Home » » Kill All The Secrets - Capítulo 2.12 - " You Didn't Expect For This "

Kill All The Secrets - Capítulo 2.12 - " You Didn't Expect For This "





Nome: Kill All The Secrets (Mate Todos Os Segredos).

Número de Temporadas: 3.

Capítulo:   2.12 - " You Didn't Expect For This "

Classificação : 16 + - Contem cenas de violência,mortes,sexo,insinuações...

Gênero : Drama,Comédia,Mistério...

Autora: Laura.

Personagens: Ashley (Principal) Brittany (Principal) Nickole (Principal) Lavínia (Vilã) Molly (Coadjuvante) Henri (Principal) Jensen (Principal ) Jared (Principal) Misha (Principal) Ben (Secundário) Chad (Coadjuvante) Lilly (Secundário) Cecy (Secundário) Rene (Secundário) Annie (Secundário) ....

Sinopse: Após os últimos acontecimentos, Ashley, Nickole e Brittany, tem suas vidas viradas de cabeça para baixo, principalmente por terem testemunhado a morte de Lavínia, da qual agora são suspeitas. Como se não bastasse os problemas com a justiça, Ash se vê de frente com seu antigo amor, que volta disposto a tê-la de volta, Jensen sente que Ash está um pouco distante, isso o deixa inseguro, se deparando com uma situação onde as decisões não dependem apenas dele. Nick se sente vazia diante de todos os acontecimentos, principalmente em seu termino com Jared, a Chegada de Misha talvez possa mudar isso, ou apenas complicar tudo ainda mais. Bri como sempre prefere viver em seu mundo onde tudo gira em torno de homens, não que isso seja uma má ideia... Molly tenta usufruir dos bens de Lav, mas não esperava por uma surpresa nada agradável. O trio de amigas no final do primeiro capítulo, se veem de frente com algo que poderia ser julgado impossível de acontecer, quem é ela ? o que ela quer? A última pergunta eu posso responder, brincar com as "culpadas" da morte de Lav.

Considerações: Quando tiver o player nas cenas serão as músicas das cenas,acho que não tem necessidade de ficar colocando toda hora "música da cena",mas como este é o primeiro capítulo tudo Ok.Ainda Sobre as músicas,quando uma cena não tiver música,aproveite a música da cena passada (Até a cena que tiver um novo player),por que eu escolho as músicas pensando nisso.
Onde estiver Look (Exemplo,Look Ashley,Look Das garotas),vocês podem clicar para visualizarem a roupa dos personagens e os Personagens. Quando estiver Casa da Ashley,carro,escola,podem clicar para visualizarem o local onde a cena ocorreu !!!!

.........................................................................................................................................




2.12 - " You Didn't Expect For This "
"Vocês Não Esperavam Por Isso"


- Desculpe se eu te desapontei. Sorria ironicamente. - Mas não é todo mundo que consegue fingir tão bem feito você. Olhava nos olhos dela. - Não é fácil olhar para você e fingir que tudo está bem, quando não está.
- Me desculpe. Olhava nos olhos dele. - Mas tinha que ser assim, não tinha outro jeito.
- Você fala como se alguém estivesse colocando uma arma em sua cabeça e te obrigado a terminar tudo.
- Eu nunca quis te fazer sofrer. Acariciava a face dele.
- Então me pare se você não quiser eu eu te beije. Jensen se aproximava dela, olhando-a nos olhos, quase encostando seus lábios junto dos dela.
- Jensen. Ash colocava sua mão direita no peitoral dele, impedindo-o de iniciar um beijo.
- Por que você faz isso? Continuava a olhando.
- Por que ninguém merece isso, você não merece e não é justo com o Henri.
- Sabe, eu me sinto um idiota, correndo atrás de algo que não merece esse esforço.
- Eu... Começava a deixar algumas lágrimas cair por sua face.
- Sabe, já ficou claro para mim que você gosta desse tipo de jogos, de brincar, de seduzir... A olhava ironicamente.
- É melhor eu ir. Caminhava em direção a porta.
- Espero que algum dia você perceba que isso não se faz com ninguém, nem com seu pior inimigo. Dizia fazendo-a se virar.
- Se você soubesse como me dói fazer isso. Começava a chorar.
- Quer saber. Alterava o seu tom de voz. - Vá embora, saia do meu quarto. Dizia, embora Ash permanecesse parada no mesmo lugar,chorando. - Eu pedi para você sair. Gritava. - Vá embora. Continuava gritando


Relembrando:
Look Ash - Look Henri -  Look Jensen - Look Jared  -  Look Donna - Look Sharon  Quarto Jensen


- Por que o Jensen está gritando? Donna se assustava.
- Fiquem aqui que eu vou lá ver. Jared se levantava da mesa rapidamente, e logo subia as escadas.
- Eu vou ver o que aconteceu com a Ash. Henri saia atrás de Jared.
- Por que o Jensen está estranho? Donna olhava para Sharon. - É como se a presença da Ash o incomodasse.
- Bom...Sharon desconversava.
- Você sabe o motivo desse clima estranho?
- O Jared me contou,e me fez prometer segredo.
- Sharon,pode ir me contando tudo, se tem algo acontecendo eu tenho o direito de saber.
- Donna minha amiga, se eu te contar, o Jensen não vai gostar.
- Sharon, ele é meu filho, eu me preocupo com Ele, é mais do que justo eu saber.
- Ok. Passava a mão pelo rosto. - Lembra aquele dia que o Jensen te ligou e disse que iria pedir a mão de uma garota em namoro?
- Sim, mas quando toco nesse assunto ele desconversa, ou diz que não era nada sério.
- Acontece que ele pediu a Mão dela em namoro e por algum motivo desconhecido, Ela recusou.
- E o que isso tem a ver com o que está acontecendo agora?
- Tem que essa mulher, é a Ashley. Dizia um pouco preocupada.
- Oh My God. Donna se espantava. - Ela? Mas por que ela fez isso com meu filho?
- Nem o Jared sabe, mas eles chegaram a ter um relacionamento, quase um namoro mesmo, por um bom tempo.
- Nossa, que mundo pequeno. Dizia pensativa. - Ashley era a Mulher que o Henri falava quando estava no Texas, que namorou meu filho e que agora está namorando o Henri novamente?
- Como disse para o Jared, que troca troca. Sorria.
- Você poderia ter me dito isso antes, assim evitaria certas situações constrangedoras.
- O Jared só me disse a tarde e me fez prometer segredo.
- E agora? O que agente faz?
- Nada. Mexia em sua comida. - Vamos voltar a jantar e deixar eles resolverem seus problemas.

...

- Senhorita Lavínia. Yvonne chegava até a mesa que ela estava sentada no Grill.
- O que foi estafermo? Olhava com desprezo para ela.
- Que cena foi essa? Por que a Senhora está tão descontrolada?
- Não que seja da sua conta, mas essas vadias me tiram do sério.
- Achei que elas fossem suas amigas.  Se sentava de frente para ela.
- Elas estão bem longe disso, na verdade, elas são minhas inimigas.
- Acho que sendo sua enfermeira, eu tenho a obrigação de saber mais sobre isso, já que Elas podem representar perigo para a Senhora.
- Bom, já que você está tão interessada em saber, irei contar.
- Sou todo ouvidos.
- Bom,  nós nos conhecemos desde sempre, e nunca nós demos muito bem.
- Mas a Senhora deve ter um motivo maior para não gostar delas, sempre tem.
- Não vou dizer que você está errada, mas isso eu não vou contar, você teria que me matar e mesmo assim, não iria descobrir.
- Tudo bem ,mas por que esse clima estranho entre vocês?
- Por que elas tem inveja de mim, querem ser como eu. Se fazia de coitada. - Mas coitadas, nunca vão chegar ao meu nível. Nisso Lav tem razão, nunca chegarão ao seu nível, de maldade.
- A Senhora deveria ficar longe de gente desse tipo.
- Poderia até concordar com isso, mas eu não nasci para me fazer de vítima, eu devolvo tudo na mesma moeda, quer dizer, eu devolvo tudo em dobro.

- Essas duas, tem uma amiguinha chamada Ashley, que já namorou o professor por notas e como se não bastasse, depois de um tempo se relacionou com o Jensen, o homem que eu já havia escolhido, que por coincidência, é professor também.
- E ela se relacionou com esse Jensen por notas também?
- Não ficaria surpresa.
- Sabe que eu admiro a coragem e força que a Senhora Tem. Yvonne olhava para ela. - Digo, a Senhora ficou trancada em um porão, perdeu o movimento das pernas, perdeu os Pais cedo e ainda sim está firme e forte.
- É por que você não sabe como é bom olhar na cara dessa gentalha fracassada e mostrar que você venceu, quando todos acharam que seria seu fim. Fazer uma entrada triunfal, chocar as pessoas e depois rir da cara de cada uma delas, não tem nada melhor do que isso. Gargalhava. - Quer dizer, matar pode ser muito melhor do que isso.
- Oh My God. Yvonne se assustava. - A Senhora teria coragem de matar?
- Não ouse me testar Yvonne. Olhava cinicamente para ela. - Tem tantas coisas sobre mim que você não sabe.
- Isso me deu medo. Dizia impressionada.
- Pelo menos você é uma pessoa esperta. Olhava para ela. - Anda, vamos embora daqui, esse lugar já deu, preciso descansar minha beleza, por que logo cedo já tenho planos. Exibia seu olhar maléfico.



Relembrando:  Look Lav  -  Grill  - Look Yvonne
....




- Jensen, o que está acontecendo? Que gritaria é essa? Jared entrava no quarto do amigo.
- Foi uma péssima ideia eu ter vindo aqui. Ash o olhava e logo se virava.
- Me desculpe. Jensen a segurava pelo braço, fazendo-a se virar.
- Quer saber, eu posso ter feito o fiz e você pode me acusar do que quiser, mas isso não lhe dá o direito de aumentar a voz comigo. Ash retorcia o braço, fazendo Jensen soltá-la.
- Eu sei. Olhava para baixo, deixando algumas lágrimas cair.
- Ash. Henri entrava no quarto. - Tudo bem com você? A virava para si.
- Yeah. Olhava para Jensen. - Vamos embora, essa noite já deu o que tinha que dar.
- Só mais uma coisa. Henri olhava para Jensen. - Da próxima vez que eu escutar você aumentar a sua voz para minha namorada, eu vou vim defende-la do jeito que ela merece. Saíam dali.
- Jensen, qual foi o motivo dessa briga? Jared se aproximava dele.
- Não Sei. Lágrimas continuavam caindo pela sua face. - Eu não sei de mais nada, em um momento sinto ela próxima de mim e do nada, ela se distância.
- Você não deveria ter gritado com ela, sua Mãe está lá embaixo horrorizada.
-  Depois eu vou falar com ela e pedir desculpas.
- Sabe, você precisa deixar a Ash seguir o caminho dela, você não pode ficar exaltado toda vez que a Vê, isso só irá te fazer mal.
- Sério Jared? Você querendo me dar esse conselho? Sendo que até hoje você pensa na Nick?
- Não, Não, Não... Sorria de lado. - Eu posso gostar dela ainda, mas eu não a persigo, eu não fico brigando com aquele Padre que ela anda se relacionando.
- Me desculpe por dizer isso. Olhava para baixo. - É difícil para mim deixá-la ir, por que é um sentimento tão forte, é aquela velha história " Tudo o que você quer, é tudo que você nunca terá".
- Então não deixe esse sentimento bonito que você sente pela Ash te destruir, siga em frente sem ela, não se perca no meio do caminho, não se torne uma pessoa amarga.
- Tanto faz, eu já estou perdido mesmo. Olhava para o amigo. - Por que eu fui me apaixonar pela garota errada?

- Eles estão descendo. Sharon via Ash e Henri desceram as escadas.
- Ashley querida. Donna se levantava da mesa, caminhando até ela. - Está tudo bem?
- Está. A olhava um pouco envergonhada. - Eu acho que já vou, foi um enorme prazer conhecê-la. A abraçava.
- É uma pena que a noite tenha terminado dessa maneira. Dizia perto do ouvido dela. - Eu adorei conhecer você também, foi uma noite muita agradável.
-  Thanks. Sorria timidamente.
- Donna. Henri a abraçava também. - Foi um enorme prazer revê-la, assim que você voltar para Dallas, diga a minha Mãe que mandei um beijo e que está tudo bem por aqui.
- Foi um grande prazer revê-lo também, pode deixar que eu digo sim. Sorria. - Espero que vocês apareçam no Texas qualquer dia desses.
- Quando você menos esperar nós iremos aparecer por lá. Sorria.
- Sharon. Ash se aproximava dela. - Eu já vou indo, foi um prazer conhecer a Senhora.
- Digo o mesmo Ashley, espero que tenha gostado do jantar, mesmo terminando desse jeito.
- Eu adorei sim. Sorria.


- Sharon, saiba que Eu não esqueci sua promessa. Henri se aproximava dela.
- A torta de chocolate suíço. Sharon dizia rindo. - Pode deixar, que da próxima vez que você aparecer em Dallas, eu farei uma especialmente para você.
- Thank You. Sorria para ela.- Bom, foi um prazer vê-la novamente.
- Digo o mesmo Henri.
- Vocês pretendem ficar até quando na cidade?
- Só mais amanhã Henri e depois voltamos. Donna se aproximava.
- Então no caso de não vê-las novamente, tenham um boa viagem. Henri abraçava Donna.
- Boa viagem Sharon e desculpe qualquer coisa. Ash a abraçava.
- Que isso querida, eu que peço desculpas em nome do Jensen.
- Vamos Ash? Henri a abraçava.
- Vamos.
- Deixe que eu acompanho vocês até a porta. Donna dizia, caminhando até a porta, abrindo-a, Sharon vinha logo atrás.
- Boa Noite para vocês. A mãe de Jared sorria.
- Boa Noite para vocês também. Ash e Henri diziam juntos.
....

- Lucy, quem é aquela que está me encarando? Molly dizia olhando pela porta de sua cela.
- Onde? Se levantava da cama, olhando para onde Molly apontava.
- Oh No. Dizia preocupada.
- O que foi?
- Apenas, fique longe dela.
- Como?
- Molly, não olhe para ela, não a encare,não fale nada perto dela.
- Por que? O que essa cara de caminhoneira pode fazer?
- A Samara pode fazer tudo, ela manda e desmanda nesse presídio.
- Ooohhh!!! Molly dizia desapontada. - Eu acho que ela não gostou muito de mim.
- Molly, não brinque com isso, ela manda e desmanda em todas as detentas, a última que recusou a fazer o que ela queria, teve convulsão de tanto apanhar.
- What?
- Ai Deus, eu sei que vou me arrepender de fazer isso. Se sentava em sua cama.
- Pode ir falando o que você sabe. Molly percebia o jeito aflito de Lucy.
- Na hora do Jantar, chegou a meus ouvidos que Ela planeja te surrar.
- OMG!!! O que eu fiz para ela?
- Lei da prisão, aqui ninguém precisa de motivos para não ir com sua cara e querer te bater.
- E agora? Como eu me defendo?
- Nem pense em contar para alguma carcereira ou para o diretor, vai ser pior.
- Quer saber. Molly olhava para Samara cinicamente. - Eu convivi com gente pior do que Ela, não vou temer essa sapatona caminhoneira.
- Molly, você predeu o juízo?
- Não, estou mais lúcida do que nunca e acabei de ter uma ideia. Gargalhava.
- Que ideia?
- Eu serei a nova rainha desse pardieiro.
- Como você vai conseguir isso?
- Já tenho uma ideia na minha mente, mas antes, preciso que você me conte tudo sobre Samarão. Gargalhava.
- Mulher de Deus,o que você vai aprontar? Já percebeu que está grávida?
- Sim e por isso mesmo irei destronar Samarão. Molly ria descaradamente, olhando pela porta, deixando Samara irritada.


Cadeia - Lucy
....


- Jensen. Donna o avistava descer as escadas, Jared vinha logo atrás. - Está tudo bem? Dizia receosa.
- Por que não estaria? Forçava um sorriso.
- Por que você tratou a Ash daquela forma? O via se sentar ao seu lado.
- Por que ela não é o que aparenta ser.
- Coração de Mãe nunca se engana, eu sei que ela é tudo o que aparenta sim.
- Podemos esquecer esse incidente de hoje e mudar de assunto?
- Se é isso que você quer.
- Jared, eu e a Donna estávamos pensando. Pegava nas mãos do filho, sorrindo. - Acho que vamos ficar em East St. Louise até amanhã.
- Por que vocês não ficam o resto da semana?
-  Nós não podemos ficar longe de casa por tanto tempo.
- Que pena. Jensen dizia. - Espero que da próxima vez vocês venham com mais tempo, fiquem mais dias...
- Com certeza vamos sim. Sharon sorria.
- Eu queria mostrar para vocês o local onde trabalhamos, mas acho que não vai dar, certo?
- Eu adoraria conhecer a universidade daqui. Donna sorria. - Nós podemos pegar o voo a noite, assim dá tempo de conhecermos onde vocês trabalham.
- Por mim, tudo bem. Sharon concordava. - Então amanhã irei ao hospital com meu filho.
- Será um prazer mostrar a Senhora o lugar onde eu trabalho.
- Então está combinado. Jensen sorria. - Amanhã a Senhora virá comigo até a universidade. Beijava a mãe no rosto.
- Será um prazer.
- Bom, se vocês me dão licença, eu vou me deitar, estou um pouco cansado. Jensen se levantava do sofá. - Boa Noite para vocês. Saía dali.
- Boa Noite Jensen. Diziam juntos.
- Jared. Donna via o filho se distanciar. - Não minta para mim, até por que sua Mãe foi obrigada a me contar. O que aconteceu no quarto para meu filho se alterar daquele jeito?
- Já que a Senhora sabe, sempre que eles se encontram ambos ficam alterados.
- Ficam alterados por que se amam?
- É o que eu acho.
- Você acha que a Ash é o verdadeiro amor do meu filho?
- Definitivamente.
- Bom Saber. Donna dizia pensativa.


....




- Chegamos. Henri estacionava o carro em frente a casa de Ash.
- Me desculpe pela confusão. Olhava para ele.
- Você não tem que se desculpar por nada, eu sim lhe devo desculpas, deveria ter recusado esse jantar logo quando o convite foi feito.
- Tirando o final do Jantar, até que não foi ruim.
- Really? Jensen com aquela cara estranha, você tentando fazer o jantar dar certo eu com medo de que algo acontecesse. Sorria.
- É, você tem razão, mas eu gostei de conhecer a Donna e Sharon.
- Elas são hilárias, quando eu sofri aquele acidente elas foram de grande ajuda.
- Eu percebi que elas são pessoas simples e eu gosto disso, é raro encontrar pessoas assim.
- Por isso Elas e minha Mãe se tornaram grandes amigas. Olhava para ela. - Você vai adorar conhecer minha Mãe também. A via sorrir. - Qual o motivo desse sorriso?
- É bobeira, algo que passou pela minha mente.
- Ok, me diga o que é.
- Imagina se acontece uma cena dessas quando eu conhecer a sua mãe? Ela vai querer você bem longe de mim. Ash dizia rindo.
- Claro que não, minha Mãe sabe que eu te amo, e ela nunca pediria para eu me afastar de você.
- Se você soubesse como é bom ouvir isso.
- Ash, nunca, nem por um minuto, deixe alguém fazer você se sentir mal, por que você é tão especial.
- Sabe, às vezes eu penso que não sou digna de certas e até acho que tudo de ruim que acontece em minha volta é por erros meus.
- Não diga isso. Henri acariciava a face dela. - Você é digna de tudo que conquistou, isso é um mérito só seu e você não deve se sentir culpada por nada.
- Thanks. Se aproximava dele, iniciando um beijo. - Se estiver tudo bem para você. O olhava nos olhos. - Você pode passar a noite aqui em casa.
- Tem certeza? Sua Mãe? Seu Padrasto?
- Minha mãe mais cedo disse que adoraria conhecê-lo melhor, adoraria que você frequentasse mais minha casa. Abria um sorriso.
- Sua Mãe aprova nossa relação?
- Uhun, Ela nunca teve raiva sua. Descia do carro, Henri ia logo atrás.
- Tem certeza que não tem problema algum eu passar a noite aqui?
- Tenho Henri. Ash o puxava para si, iniciando um beijo enquanto andavam até entrar na casa dos Baltmoore e subir correndo para o quarto de Ash...


....



- Acordem, acordem. A carcereira passava pelo corredor da Penitenciária acordando as detentas. - Hora do café suas preguiçosas.
- E um novo dia começa. Molly se levantava da cama.
- Espero que dê tudo certo com seu plano.
- Vai dar. Olhava Lucy prender o cabelo. - Lucy, acho que não te perguntei ainda o que você fez  para ser presa. Você é diferente das outras, mas calma, educada...
- Tráfico de drogas na Universidade onde eu estudava. Olhava para ela.
- Falta muito para sua pena terminar?
- Um bom tempo ainda.
- Você não tem medo de mim? Digo, depois de saber o que eu fiz para se presa.
- Eu sei que você não fez nada disso, você não faz o estilo de assassina a sangue frio.
- Você acredita em mim? sem ao menos saber a verdadeira historia?
- Já convivi com muito drogado e por isso, sei quando alguém mente.  Olhava Chloe destrancar a cela. - Vamos?
- Obrigada pela confiança Lucy. Passava por Chloe, sorrindo para ela.
- Espera, então era com ela que você estava conversando antes de amanhecer?
- Você escutou a conversa?
- Não, apenas escutei vozes, mas voltei a dormir. Caminhavam até o refeitório. - Ela vai te ajudar em alguma coisa?
- Sim.
- Molly. Lucy olhava para ela, antes de entrarem no refeitório. - Tome cuidado.
- Pode deixar, que eu já lidei com gente pior do que a Samara.
- Ah, depois eu quero saber sobre como armaram para você vir parar aqui.
- Pode deixar que eu te conto. Molly olhava para ela sorrindo.

- E então chefinha, o que vai ser para hoje? Uma das detentas se debruçava na mesa, perto de Samara.
- Já viram que temos carne nova no pedaço? Samara olhava Molly entrar no recinto,sentada de sua mesa.
- Não fui com a cara dela.
- Segundo minhas fontes, a vadiazinha tem dinheiro.
- Mais o que você sabe sobre Ela?
- Ela deixou uma Mulher paralítica depois de a manter em cativeiro, assassinou os Pais dessa mulher e para finalizar, matou o próprio namorado para Ele não a entregar a policia.
- Uau, essa dai é pior do que você, com uma mente bem mais inteligente.
- Ninguém é pior do que mim. Esmagava o pão com suas mãos.


Samara


- Molly. Lucy se sentava de frente para ela. - A Samara não para de te olhar e seja lá o que você for fazer é melhor fazer logo.
- Se acalme mulher.
- OMG, ela está vindo.
- Finalmente a sapatona caiu na armadilha. Gargalhava.
- Como?
- Assim que ela me der o primeiro soco, você chame a Chloe.
- Ai Molly, cuidado, eu já vi a Samara bater em pessoas e não é algo muito agradável.
- Apenas chame a Chloe.
- Ok. Abaixava a cabeça ao ver Samara parar ao lado de Molly, que se levantava.


...

Quarto Ash


- Hey Ash. Henri acariciava a face dela, que dormia em cima de seu peitoral. - Bom Dia.
- Bom Dia. Se espreguiçava olhando para ele, dando um selinho logo em seguida.
- Como é bom poder acordar e ver o seu sorriso logo de manhã.
- Thanks, também é bom ter você ao meu lado. Sorria.
- Ash. Lilly entrava no quarto da filha. - Você está atrasada... Olhava para Henri e logo ficava vermelha. - OMG, me desculpe. Dizia um pouco assustada.
- Bom dia Mãe. Gargalhava da cena.
- Senhora Baltmoore. Henri dizia sem graça. - Me perdoe por passar a noite aqui e não avisar...
- Não, que isso Henri, não tem o que desculpar, eu deveria ter batido antes de entrar.
- Mãe, já que a Senhora está aqui mesmo, eu aceitei o pedido de Namoro do Henri. Esticava o braço, mostrando o anel em seu dedo.
- É lindo. Sorria. - Fico feliz por vocês e desejo felicidades.
- Thanks Senhora Baltmoore.
- Por favor Henri, sem Senhora, pode me chamar de Lilly.
- Ok Lilly, saiba que eu amo muito a sua filha, e Eu jamais vou decepcioná-la.
- Fico feliz em ouvir isso. Sorria. - Antes que eu me esqueça, você sempre será bem vindo nessa casa, a Ash pode te trazer aqui quando quiser.
- Thanks.
- Bom, vou deixar vocês a sós e me desculpe por entrar sem bater.
- Tudo bem Mãe. A via sair.
- Uau, sua Mãe é tão calma, fiquei com medo de alguma situação constrangedora acontecer.
- Minha Mãe é uma Lady, e como já disse, ela apenas quer me ver feliz, ela jamais iria se opor na nossa relação.
- Bom, sem querer ser o chato, acho melhor agente se arrumar, ou vamos chegar atrasados no Campus.
- Ok, me acompanha no banho? Se levantava da cama, vestindo uma bela Lingerie Rosa Escura.
- E precisa perguntar? Se levantava, trajando uma Boxer preta, caminhando logo atrás dela.
- Antes de ir para o Campus. Se virava para trás. - Eu te deixo no seu apartamento, você deve que vai querer se trocar, certo?
- Yeap. Olhava nos olhos dela e se aproximava, iniciando um beijo.


...

Quarto Bri


- Bri. Nick entrava no quarto da amiga.
- Bom Dia para você também. Terminava de se maquiar em frente ao espelho.
- Bom dia. Se sentava na cama dela. - Você teve alguma notícia da Ash? Ou soube algo sobre o jantar?
- Eu liguei para ela mais cedo mais cedo, e a ligação foi para caixa postal.
- Será que ela saiu viva do Jantar? Gargalhava.
- Vai saber. Gargalhava junto. - Sabe, aconteceu algo tão estranho hoje.
- Ihhh, alguém morreu? Nick se preocupava.
- Nope, por que toda notícia agora tem que ser sobre morte?
- Por que, geralmente é. A olhava pelo reflexo do espelho.
- Não, não tem nada a ver com morte.
- Então o que é?
- O Reitor Josh me ligou mais cedo e disse que teve que reconsiderar a vaga que tinha oferecido para o curso de psicologia.
- Por que ele fez isso?
- Ai, ele veio com aquela conversinha fiada de que pensou melhor e viu que isso era errado, que é protecionismo,que não poderia fazer isso e blá, blá, blá.


- E agora?
- Vou continuar trabalhando na Biblioteca, só que agora irei ganhar para isso.
- Bom, isso não é ruim.
- De certa forma, não. Sorria. - Além do mais, eu gosto de ficar na biblioteca, vendo o movimento.
- Eu sei muito bem que tipo de movimento que a Senhorita gosta de ver.
- A das nádegas masculinas, o movimento dos braços, das pernas, do peitoral. Gargalhava.
- Sem contar os dias que você fica pendurada na janela vendo o time de Futebol-Rugby jogar e sem esquecer é claro, dos seus pegas com os alunos.
- Ai como a vida é bela. Gargalhava. - Falando em belo, você falou com o Misha?
- Não, na verdade, eu estou morrendo de vergonha.
- Ai Nick, vou confessar, eu ri a noite toda imaginando a cena da Gerth flagrando vocês. Voltava a gargalhar.
- Não teve graça alguma. Dizia séria. - Já terminou de se arrumar? Olhava ela fechar o estojo de sombras, borrifando  perfume em si. - Podemos ir?
- Sure. Se levantava da cadeira, pegando sua bolsa em cima da cama, saindo dali.


....



- Você perdeu alguma coisa aqui? Molly olhava cinicamente para Samara.
- E se perdi? Isso seria da sua conta?
- Não, desde que você não me toque, vou confessar para você, eu tenho nojo de sapatões carentes.
- Como você se atreve sua Vadia. Aumentava sua voz para ela.
- Samara, por favor a desculpe. Lucy dizia preocupada.
- Lucy, não se meta nisso, você acha que eu tenho medo dessa caminhoneira? Gargalhava. - Samara, se você sair daqui, eu juro que te dou uma pochete de presente, quem sabe eu até consiga uma daquelas Botas de Pedreiro. Gargalhava cinicamente.
- Molly. Lucy se assustava.
- Olha só como ela se acha engraçadinha. Samara dizia, fazendo algumas mulheres que a acompanhavam gargalharem.
- Ai queridinha, eu não sou tão engraçada assim, por que se fosse, estaria em um circo, não aqui, olhando pra essa sua cara de Macho.
- Sabe Molly, eu estou disposta a relevar esses insultos.
- Ah é? Via Lucy sair dali despistadamente. - E posso saber por que?
- Por que eu tenho minhas fontes e sei que você possui dinheiro e eu quero Cinquenta Mil. Samara dizia, fazendo Molly iniciar uma longa gargalhada.
- E você acha que eu vou jogar dinheiro fora com uma Caminhoneira Morta de Fome? Se situe, se você quer pagar alguma prostituta para vir aqui te satisfazer, vá arrumar dinheiro em outro lugar.
- Sua Vadia com cara de sapo. Dava um tapa na cara de Molly, fazendo uma multidão se formar em volta, começando a gritar bem alto " - BRIGA,BRIGA,BRIGA,BRIGA!!!!!!
- Te vejo no inferno, Vadia. Samara colocava suas mãos no pescoço de Molly, começando a sufocá-la.
-  Solte ela Samara. Chloe chegava dando um leve choque em Samara, fazendo a mesma soltar Molly.
- Ai, sua brucutu, o que foi que eu lhe fiz para você vir para cima de mim? Molly fingia um choro.
- Quem começou a Briga?
- Foi ela Chloe, eu não fiz nada. Molly se fazia de coitada.
- Essa ordinária ficou me provocando, me chamando de sapatão...
- Eu? Você ficou maluca? Eu estou grávida, só quero paz.
- Vamos Samara. Uma policial a algemava. - Você vai passar o dia na solitária. Chloe saía dali e dava uma piscadinha para Molly. - Torça para não pegar uma infecção, aquele lugar não tem um pingo de higiene.

...


Chloe
.....

-  Ash, Hi. Bri via a amiga entrar na biblioteca.

- Ué, você não ia começar hoje com seu curso de psicologia? Estranhava.
- Mudança de planos.
- Como assim? Se sentava no braço da poltrona, perto da mesa de Bri.
- O Reitor me ligou mais cedo, dizendo que não poderia fazer isso, que eu teria que prestar vestibular no fim do ano e toda aquela conversa fiada.
- Que pena. Ash entregava um livro para ela.
- Bom, eu não ligo para isso, até por que, agora eles são obrigados a me pagar para trabalhar aqui, já não é mais trabalho voluntário.
- Isso é bom.
- Ash, bom dia. Nick chegava até a biblioteca, guardando seu celular na bolsa.
- Então, falou com o Misha? Bri se interessava.
- Yeah, ele disse que foi um custo se livrar da velha, mas quando as pessoas começaram a chegar, ele conseguiu se livrar dela.
- Meninas, o que aconteceu? Estou totalmente perdida na conversa. Ash gargalhava.
- Sabe aquela velha assanhada chamada Gerth?
- Sim, o que ela tem a ver com essa conversa?
- Ela flagrou o Misha e a Nick beijando, e ficou toda saidinha pro lado dele. Bri se intrometia.
- What?  Ash ria junto de Bri. - Será que eu não posso ficar longe de vocês por uma noite para acontecer uma coisa dessas?
- Vocês riem porque não foi com vocês. Nick bufava.
- OMG, quase já ia me esquecendo. Bri dizia eufórica. - Ash, pode ir contando tudinho sobre o Jantar. Se virava para ela. - Você conheceu a Mãe do Jensen?
- Conheci e ela é um amor de pessoa, a Mãe do Jared também, são duas fofas.
- E a Mãe dele sabe sobre vocês dois?
- Tenho quase certeza que não. Olhava para Nick. - Você iria adorar conhecer a Sharon, ela mostrou fotos do Jared quando mais jovem, tão diferente.
- Imagino. Nick fingia desinteresse, embora quisesse escutar mais e mais.
- Mas o jantar foi assim, normal? Ocorreu tudo bem?
- Bom, o clima estava estranho, Jensen estava com uma cara de poucos amigos, e antes de terminarmos o Jantar, Ele se estressou e acabou fazendo uma cena daquelas.
- Uau, o que ele disse? Nick se interessava.
- Ele jogou uma indireta para mim e saiu da mesa irritado depois da Mãe dele o repreender.
- Que jantar, deveria ter ido.
- E tem mais Bri, depois eu fui conversar com ele, e quase aconteceu um beijo, que eu consegui impedir. Se lembrava. - A pior parte foi ver a mágoa dele, sabe, fez eu me sentir tão mal. Dizia com os olhos brilhando. - Por fim ele começou a gritar, pedindo para eu ir embora dali. Olhava para baixo.
- Mas que noite agitada para todos. Nick dizia.
- Espera. Bri reparava na mão de Ash. - Esse anel? Você e o Henri estão namorando?
- Yeap, agora é oficial, até minha mãe já está sabendo. Sorria. - Henri inclusive, dormiu na minha casa.
- Parabéns. Nick e Bri diziam juntas. - Vocês formam um lindo casal. Nick dizia sorrindo.
- Thanks.
- De novo não. Bri via Lav entrar no recinto.

Look Ash - Look Bri - Look  Nick - Look Lav 


- De novo?
- É, Ash, ela apareceu no Grill ontem. Nick se intrometia.
- Bom dia queridinhas. Lav chegava até elas, sendo empurrada por Yvonne.
- Péssimo dia você quer dizer, por que olhar para sua cara logo cedo.
- Ai Bri, que falta de educação.
- Se poupe de fazer o papel de coitada, o que você veio fazer aqui? Ash era direta.
- Eu vim estudar Jornalismo junto com a Ashley. Lav gargalhava cinicamente.


Share this article :

1 comentários:

  1. Como sempre, capítulo perfeito. Quando agente acha que a Fic vai cair em uma certa rotina, ela fica melhor ainda. Molly com a Samara, ri horrores aqui. kkkkkkkkkkkkkkk

    Lav adora se fazer de coitada, mas é impressão ou a Yvonne já anda desconfiando?

    Essa cena da Ash e do Jensen me fez ficar triste, ai, os dois tem que ficar junto, sorry Henri, gosto de você, mas estou na torcida do Jensen.

    Bri e a biblioteca,um lugar para se ler livros, se tronou outra coisa. kkkkkkkkkkkkkkkk

    Mãe da Ash entrando no quarto, se fosse cmg, estaria deserdada já. kkkkkkkkkkkkkkkk

    Molly armou direitinho para a Samara, nem a prisão dá jeito nela. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Lav estudando na mesma universidade das meninas, MASOQ. agora que a coisa vai ficar boa. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Ansiosa por mais.

    ResponderExcluir

 
Support : Your Link | Your Link | Your Link
Copyright © 2013. Supernatural Family | Here's Your Family. - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger