria ver a amizade entre vocês. Donna dizia na inocência.
- Ashley, por que você não conta um pouco sobre quando morou fora? Sharon se intrometia novamente, temendo alguma reação indesejada.
- Ashley, você já morou fora? Donna dizia surpresa. - Onde foi?
- Em Londres, foi uma experiência boa, devida as circunstâncias.
- Circunstâncias?  Donna dizia interessada.
- Meu Pai Faleceu e Eu e minha Mãe achamos melhor nos mudar, colocar a mente no lugar em um novo lugar...
- Ai querida, sinto muito.
- Tudo bem. Sorria. - Mas morar em Londres foi bom, conhecer outra cultura, o sotaque britânico. Imitava, fazendo todos gargalharem, quer dizer, todos menos Jensen, que estava apático. - Lugares incríveis, restaurantes, galerias de arte,nossa, é uma cidade com uma cultura tão viva e rica.
- Ouvi dizer que os homens de  lá são bastante infiéis. Jensen dizia ironicamente. - Acho que até escutei a conversa de alguém que disse que levou seu primeiro chifre lá.
- Eeerrr. Ash ficava sem reação, se lembrando de Alex.
- Ash, você também já viajou para Paris,certo? Jared intervinha ao perceber todos se olharem com cara de paisagem.
- Já sim. Dizia sem graça. - Mas acho melhor eu não ficar falando apenas sobre minhas viagens, não quero parecer egocêntrica.
- Que isso querida, eu adoro escutar historias das pessoas, essas historias de viagens são tão ótimas para ouvir. Donna dizia sorrindo.
- Sabe, Paris de fato deve ser uma cidade apaixonante. Jensen se intrometia novamente. - Principalmente para ir acompanhado de alguém que você ame, Uma pessoa íntegra, sincera, que não minta. Olhava para Ash. - Mas como as mulheres adoram ser vadias...
- Jensen. Donna se levantava, jogando o guardanapo em cima da mesa. - Que modos são esses? Não foi essa a educação que eu lhe dei.
- Quer saber. Se levantava também. - Esse jantar para mim já deu, melhor eu ir dormir antes que eu fale coisas piores. Saía dali rapidamente.
- Desculpem por isso, Jensen anda meio estressado ultimamente. Jared olhava para sua mãe, que ficava de boca aberta com a cena.
- A Culpa é minha. Ash olhava para baixo.
- De maneira alguma Ash. Donna sorria.
- Talvez você devesse falar com ele lá em cima. Jared dava a ideia.
- Posso Henri? Olhava para Ele.
- Claro.Vai lá.
- Licença. Ash saía dali e logo subia as escadas, caminhando até a porta do quarto de Jensen, que estava fechada.




Quarto Jensen


- O que você quer? Abria a porta, vendo Ash com um olhar triste.
- Será que pelo menos hoje você poderia agir naturalmente?
- Se naturalmente para você significa fingir que tudo está bem, não, eu não posso. Caminhava até a janela de seu quarto.
- Sabe, eu não iria vir aqui hoje, apenas aceitei por que sua Mãe disse que ficaria sentida caso o Henri não viesse. Caminhava até ele. - Eu eu achei que você não iria fazer nada no impulso, principalmente por respeito a sua Mãe, que não merece escutar esse tipo de coisa.
- Desculpe se eu te desapontei. Sorria ironicamente. - Mas não é todo mundo que consegue fingir tão bem feito você. Olhava nos olhos dela. - Não é fácil olhar para você e fingir que tudo está bem, quando não está.
- Me desculpe. Olhava nos olhos dele. - Mas tinha que ser assim, não tinha outro jeito.
- Você fala como se alguém estivesse colocado uma arma em sua cabeça e te obrigado a terminar tudo.
- Eu nunca quis te fazer sofrer. Acariciava a face dele.
- Então me pare se você não quiser eu eu te beije. Jensen se aproximava dela, olhando-a nos olhos, quase encostando seus lábios junto dos dela.

Share this article :

1 comentários:

  1. Ai, amei o Capítulo, como sempre.

    Essa duvida do que vestir é terrível, ngm merece.

    Lav adooora humilhar tudo e todos. kkkkkkkkkkkk, por um lado é engraçado, por outro, dá dó.

    Rindo muito da cena da Nick e Misha mais Gerth, Gente, sério, que ideia maravilhosa colocar ela na Fic. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Por isso Ash tava insegura, vai conhecer a Sogra. hehe

    Molly na cadeia, não perde a pode meiiiismo.

    Ash e Henri namorando de novo, Gosto dos dois, maaaas.

    Gente, a Mente da ri é a pior ever. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Morri com as suposições dela. kkkkkkkkkkkkk

    E essa jantar, a mãe do Jen é muito inocente coitado, Sharon tentando contornar a situação.

    Lav foi infernizar no Grill argh, mas bem feito, escutou o que não quis. kkkkkkkkkkkkkkkkk amo.

    Nossa, que cena final foi essa? torcendo pelo beijo *---*
    Como sempre Laura, arrazou no capítulo, já ansiosa pela continuação.

    ResponderExcluir

 
Support : Your Link | Your Link | Your Link
Copyright © 2013. Supernatural Family | Here's Your Family. - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger