Home » » Kill All The Secrets - Capítulo 2.19 - " The Ball "

Kill All The Secrets - Capítulo 2.19 - " The Ball "





Nome: Kill All The Secrets (Mate Todos Os Segredos).

Número de Temporadas: 3.

Capítulo: 2.19 - "The Ball"

Classificação : 16 + - Contem cenas de violência,mortes,sexo,insinuações...

Gênero : Drama,Comédia,Mistério...

Autora: Laura.

Personagens: Ashley (Principal) Brittany (Principal) Nickole (Principal) Lavínia (Vilã) Molly (Coadjuvante) Henri (Principal) Jensen (Principal ) Jared (Principal) Misha (Principal) Ben (Secundário) Chad (Coadjuvante) Lilly (Secundário) Cecy (Secundário) Rene (Secundário) Annie (Secundário) ....

Sinopse: Após os últimos acontecimentos, Ashley, Nickole e Brittany, tem suas vidas viradas de cabeça para baixo, principalmente por terem testemunhado a morte de Lavínia, da qual agora são suspeitas. Como se não bastasse os problemas com a justiça, Ash se vê de frente com seu antigo amor, que volta disposto a tê-la de volta, Jensen sente que Ash está um pouco distante, isso o deixa inseguro, se deparando com uma situação onde as decisões não dependem apenas dele. Nick se sente vazia diante de todos os acontecimentos, principalmente em seu termino com Jared, a Chegada de Misha talvez possa mudar isso, ou apenas complicar tudo ainda mais. Bri como sempre prefere viver em seu mundo onde tudo gira em torno de homens, não que isso seja uma má ideia... Molly tenta usufruir dos bens de Lav, mas não esperava por uma surpresa nada agradável. O trio de amigas no final do primeiro capítulo, se veem de frente com algo que poderia ser julgado impossível de acontecer, quem é ela ? o que ela quer? A última pergunta eu posso responder, brincar com as "culpadas" da morte de Lav.

Considerações: Quando tiver o player nas cenas serão as músicas das cenas,acho que não tem necessidade de ficar colocando toda hora "música da cena",mas como este é o primeiro capítulo tudo Ok.Ainda Sobre as músicas,quando uma cena não tiver música,aproveite a música da cena passada (Até a cena que tiver um novo player),por que eu escolho as músicas pensando nisso.
Onde estiver Look (Exemplo,Look Ashley,Look Das garotas),vocês podem clicar para visualizarem a roupa dos personagens e os Personagens. Quando estiver Casa da Ashley,carro,escola,podem clicar para visualizarem o local onde a cena ocorreu !!!!

.........................................................................................................................................



2.19 - " The Ball "
"O Baile"





- Ash, o que você faz chorando em frente ao espelho? Bri entrava no quarto da amiga, vendo a mesma sentada de frente para a penteadeira, vestindo apenas um roupão.
- Nada. Limpava as lágrimas. - Só estava pensando em algumas coisas.
- Que coisas? Colocava seu vestido em cima da cama da amiga.
- Deixa isso pra lá. Ligava o Baby Liss.
- Jensen ou Henri, qual foi o problema dessa vez? Deduzia.
- O Jensen esteve aqui mais cedo.
- E o que aconteceu? Se sentava na beirada da cama.
- Ele veio pedir desculpas por acreditar na Lav. Se virava para a amiga.
- E...
- Ele disse que me ama, que se eu quisesse, nós poderíamos mudar daqui, ter um recomeço.
- OMG Ash, e o que você fez?
- Nada, porque a L.B. mandou uma mensagem daquelas e eu saí sem pensar.
- Ai amiga. Se aproximava dela, iniciando um abraço. - Então você finalmente percebeu que o ama?
- Eu sempre amei. Chorava. - Antes, quando o Henri se foi, eu tinha medo de assumir isso a mim mesma,medo de ser desonesta com o Henri, eu estava tão machucada, achando que ele tinha me deixado... Mas o Jensen fez tudo isso passar, mas ainda sim, eu tinha um certo receio. Quando o Henri voltou, tudo ficou confuso, sabe, fez eu questionar tudo desde que ele se foi. Olhava para Bri.
- E quando você terminou com o Jensen, percebeu que... Bri a completava.
- Eu percebi que é ele quem eu amo, mas eu achei que reatando com o Henri, tudo ficaria mais fácil, que eu poderia esquecer o Jensen. Deixava mais lágrimas cair. - Mas eu não consigo, toda vez que eu vejo ele,toda vez que eu vejo o sorriso dele, parece que meu coração vai sair pela boca.
- Então se arrisque, fique com ele.
- E corredor o risco de perder minha Mãe? Ou vocês?
- Mas você não pode sacrificar sua felicidade assim.
- As vezes é necessário...
- E o Henri? Como ele fica nessa historia?
- Eu não sei. Chorava. - Eu gosto dele, mas como amigo, eu não quero que ele sinta raiva de mim.
- Atrapalho? Nick entrava percebendo o clima.
- Não, na verdade é melhor eu parar de chorar se não vamos nos atrasar. Ash enxugava as lágrimas novamente, desfazendo o coque no cabelo.
- O que aconteceu? Nick olhava para Bri.
- O Jensen esteve aqui e disse que ama a Ash, mas a L.B. como sempre atrapalhou tudo.
- Ooh. Dizia um pouco triste. - Sabe Ash, eu sei como você se sente, presa em algo que parece não ter saída.
- Mais ou menos isso. Olhava para ela pelo espelho.
- Mas Nick, seu caso é bem mais simples, você foi quem complicou ele sozinha, a Ash está sob ameaça. Bri se intrometia e logo colocava uma cadeira ao lado de Ash, começando a se maquiar.
- Eu sei disso. Retirava seu vestido da capa protetora. - E eu sei que deveria ter terminado com o Misha mais cedo, mas eu fiquei com dó depois que ele fez o convite para me levar ao baile.
- Eu não tiro sua razão Nick. Ash abri os cachos de seu cabelo com os dedos. - No seu lugar, eu teria feito a mesma coisa. Enrolava Bob's na franja. - Mas talvez você devesse conversar com ele durante o Baile.
- Eu estava pensando Nisso. Se aproximava do espelho do closet de Ash, começando a fazer sua make. - E caso eu não conseguir conversar com ele no Baile, amanhã, logo cedo eu terei essa conversa.
- Assim espero. Bri repassava rímel nos cílios.


Ash's Bedroom

...


- De hoje em diante, essa duas belezinhas podem ser muito úteis. Lav penteava o cabelo de uma peruca na cor preta,sentada em sua cama. - Nunca se sabe o que nos aguarda. Olhava para uma outra peruca, de cor loiro platinado de tamanho curto. - Deixe eu guardar isso antes que aquela vaca velha gorda da Karl veja. Corria até seu closet, escondendo elas dentro de uma bolsa qualquer.
- Senhorita Lavínia. Karl entrava no quarto da vadia.
- Como você ousa entrar no meu quarto sem bater antes sua múmia? Gritava, se aproximando da mesma.
- É que o motivo é sério.
- Espero que seja, se não... A amedrontava com o olhar.
- Tem um agente federal esperando a Senhora lá em baixo.
- Mais que inferno. Gritava. - O que esse ser nojento quer?
- Não sei, ele disse que o assunto é confidencial e pediu para chamá-la.
- Ok, pode sumir daqui e diga que eu já estou descendo.
- Tudo bem Senhora. Saía correndo dali.


Lav's Home


- O que esse velho insuportável quer aqui? Pegava o hobby de sua camisola, vestindo-o. - Depois agente empurra essas pragas da escada e acham ruim. Saía do quarto sorrindo cinicamente. - Esse agentezinho de quinta que ouse me acusar de algo, eu não vou exitar em... Descia as escadas, entrando na sala. - Agente Donovan, que infelicidade vê-lo novamente. Dizia cinicamente.
- Senhorita Vanderbill. Se levantava do sofá, olhando para ela.
- Vamos direto ao assunto porque eu tenho uma festa para ir, o que o Senhor faz aqui?
- Ok.Via a mesma se sentar no sofá, de frente para si. - Eu estive ligando para o presídio da capital para ter notícias da Molly Mollyart.
- Sim e o que eu tenho a ver com isso? Cruzava as pernas.
- Eu pedi um relatório da estadia da mesma por lá, e para minha surpresa, ela recebeu uma visita sua hoje.
- E o que tem demais nisso?
- Para quem disse no depoimento mais cedo que queria ir ao médico verificar a real condição de sua perna.
- O que você está ensinuando com isso?
- Nada, quero dizer, a Molly pode ter sido  uma laranja na morte da sua Mãe, já que quem lucraria com a morte dela seria você.
- O Senhor está me acusando de ter matado minha mãe? Se levantava ofendida. -  Com que direito você acha que pode fazer isso? Gritava.
- Calma Senhorita Vanderbill, eu apenas estou supondo, você mata sua Mãe, joga a culpa na Molly, que por sinal é sua cúmplice, sim, cúmplice na morte da sua Mãe. Olhava para ela. - Por algum motivo, vocês tem algum desentendimento e ela resolve se vingar, te sequestrando, o que acaba sendo um plano mal executado, porque o Chad descobre e a Molly se vê no direito de matá-lo para tudo dar certo. Dizia pensativo. - Depois de um tempo da Molly ficar presa, ela foge com a ajuda de alguém e o caso todo fica arquivado.
- Ponha-se daqui para fora seu velho caduco. Gritava.
- Calma Senhorita Vanderbill,isso é apenas uma suposição, como eu sou um homem justo, resolvi vir pessoalmente perguntá-la, o que sua pessoa foi fazer no presídio?
- Eu fui ver a Molly, porque mesmo ela tendo matado meus pais e ter feito mal a mim, ela já foi minha amiga, eu precisava enfrentar o medo de vê-la novamente, eu queria ver  se ela talvez tivesse mudado.
- E mudou?
- Não. Fingia tristeza. - Ela continua a mesma malvada de sempre.
- Humm. Dizia pensativo. - E o médico que a Senhora iria visitar?
- Espere só um momento? Lav saía da sala rapidamente e logo subia as escadas, pegando um papel qualquer dentro da gaveta da comoda de seu quarto. - Velho ordinário. Se olhava no espelho. - Eu preciso dar um jeito nele antes que ele descubra tudo... Caminhava até a porta, vendo Agente Donovan se aproximar. - Aqui agente, o atestado comprovando que eu fui no médico, eu apenas aproveitei minha ida na capital para ver como a Molly estava. Entregava o papel para ele.
- Aqui diz que uma descarga de adrenalina fez seu cérebro ativar o movimento dessa região... Lia o parecer.
- Acho que eu mereço um pedido de desculpas pelos insultos que eu escutei.
- Yeah. Entregava o atestado para ela. - Me desculpe Senhorita Vanderbill. Dizia surpreso. - Eu não deveria ter acusado a Senhora.  Saía dali confuso.
- Tenha uma boa noite. Sorria, vendo o mesmo sair de sua casa. - Não pense que só porque o Senhor é um agente federal, que eu não exitaria em matá-lo. Pensava consigo mesma. - Bom, preciso me arrumar para o baile. Entrava em seu quarto gargalhando.

...



- Doutor Gregory? Molly entrava na sala do diretor do presídio. - Achei que era o Diretor que estava me chamando.
- Eu pedi para ele te chamar. Gregory sorria, sentado na cadeira do diretor.
- E onde ele está?
- Foi ver algumas coisas pelo presídio.
- Hum. Se sentava de frente para seu advogado. - O que o Senhor quer comigo?



Relembrando: Look Molly -  Diretoria


- Bom, você deve se lembrar que eu lhe ofereci ajuda para se vingar da Lavínia...
- E eu disse que iria pensar. O completava.
- E o que você decidiu?
- Eu ainda não tinha parado para pensar nisso. Olhava para baixo. - Ela esteve aqui hoje.
- E o que ela veio fazer aqui?
- Tripudiar, dizer que venceu. Dizia com os olhos cheios de lágrimas - Ela começou a contar os detalhes da morte do Chad.
- Uau, eu fico é espantado com a cara de pau dela.
- O Chad sofreu tanto antes de morrer. Começava a chorar. - E tudo por minha culpa.
- Hey, não foi sua culpa. Ficava comovido. - Você poderia usar esse sentimento para vingança.
-  Eu não sei...
- Sabe Molly, dentro de algumas semanas eu vou estar me mudando para a Califórnia, recebi uma ótima proposta de emprego por lá...
- Então aproveite e suma do radar da Lav.
- Você tem certeza que não quer se vingar?
- Não, se você me prometer uma coisa.
- O que você quiser. Sorria.
- Que você sempre que puder vai vir me visitar, sempre que puder vai me ajudar...
- Eu prometo.
- Então considere-se perdoado por ter ajudado a Lav a me condenar. Sorria. - Au. Sentia uma leve contração.
- Está tudo bem? Se preocupava.
- Minha barriga, acho que... Colocava sua mão entre as pernas ao sentir algo líquido encostando em si.
- Chloe. Gregory gritava a  carcereira que estava esperando do lado de fora da sala.
- Sim Senhor. Entrava na sala correndo.
- Eu acho que a Molly. Via a mão dela suja de sangue. - Oh Gosh. Dizia meio zonzo. - Ela está entrando em trabalho de parto. A escutava dar outro grito,dessa vez mais forte.
- OMG. Se preocupava. - Molly, tente ficar calma, respire fundo, que eu vou ligar para a emergência. Saía correndo.
- Espera Chloe. Molly a gritava.
- O que foi. Olhava para trás.
- Eu vou ter esse bebe em East St. Louise, eu prometi ao Pai da criança que iria nascer lá.
- Mas Molly é arriscado você ser transferida assim. Chloe se preocupada.
- Deixe que eu vou pagar uma ambulância particular. Gregory se oferecia. - Molly, eu não vou poder te acompanhar.
- Tudo bem Gregory, a Chole vai comigo.
- Eu preciso avisar o Diretor, porque um policial tem que lhe acompanhar também.  Chloe saía dali.
- Ok, mas ande depressa. Molly tentava controlar sua respiração.


...


- Meninas, vocês estão lindas. Lilly as via descerem a escada.
- Thanks Mommy. Ash se aproximava dela, no sofá. - A Senhora tem certeza que não quer vir?
- O Patrick ainda não chegou e quando chegar vai estar cansado, prefiro ficar se é vocês entendem. Sorria.
- Claro que eu entendo e não tiro a razão da Senhora. Bri se entrometia rapidamente.
- Ok, a Senhora é quem sabe. Ash sorria. - Deve ser o Henri. Escutava a campainha tocar e logo ia abrir a porta.
- Boa Noite. Henri olhava para Ash. - Uau, você está extremamente linda. Entregava um buquê de rosas para ela.
- Thank You. Dava um selinho nele.
- Lilly, Boa Noite. Via a Mãe de Ash se aproximar.
- Boa Noite Henri. Acenava para ele.
- Vamos meninas? Ash as via se aproximar.
- Claro. Diziam juntas, passando por  Ash, caminhando até o carro de Henri.
- Mãe, caso eu não chegar é porque eu estou na casa do Henri.
- Tudo bem querida, boa festa para vocês.
- Thanks. Saía dali de braços dados com Henri parando de frente para o carro dele,que abria a porta de seu automóvel para Ash entrar.
- Awwwnnn. Nick e Bri debochavam.
- Shut Up. Ash se virava para trás sorrindo. - Mudando de assunto, achei que o Misha ia passar aqui para te acompanhar.
- Achamos melhor nos encontrarmos por lá. Nick sorria.
- Será que o Jared vai estar lá? Bri dizia pensativa.
- Melhor eu me virar. Ash temia o nome Jensen ser pronunciado.
- Ah, ele deve acompanhar você sabe. Nick dizia bem baixo. - Sabe que eu estou começando a achar que esse baile não vai ser como esperado?
- Mais um para a coleção de bailes terminados em tragédias. Gargalhava.
- Credo, vira essa boca pra lá. Nick dizia apreensiva. - Apesar que a Lav não vai estar no baile, sem ela, sem confusão...
- Pelo menos isso, acho que dessa vez vamos ficar sem ver a Lav por um bom tempo.
- Também, depois daquela humilhação. Gargalhava.
- Sabe Ash. Henri olhava rapidamente para ela, prestando atenção no transito na entrada do Campus.
- Diga. Olhava sorrindo para ele.
- Lembra do nosso primeiro e único Baile?
- Como esquecer. Sorria timidamente.
- Confesso que achei que talvez nunca teríamos um outro pela frente. Estacionava o carro no estacionamento frontal do campus.
- Bom, aqui estamos. Descia do carro e logo alguns fotógrafos presentes começavam a fotografá-la, uma leve brisa passava por si, jogando seu belo cabelo loiro.
- Senhorita Baltmoore. Henri descia do carro, se aproximando dela, estendendo seu braço para acompanha-la.
- Thanks. Dava um selinho nele.
- Podemos entrar? Aqui fora está um ventinho frio e eu não quero ter que ficar de vela para vocês. Bri descia do carro sorrindo, dando um Up em seus seios.
- Concordo. Nick descia logo em seguida.
- Ok,vamos entrar. Saíam caminhando dali, entrando no campus, indo em direção ao salão de festas.


Look Ash - Look Bri - Look Nick - Look Henri Look Jensen - Look Jared - Baile 


- Sabe que é estranho estar em um lugar onde você não conhece quase ninguém. Jared conversava com Jensen, ambos sentados na mesa, onde o Baile acontecia. - Pior ainda é conhecer alguém e esse alguém estar com a cabeça no mundo da lua. Estralava o dedo para Jensen.
- O que foi? Olhava para ele.
- Sério, você está estranho desde a hora que eu cheguei em casa e agora fica olhando para aquela escada.
- Eu estou esperando alguém chegar.
- Quem? A Lav? Dizia receoso.
- Não, da Lav eu quero distancia.
- Como? Dizia surpreso.
- Eu não te contei sobre a falsa paralisia nas pernas dela? Dava uma boa golada no copo de Whisky perto de si.
- Não. Via o garçom passar, pegando um coquitel qualquer para beber.
- Bom, a Ash desmascarou ela hoje mais cedo na frente de todo mundo, tiveram que ir para a delegacia e tudo mais.
- Uau, nem tenho palavras para descrever a Lav.
- Eu tenho e muitas.
- Bom, pelo menos agora você acredita quando eu te digo que ela é má.
- Admito que fui um idiota acreditando nela. Olhava para a escada, vendo Ash descê-la. - Uau. Admirava a beleza dela.
- Uau mesmo. Jared também olhava.





- É normal as pessoas ficarem olhando assim? Henri olhava para Ash.
- Esse é o preço que se paga por namorar a garota sonho de consumo da cidade. Bri se intrometia.
- Confesso que é estranho isso, todo tipo de festa ou lugares que agente vai as pessoas sempre olham, acho que nunca vou acostumar com isso. Nick dizia.
- Só vocês mesmo. Ash parava no último degrau da escada.
- I Love You. Henri ficava de frente para Ash, iniciando um beijo.
- Nick, Hi. Misha se aproximava. - Bri, wow. Olhava para ela de cima embaixo.
- De terno, que tentação. Bri retribuía o olhar.
- Vocês estão lindas. Dava um selinho em Nick. - Podemos ir para a mesa?
- Acho uma boa ideia. Ash concordava.
- Ok, me sigam. Misha saía na frente, se aproximando da mesa que Jensen e Jared ocupam.
- Oh No. Ash se sentava, ficando de frente para Jensen, que a Olhava sorrindo. - Calma Ash, é apenas um lugar. Dizia para si mesma, retribuindo os olhares de Jensen.
- Você deveria ser mais discreta. Bri se sentava ao lado da amiga,dizendo bem baixinho.
- Ficou tão na cara assim? Dizia apreensiva.
- Uhun. Balançava a cabeça.
- Então você é o Ex padre namorado da Nick. Henri se virava para Misha. - Prazer, Henri. Estendia a mão.
- Sim, prazer, Misha. Apertava a mão dele sorrindo.
- A Ash me contou que você está trabalhando aqui no Campus também, está gostando?
- Bom, de certa forma sim, apesar de conhecer poucas pessoas ainda.
- Bom, no que você precisar, ficarei feliz em ajudar. Henri sorria.
- Thanks. Sorria de volta.
- Bebidas? Um garçom qualquer parava ao lado de Ash.
- Não, eu não estou afim de bebidas alcoolicas, se você tiver algum coquetel apenas de frutas...
- Ok, logo eu trago aqui.
- Meninas. Bri apontava para o Início da escada.
- No Way. Nick e Ash diziam juntas.
- Achei que ela não teria a coragem de vir depois do que aconteceu... Henri olhava para Ash.
- Nem eu. Ash dizia surpresa, percebendo todos olharem a vadia se aproximar.


Look Lav - Look Misha


- É muita cara de Pau. Jensen dizia espantado.
-  Porque ela está se aproximando daqui? Jared via a mesma parar em frente de sua mesa.
- O que você faz aqui? Jensen dizia.
- Ué, até onde sei eu estudo aqui e tenho todo direito de vir. Sorria. - Ash queridinha, queria lhe agradecer, graças a seu estímulo, minhas pernas estão funcionando perfeitamente. Lav acenava para ela, percebendo que mais gente a recriminava com o Olhar.
- Não vou perder meu tempo com você. Ash olhava para ela.
- Quer saber. Lav aumentava o tom de sua voz. - Vocês deveriam se preocupar com suas vidas, se eu estou andando agora, é por milagre de Deus e se ele quis assim, quem são vocês para dizerem algo, bando de mortos de fome.
- Falsa. Nick dizia.
- Você disse alguma coisa querida? Olhava para ela.
- Disse, te chamei de falsa, algum problema? Debochava.
- Não sou eu quem fica, ou pelo menos ficava fazendo coisas na Igreja, com um Padre.
- OMG. Nick olhava para baixo envergonhada.
- Acho melhor assim. Lav se sentava na mesa de Jensen, ao lado do mesmo. - Acho que vocês não vão se importar se eu me sentar aqui certo?
- Awesome. Jensen ironizava, arrematando o resto de Whisly de seu copo.
- Meninas. Bri via o Reitor fazer sinal para ela do palco. - Eu preciso ir ajudar a Diretora Do Orfanato no Discurso que ela irá fazer, já volto. Saía rapidamente dali.
- Ok, boa sorte. Ash sorria.
- Nick. Misha dizia perto do ouvido dela. - Você se importa se eu for no banheiro?
- Misha. Ela sorria. - Claro que não.
- Ok, já volto. Saía dali rapidamente, seguindo o mesmo caminho de Bri.

- Brittany. Reitor Josh a via se aproximar.
- Sim. Parava de frente para ele, atrás da cortina do palco.
- Bom, teria como você ficar aqui para Ajudar a Diretora Joana no discurso que ela vai fazer?
- Claro que sim, o que eu tenho que fazer?
- Assim que ela pedir, aperte o Play no vídeo. Entregava o controle para ela.
- Ok.
- Depois que terminar, você pode voltar para seu lugar e curtir o baile.
- Tudo Bem Senhor Josh.
- Com sua licença, preciso ir verificar outras coisas, até logo.
- Até. O via se distanciar. - Isso porque eu queria ver se ia terminar em barraco a Lav sentando perto da Ash. Gargalhava e logo via Misha se aproximar. - O que você você faz aqui? Dizia surpresa.
- Não sei. Dizia um pouco aéreo.
- Você não pode ficar aqui. Parava de frente para ela.
- Porque não?
- Porque eu só estou aqui para ajudar a Diretora da Instituição de Caridade.
- Ajudar com o que?
- Ela vai fazer um discurso e depois vai mostrar um vídeo. Olhava para ele. - Eu só vou ficar aqui para caso algo saia fora do controle.
- Hum. Olhava fixamente para ela.
- E então, o que você faz aqui? Perguntava novamente.

- Isso. Se aproximava dela, iniciando um beijo, começando a deslizar suas mãos pelo corpo de Bri...
- Wait. Bri olhava para ele. - E a Nick?
- Eu acho que ela não gosta de mim e meu encanto por ela já se passou. Voltava a beijá-la.
- Mas ela é minha amiga, isso não é certo. Parava o beijo novamente.
- É, você tem razão, me desculpe. A soltava.
- Quer saber, não, agora você vai terminar o que começou. Bri o puxava para si, começando a beijá-lo fogosamente.



- Misha. Bri acenava para ele.
- Hã? What? Olhava assustado para ela, percebendo que o beijo não havia acontecido.
- No que você estava pensando? Parecia estar em outro mundo.

- Nick. Ash olhava para a amiga. - Para Onde o Misha foi?
- No Banheiro.
- Humm. Dizia pensativa. - Achei que ele tinha ido atrás da Bri.
- Porque ele iria atrás da Bri? Sorria um pouco pensativa.
- Não, por nada. Olhava para Henri, que a chamava.
- Ash, está tudo bem com você? Olhava para ela.
- Sim, porque a pergunta.
- Nada, deixa pra lá...
- Ok. Ash via a Diretora do orfanato sair da mesa onde estava sentada e subir no Palco,para começar o discurso .

- Boa Noite a Todos. A diretora do orfanato começava seu discurso. - Bom, como vocês sabem, todos os anos a Universidade de East St. Louise organiza um Baile destinado a Caridade, onde todo o Dinheiro arrecadado vai para a organização escolhida e este ano, o Orfanato " St. Louise " foi escolhido para receber essa doação, e eu, como Diretora dele, gostaria primeiramente de agradecer ao Reitor Josh. Apontava o mesmo sentado na mesa com sua família. - Por esse gesto, em segundo, gostaria de agradecer a Deus, porque só ele sabe como é difícil manter uma instituição sem fins lucrativos. Sorria. - E em terceiro, gostaria de agradecer a todos vocês que estão contribuindo com doações durante esse baile. Acho que eu poderia ficar horas e horas falando sobre o trabalho que nossa instituição faz, mas resolvi preparar um Vídeo, onde mostra melhor a Rotina das crianças, nossas instalações, enfim, quero mostrar um pouco mais do nosso trabalho na cidade. Diretora Joana puxava a corda, levantando a cortina, exibindo o Telão e Duas pessoas se beijando, melhor dizendo, Misha e Bri.
- OMG. Joana se assustava e logo um enorme falatório começava.




- What? Nick ficava espantada.
- Mais os dois não estavam namorando? Henri perguntava para Ash,apontando Nick.
- Longa historia e complicada. Dizia rapidamente e logo olhava para Nick. - Como você está se sentindo sobre isso?
- Não sei, acho que nada. Sorria sem graça. - Será que eles estavam tendo um caso nas minhas costas?
- Não, a Bri jamais faria isso.
- Mas...
- Eu vou lá ajudar ela. Ash saía dali correndo.

- Gente, ela estava tendo um caso com um Padre, eu já os vi dentro da Igreja. Lav gritava, inventando o boato,fazendo o falatório aumentar ainda mais. - Depois é chamada de Piranha e não gosta. Gargalhava. - OMG. Gritava histericamente ao ver um vídeo de Misha e Bri se beijando no hospital ser passado no telão. - Está vendo do que você se livrou Jared? Poderia pegar sabe-se Deus lá o que.
- Porque você tem que ser assim? Tão desagradável? Jensen se intrometia.
- Ai queridinho, vai defender a Vadia também? Olhava cinicamente para ele. - Ah, espera,  você já defende uma, que atende pelo nome de Ashley de sobrenome Baltmoore.
- Cala essa sua boca. Jensen se levantava da mesa. - A única Piranha que eu vejo aqui é você.
- Como você ousa seu grosso. Gritava também. - Volte aqui. O via sair da mesa. - Eu ainda não terminei.
- Pois eu já. Seguia pelo mesmo caminho que Ash.

- Bri. Ash se aproximava da amiga. - Como você está?
- Não se preocupe, vai ser preciso mais do que esse escândalo de quinta para fazer eu cair. Jogava o cabelo.
- Tem certeza?
- Claro.
- A Nick viu isso? Misha perguntava receoso para Ash.
- Impossível não ter visto. Gargalhava. - E você, por ser Padre, achava que era mais santinho, inocente, mas de santo não tem nada.
- Sorry. Misha dizia um pouco envergonhado. - Ela está chateada?
- Não sei, a Nick é meio imprevisível... - Acho melhor vocês conversarem...
- Ok. Olhava para ela. - E esse vídeo? Como isso foi parar no telão? Misha dizia confuso.
- Alguém que não gosta da Bri deve ter gravado.
- L.B.? Bri gesticulava para a amiga, que confirmava balançando a cabeça. - Bom, vou até o Toalete retocar minha Make, alguém me acompanha?
- Acho melhor você ir sozinha. Ash dizia.
- Ok então. Saía rebolando dali.
- Eu vou procurar a Nick. Misha via Jensen se aproximar. - Até depois. Saía dali.
- Até. Dava um tchauzinho para Ele. - Jensen. Ash sorria para ele.

- OMG. Nick dizia depois de ver o vídeo no telão.
- De onde saiu isso? Henri olhava para ela.
- Teve uma época que eu e a Bri estávamos brigando e ela beijou o Misha para se " Vingar", esse vídeo deve ser desse dia.
- E quem gravou isso.
- Eu não sei. Dizia pensativa e logo via Lav sorrir cinicamente.
- A Ash já me falou sobre algumas coisas que ela fez. Olhava despistadamente para Lav. - Será que foi ela?
- Eu não duvidaria. Dizia pensativa. - Mas...
- Mas o que?
- Ela esteve aqui o tempo todo, não teria como ela trocar os vídeos... Começava a pensar consigo mesma.
- OMG, ela não é a L.B. Olhava para o lado e via Jared assustado ao conversar no celular.





- Você está extremamente linda. Olhava apaixonadamente para Ash.
- Thank You. Olhava para baixo. - Achei que você estivesse brigado com a Lav. Dizia um pouco incomodada.
- E eu estou, só não expulsei ela da minha mesa para evitar alguma briga, afinal, estou no meu local de trabalho.
- É, você tem razão.

- Sabe, eu não consigo tirar você da minha mente, principalmente depois do que aconteceu mais cedo.
- Eu achei que você iria ficar chateado. Olhava nos olhos dele.
- Eu já disse, eu não vou desistir de você.
- Mas Jensen, nós não podemos ficar juntos.
- Me diz o porque... Pegava nas mãos dela.
- Porque é perigoso, envolve tantas outras coisas...
- Você fala de uma maneira tão supérflua, acho que eu mereço uma explicação melhor...
- Eu sei que você merece, mas eu não posso dizer nada,tudo que eu estou fazendo é para proteger quem eu amo.
- Você me ama? Olhava nos olhos dela.


- Eu não vou negar mais. Dizia com os olhos cheios de lágrimas. - I Love You. Começava a deixar algumas lágrimas cair.
- Eu amo cada sorriso que você dá para mim, amo cada olhar que você direciona para mim, amo quando você quer me proteger, amo sua bondade, amo seu jeito, amo quando você fica com ciúmes, porque eu percebe que mesmo depois do que eu fiz, você ainda me ama, Eu amo você com todas as minhas forças. Olhava dentro dos olhos verdes dele. - Se você soubesse o quanto me dói te ver sofrendo, o quanto dói querer estar com você e não poder,se você soubesse as vezes que eu chorei antes de dormir por você, eu juro que nunca quis te fazer mal, eu só estou protegendo você, a Bri, Nick, Minha Mãe... Continuava chorando.


- Você não sabe como é bom ouvir essas palavras e como eu sonhei com elas. Limpava as lágrimas de Ash, logo depositando suas mãos na cintura dela, puxando-a para si, a olhando intensamente nos olhos, aproximando seus lábios dos dela, começando um beijo. Ash simplesmente correspondia, aproveitando cada instante do beijo, sentindo o mundo em sua volta parar, ou melhor, sentindo o mundo em sua volta não ter importância alguma,sentindo a segurança de estar nos braços do homem que ama,sentindo aquele arrepio que passa pela espinha e você sente no corpo todo...
- Jensen. Depositava suas mãos no peitoral dele, olhando-o nos olhos. - Nós não podemos.

- Me conte o que está acontecendo e deixa eu te ajudar, Eu sei que posso.
- Eu queria tanto aceitar a sua ajuda, pena que... Escutava o celular dele tocar. - Acho melhor você atender... Dizia meio aérea.
- Ok. Retirava o celular do bolso de sua calça, atendendo a ligação. -  Jared? Dizia surpreso.
- Jensen, você não sabe o que aconteceu.
- Onde você está?
- Chegando no Hospital.
- Como?
- Eu recebi uma ligação do hospital dizendo que a Molly estava aqui...

- Wait. Dizia pensativo. - Seu filho?
- Yeah, a Molly está a caminho da sala de cirurgia, meu filho está prestes a nascer.
- Uau, eu já estou indo para o hospital. Encerrava a ligação.
- O filho do Jared nasceu? Ash dizia surpresa.
- Ainda não, mas a Molly está no hospital prestes a dar a luz.
- Uau, acho melhor irmos para o hospital então...
- Quer ir comigo?
- Eu vou avisar a Nick e já vou para lá...
- Ok, até depois. Saía dali sorrindo,Ash ia logo em seguida, voltando para sua mesa, encontrando apenas Henri, Bri e Misha.
- Você demorou. Henri se levantava de sua mesa, tendo beijar Ash, que se esquivava.
- O Banheiro estava lotado. Sorria sem jeito. - Cadê a Nick?
- Foi para o Hospital com o Jared. Bri se intrometia.
- Hospital? Fingia não saber do assunto.
- Ligaram para o Jared do Hospital e a Nick escutou. Henri dizia. - Ai ela resolveu ir acompanhar ele...
- Nós devemos ir para lá também, o Jared é nosso amigo. Ash dizia.
- Acho melhor eu não ir, vai que a Nick... Bri dizia sem jeito.
- Você não conversou com ela ainda?
- Quando eu cheguei aqui ela já estava de saída.
- E a Lav?
- Saiu assim que o Jared recebeu a ligação. Henri dizia.
- Melhor assim. Ash sorria. - Então vamos?
- Eu devo ir também? Misha dizia confuso.
- Claro que você vai. Bri dizia se levantando, chamando a atenção das pessoas, devido ao escândalo acontecido mais cedo.
- Ok, então eu vou. Se levantava também.
- Vamos para o Carro do Henri. Ash saía dali rapidamente, junto dos outros.


...

- Eu lembro de Você. Chloe via Jared entrar na sala de espera.
- Você é a carcereira do presídio da Molly certo? Dizia se aproximando.
- Sim. Sorria.
- E essa é...
- Hi, eu sou a Nick amiga dele. Sorria.
- Como ela está? Jared se sentava no sofá, ao lado de Chloe.

Hospital

- Bom. Via Nick se sentar ao lado de Jared. - Ela está bem, quero dizer, a pressão dela está alta, ela estava bastante agitada durante a viagem...
- Porque ela não ficou por lá?
- Era um desejo dela, que o filho nascesse na mesma cidade que ela e no hospital que o Pai trabalha.
- Ela não deveria ter feito isso. Dizia preocupado.
- Aconteceu alguma coisa para ela ter esse filho fora da hora? Nick se intrometia.
- A Molly apanhou de uma detenta, recebeu uma visita indesejada, teve emoções muitos fortes durante o dia de hoje...
- Coitada. Nick dizia com pena.
Dr. Rupert. Jared via o Ginecologista obstetra se aproximar. - É o Senhor que está atendendo a Molly?

- Yeah. Se sentava de frente para eles. - Vocês são os responsáveis por ela?
- Sim. Diziam juntos.
- Ok, eu preciso que vocês tomem uma decisão...
- OMG. Jared já imaginava o que iria escutar.
- Talvez eu não consiga salvar os dois. Olhava para eles. - A pressão dela está muito alta, ela está agitada, ela perdeu muito sangue e quando acontece isso...
- Eu entendo. Jared deixava algumas lágrimas correr por sua face.
- Então, você sabe que nesses casos, as vezes temos que optar pelo bebe, ou pela Mãe...
- O Senhor fez essa pergunta para ela?
- Sim, disse que é uma cirurgia de risco e ela pediu para salvar o bebe.
- Então, que o bebe seja a prioridade. Jared começava a chorar.
- Tudo bem. Saía dali, caminhando até a sala de cirurgia...
- Então quer dizer que a Molly... Chloe evitava dizer o resto da frase.
- Tem chances dela se sair bem disso, tem casos e acasos, mas eles geralmente já fazem esse pergunta porque caso não dê para salvar os dois... Nick respondia por Jared e logo o abraçava.
- A Molly não merecia isso, ela é uma pessoa boa. Chloe começava a chorar também.

- Vamos começar o procedimento. Dr. Rupert entrava na sala de cirurgia e uma enfermeira vinha logo atrás, desinfetando o mesmo e vestindo as roupas adequadas para a cirurgia. - Me informe o quadro da paciente. Dizia bem alto.
- Pressão estabilizada em 11 por 8, feto ainda vivo, placenta um pouco deslocada...
- Ok. Caminhava até a maca, vendo Molly olhar para ele.
- Por favor Doutor, salve meu filho, é tudo que eu peço.
- Pode ficar tranquila, que nós vamos salvá-lo. Começava a cortar a barriga dela.
- Thank You. Sorria.


....




- Então quer dizer que o filhote de anta já vai vir ao mundo? Lav estacionava o carro perto do hospital.
- E a Molly vai estar totalmente desprotegida dentro de um hospital? Gargalhava. - Ai como é bom. Pegava uma sacola no banco de trás de seu carro. - Hoje me vingarei por completo daquela songa monga. Retirava duas perucas de dentro da sacola, uma loira e outra na cor preta. - Hora de encarar uma nova personagem. Prendia seu cabelo, colocando a peruca loira bem curta. - Preciso ficar irreconhecível. Arrumava a franjinha da peruca. - E não é que eu fico uma delícia com esse cabelo? Se olhava no retrovisor. - Mas ainda dá para perceber que sou eu. Pegava uma base dentro da bolsa, deixando sua pele mais clara que o natural. - E agora, um batom vinho. O passava nos lábios. - Olhos um pouco mais escuros. Colocava lente preta nos olhos e logo passava um pouco mais de lápis, rímel e sombra preta  nos olhos. - Agora sim, uma nova pessoa. Sorria colocando luvas pretas nas mãos. - É, realmente estou parecendo uma piranha de luxo que acabou de se drogar. Gargalhava, descendo do carro, trajando uma roupa completamente diferente do vestido que usava no baile. - Hora do show. Caminhava até a entrada dos fundos do hospital, vendo uma enfermeira na portaria, fumando.


Look Lav

- Senhorita? Via Lav agachada perto de um carro, fingindo passar mal. - Posso ajudá-la?
- Ai. Dizia com voz de choro. - Por favor, se aproxime, eu estou passando mal, acho que comi algo estragado.
- A Senhorita tem certeza que é alimento estragado, digo, pode ser alguma droga...
- Não, eu não uso drogas.
- Tudo bem, vem. Se agachava, tentando ajudar Lav. - Vou te levar para dentro.
- Thank You. Lav socava a cabeça da enfermeira no chão, fazendo a mesma desmaiar. - Otária. Gargalhava, e logo começava a despir a pobre enfermeira, roubando a roupa da mesma e vestindo.
- Esse uniforme é um lixo, mas pelo menos vai servir para o que eu preciso. Terminava de abotoar a blusa e logo pegava uma peruca na cor preta dentro da bolsa que estava consigo. - Caso algo dê errado, vão procurar por uma loiraça de cabelo curto, não por uma morena de cabelo médio. Trocava de perucas. - Vamos ver se tem alguém aqui. Lav entrava pelos fundos do hospital, não encontrando ninguém. - Perfeito. Voltava até onde o corpo da enfermeira estava e logo o arrastava, até entrar em uma salinha vazia, trancando o corpo ali. - E essa roupa. Lav a colocava dentro de um saco preto. - Vai para a parte de lixo tóxico do hospital. A colocava dentro de um buraco, que dava direto ao deposito de lixo tóxico do hospital. - Bom, vamos ver onde a Anta está. Pregava um crachá qualquer em sua blusa.

....

- Doutor, a pressão dela está instável. A enfermeira a frente de Dr. Rupert Dizia. - Isso está deixando o sangue dele muito agitado, é perigoso uma hemorragia;
- Espera. Abria o útero de Molly.  - Só mais um pouco e... Retirava o bebe chorando da barriga da Mãe.
- Meu Bebe. Molly Chorava. - Eu posso pegá-lo? Se virava para uma enfermeira a seu lado.
- Claro, deixem apenas cortarem o cordão. Via Rupert fazer isso.
- É menina? Ou menino? Dizia emocionada.
- É uma menina. A enfermeira que pegava o bebe para limpar dizia.
- OMG. Sorria emocionada. - Posso pegá-lo?
- Claro. Entregava o bebe para Molly, que estava enrolado em uma toalha.
- Meu Bebe. Molly sorria emocionada olhando para a filha. - Você é linda. A beijava. - Você vai ser muito feliz com seu Pai, mesmo eu não estando presente em sua vida, eu sempre vou te amar, sempre vou pensar em você. Sorria. - Quem sabe algum dia, quando eu sair da Cadeia eu vá lhe procurar? Saiba que tudo que eu estou fazendo é para lhe proteger.
- Doutor. A enfermeira dizia. - Os batimentos dela estão caindo...
- Os vasos dela estão dilatados, está acontecendo uma Hemorragia. Dizia bem baixo.
- Eu já sei como você vai se chamar. Molly dizia fazendo a enfermeira ao lado prestar atenção. - Você vai se chamar Jade, em homenagem ao seu Pai, Jade, assim como a pedre preciosa.
- Molly, você precisa entregar o bebe, nós precisamos ...
- Obedeça sempre seu Pai, sempre o escute e principalmente, seja sempre uma boa menina. Molly virava para o Lado, fazendo os aparelhos apitarem, não identificando sinal cardíaco algum.
- Gora da Morte, 22 horas e 57 minutos...
- Oh My God. Molly sorria emocionada

Share this article :

1 comentários:

  1. Ai que Capítulo ótimo, um monte de coisa acontecendo.
    Lav ,passadíssima com ela, as perucas e tudo mais.

    Ash se declarou para o Jensen, amém, ai tomare que fiquem juntos, chorei com a cena e a música é linda.

    Misha e Bri, kkkkkkkkkkkkkkkkk esses dois, é um mais destrambelhado que o outro.

    Ninguém pega a Lav porque ela é esperta, gente, pensou até no atestado. DIVA.
    O Agente Donovan chegou bem perto da verdadeira historia, questão de tempo...

    Sinto que o Jared tem uma quedinha pela Ash.

    Estou com dó do Henri, o que vai ser dele gente?

    Coitada da Molly, moreu, não queria, eu gostava dela. Achei que ela iria fugir da cadeia e se vingaria da Lav.
    Falando em Lav, o que ela fez com a enfermeira. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk morri... Agora ela fez isso atoa, pq a Molly morreu.

    Enfim, adorei o Cap, adorei todas as músicas e os Looks ficaram divinos. Ansiosa já.

    ResponderExcluir

 
Support : Your Link | Your Link | Your Link
Copyright © 2013. Supernatural Family | Here's Your Family. - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger