Home » » Kill All The Secrets - Capítulo 2.23 - ( Season Finale )" The Fall "

Kill All The Secrets - Capítulo 2.23 - ( Season Finale )" The Fall "






Nome: Kill All The Secrets (Mate Todos Os Segredos).

Número de Temporadas: 3.

Capítulo: 2.23 - " The Fall "  

Classificação : 16 + - Contem cenas de violência,mortes,sexo,insinuações...

Gênero : Drama,Comédia,Mistério...

Autora: Laura.

Personagens: Ashley (Principal) Brittany (Principal) Nickole (Principal) Lavínia (Vilã) Molly (Coadjuvante) Henri (Principal) Jensen (Principal ) Jared (Principal) Misha (Principal) Ben (Secundário) Chad (Coadjuvante) Lilly (Secundário) Cecy (Secundário) Rene (Secundário) Annie (Secundário) ....

Sinopse: Após os últimos acontecimentos, Ashley, Nickole e Brittany, tem suas vidas viradas de cabeça para baixo, principalmente por terem testemunhado a morte de Lavínia, da qual agora são suspeitas. Como se não bastasse os problemas com a justiça, Ash se vê de frente com seu antigo amor, que volta disposto a tê-la de volta, Jensen sente que Ash está um pouco distante, isso o deixa inseguro, se deparando com uma situação onde as decisões não dependem apenas dele. Nick se sente vazia diante de todos os acontecimentos, principalmente em seu termino com Jared, a Chegada de Misha talvez possa mudar isso, ou apenas complicar tudo ainda mais. Bri como sempre prefere viver em seu mundo onde tudo gira em torno de homens, não que isso seja uma má ideia... Molly tenta usufruir dos bens de Lav, mas não esperava por uma surpresa nada agradável. O trio de amigas no final do primeiro capítulo, se veem de frente com algo que poderia ser julgado impossível de acontecer, quem é ela ? o que ela quer? A última pergunta eu posso responder, brincar com as "culpadas" da morte de Lav.

Considerações: Quando tiver o player nas cenas serão as músicas das cenas,acho que não tem necessidade de ficar colocando toda hora "música da cena",mas como este é o primeiro capítulo tudo Ok.Ainda Sobre as músicas,quando uma cena não tiver música,aproveite a música da cena passada (Até a cena que tiver um novo player),por que eu escolho as músicas pensando nisso.
Onde estiver Look (Exemplo,Look Ashley,Look Das garotas),vocês podem clicar para visualizarem a roupa dos personagens e os Personagens. Quando estiver Casa da Ashley,carro,escola,podem clicar para visualizarem o local onde a cena ocorreu !!!!

.........................................................................................................................................



2.23 - "The Fall" 
" A Queda "




" Oh Oh,a melhor amiga,e o melhor amigo sendo colocados para escanteio. Flagrados,o casal do ano. Não acham Hot? XoXo L.B. !!! "
Uma mensagem chegava para Jensen,Nick e Bri,juntamente com uma foto de Ash e Jared se beijando mais cedo.

- OMG. Bri terminava de ler a mensagem e logo olhava para a cara de Nick, que olhava Ash decepcionada.
- Ash? Nick começava a chorar.
- Eu não... Ash ficava sem reação alguma,confirmando o acontecido.
- E eu, toda preocupada em salvar a vida de uma Vadia. Nick se virava, saindo dali.
- Me espera. Jensen olhava com um certo desprezo para os dois. - Eu vou junto. A acompanhava. 

Relembrando: Look Ash - Look Jensen - Look Nick Floresta




- Jensen,Nick,espera. Ash corria até eles.
- E eu,achando linda nossa amizade,mas no fundo, você não passa de uma ... Nick começava a deixar lágrimas cair.
- Porque você fez isso? Jensen olhava a loira com um olhar desapontado. - Você disse que me amava e ainda sim, beijou meu melhor amigo.
- Acho melhor eu ficar com o Henri. Bri saía dali, sem saber o que fazer.
- Me desculpem. Ash intensificava o choro. - Me desculpe vocês dois, não foi culpa de ninguém, aconteceu.
- Como sempre, não é Ashley. Nick tentava ser cínica. - Tudo nunca é sua culpa, sempre acontece.
- Não Nick, você não pode acreditar nisso, eu sou sua melhor amiga,jamais ficaria com...
- Com o homem que eu amo? Nick a interrompia. - Como se você já não tivesse feito isso antes.
- What? Jensen se assustava.
- Anos atrás, eu tinha um namorado,chamando Paul e em uma festa natalina, eu flagrei os dois nus, no banheiro do clube onde a festa acontecia. Nick olhava para Jensen.
- Não, você não tem o direito de falar disto. Ash se alterava.
- Porque? Porque também não foi sua culpa? Nick ironizava.
- Você sabe que isso foi armação da Lav. Ash limpava as lágrimas.
- Sempre a Lav, sempre ela por trás de tudo. Jensen dizia com os olhos cheios de lágrimas. - O que ela disse. Apontava Nick. - Faz sentido, você nunca assume as consequências de seus atos.
- Não me olhe com esse olhar de desprezo Jensen. Ash voltava a chorar.
- Ooh, agora você se importa em como ele te olha? Nick se intrometia. - Mas na hora de beijar o Jared, isso parece não ter importado, cínica. Aumentava o tom de voz.
- Nick, eu ia te contar, mas , Eu não queria...
- Cala a boca. Gritava. - Você não iria contar porcaria nenhuma, você ainda nem contou para o Henri sobre o Jensen e nem ia.
- Você não ia? Jensen se assustava. - Porque você está fazendo isso? Dizia com os olhos cheios de lágrimas.
- Eu ia contar. Ash se aproximava dele. - Mas depois aconteceu isso tudo sem contar que, nós não íamos poder ficar juntos, porque eu estava sendo ameaçada. Depositava suas mãos na face dele. - Acredite, quando eu digo que te amo, é a mais pura  verdade.
- Tire suas mãos de mim. Jensen a afastava de si.
- Sabe Ashley. Nick a olhava com nojo. - Você chega a me dar nojo, suas mentiras, essa atuação de menina frágil, você pensa que mudou, mas te olhando agora, continua a mesma Vadia de sempre, é como dizem, lobo em pele de cordeiro.
- Não, isso não é verdade, eu mudei, desde que eu voltei, eu mudei...
- Se seu Pai estivesse vivo, ele teria um desgosto enorme de você neste momento. Nick tentava não chorar.
- Jensen. Ash o via se distanciar. - Não me abandone aqui, acredite em mim. Intensificava o choro.
- Eu não consigo. Começava a chorar também. - Eu achei que você era uma mulher diferente das outras, mas eu me enganei e como me enganei.
- Não faça isso. Suspirava tristemente. -  Não depois de tudo que passamos.
- Eu preciso, sair daqui. Se virava, saindo dali.
- Eu não acredito que isso está acontecendo. Ash se ajoelhava no chão, depositando suas mãos em sua face, dando para escutar o abafado som de seu choro.
- Isso que está acontecendo, é a simples colheita do que você plantou. Nick a olhava com desprezo. - E quer saber, acho que até demorou para isso acontecer.
- Por que você está fazendo isso? Olhava para ela.
- Eu? Não estou fazendo nada e quer saber, eu também quero distancia de você, nossa amizade, se é que algum dia você me considerou uma amiga, acaba aqui.
- Nick, não faça isso. Dizia soluçando, com seu próprio choro.
- Bye Ashley, espero nunca mas ver seu rosto. Se afastava. - E se acontecer de eu te encontrar na rua, e você estiver na mesma calçada,faça o favor de trocar de lado. Você me dá nojo. Nick saia, deixando Ash em um estado de dar pena.

...


Relembrando: Look Lav - Look Patrick  - Andy - Delegacia  - Prisão (Cela Da Lav)


- Me solta seus bandos de Pobres. Lav entrava algemada na delegacia, gritando diga-se de passagem.
- Se eu fosse você, começaria a medir seu vocabulário. Patrick se virava para ela.
- Seu idiota, você acha que eu vou ficar presa? Gargalhava.
- Claro que não acho. Patrick dizia. - Tenho certeza. Sorria. - Soldado Andy, pode levar essa psicopata para uma cela vazia.
- Sim Senhor. Olhava para o Xerife, enquanto segurava a Vadia pelo braço.
- Eu tenho direito há um advogado e eu quero a presença dele. Lav gritava.
- Bom, já está tarde, eu estou cansado, não estou nenhum pouco a fim de passar a madrugada na delegacia, então aproveite a estadia, que será longa. Patrick caminhava até sua sala.
- Velho caquético, eu vou te denunciar por abuso de poder. Berrava.
- Vai denunciar como? Por telepatia? Dizia, fazendo soldado Andy começar a gargalhar.
- Gargalhe mais uma vez verme. Lav pisava com força no pé do Soldado. - Ria novamente que eu arranco aquilo que você tem no meio das pernas. Se virava para o lado, sorrindo da cara dele.
- Melhor eu te acompanhar até a cela dessa Senhorita. Patrick caminhava atrás de Andy. - Antes que ela te dê uma boa cacetada e fuja.
- Com medinho de mim Xerife? Gargalhava. - Mas eu sou tão inofensiva. Fazia bico.
- Eu tenho certeza que é. Patrick passava na frente dela, caminhando pelo corredor, logo chegando a ala das celas.
- Não tem ninguém aqui? Lav percebia o lugar um pouco vazio.
- Apenas alguns arruaceiros que logo serão soltos. Patrick abria a última cela do corredor. - Bem vinda a seu novo lar. Sorria cinicamente.
- Ria a vontade Xerife, mas ria bastante, porque quem ri por último, ri melhor. Parava de frente para ele, enquanto Andy retirava as algemas da Vadia.
- Bom, creio que quem está rindo por último somos nós, já que a verdade veio a tona. Batia a porta, trancando-a com cadeado por fora.
- Oh queridinho, ai é que você se engana. Gargalhava.
- Soldado Andy, peça para dois policiais vigiarem essa cela dia e noite tudo bem?
- Claro. Saía rapidamente dali, deixando Lav e Patrick a sós.
- Bom, tenha uma ótima noite Senhorita Vanderbill. Patrick dava as costas.
- Se você acha que venceu a guerra, está muito enganado, vocês realmente não conhecem quem verdadeiramente é, Lavínia Vanderbill. Dava sua risada maléfica, que ecoava por toda a delegacia.

...


Relembrando: Look Henri  - Look Bri  - Look Jared 

- Ash. Bri se aproximava da amiga. - Eu estou aqui com você, sempre estarei. Apoiava sua mão no ombro da loira.
- Mas eu não tive culpa. Se levantava, abraçando Bri. - O Jared simplesmente me beijou, eu não correspondi.
- A Nick vai entender isso.
- Não, ela não vai...
- Vai Sim Ash, no momento isso é demais para ela.
- O Jensen também, isso parece um pesadelo, do qual eu não consigo acordar. Continuava a chorar.
- Você tem que se acalmar, o Henri precisa de você. A afastava de si, olhando-a nos olhos.




- Oh My God, o Henri, me diga que isso não está acontecendo? Olhava ele deitado no chão, um pouco mais adiante.
- O Jared acha que ele não vai...
- Não termine essa frase. Apontava o dedo.
- A Ambulância está demorando demais.
- Ele vai ficar bem, eu sei disso. Ash saía caminhando até Henri, se agachando até ele.
- Hey. Henri sorria para ela.
- Hi. Tentava sorrir de volta.
- Ash, eu sinto muito por...
- Melhor agente não falar disso agora Jared. Ash olhava para ele.
- Ok. Olhava para baixo. - Eu estava pensando aqui, talvez a emergência esteja com dificuldades em localizar aqui, ou o trânsito pode estar atrapalhando...
- O que você sugere? Bri se intrometia.
- Pegar o carro da Ash ou do Henri e ir para o hospital rapidamente.
- Eu concordo com isso. Ash pegava sua bolsa no chão, entregando a chave de seu carro para Jared. - Ele está estacionado logo na entrada, vá rápido.
- Fine, mas eu preciso que você continue pressionado aqui com força. Jared apontava onde sua mão direita estava.
- Pode deixar que eu faço isso. Bri se oferecia.
- Não, deixe que eu faço. Ash dizia. - É melhor você ficar de olho em volta...
- Você tem razão. Bri entendia o que Ash queria dizer, "L.B."
- Bom, eu já volto. Jared se levantava. - E não pare de pressionar.
- Tudo bem. Ash o via se distanciar. - Vai ficar tudo bem. Acariciava a face de Henri, com sua mão livre.
- Ash, não fique assim. A via chorar.
- Se você soubesse como eu estou me sentindo um lixo imundo, indigna, impura...
- Não, não diga isso, nunca pense isso de si, você é muito mais do que pensa, você é como um anjo,  um anjo caído na terra.
- Você dizendo isso só está fazendo eu me sentir pior, se você soubesse o que eu fiz, você também iria se virar contra mim.
- Eu sei que você beijou o Jensen. Sorria para ela.
- Como? Se assustava.
- Eu recebi uma mensagem da L.B. e eu não culpo você, agente não manda no coração.
- E porque você não está irritado comigo?
- Porque eu sabia que você ia me contar, no tempo certo. Limpava as lágrimas que ela deixava cair.
- Eu que deveria estar ai, morrendo, iria acabar com todo meu sofrimento, com toda minha dor, eu já não aguento mais viver assim.
- Nunca mais diga isso, você é mais do que imagina e muito mais forte do que pensa.
- Como eu queria ser forte do jeito que a maioria pensa. Começava a chorar. - Parece que o mundo está desabando sobre as minhas costas e Eu não posso fazer nada.
- Se está desabando, é porque Deus acredita que você é capaz de carregá-lo sozinha.
- Você não deveria ter pulado na frente do tiro, ou melhor, porque você pulou na frente? Mesmo sabendo que eu te trai ? Continuava chorando.
- Porque agente não muda o que está no coração. Começava a tossir.
- É melhor você parar de falar, poupar sua energia. Acariciava a face dele.
- Não se preocupe comigo, eu sinto que...
- Não termine essa frase. Depositava seu dedo indicador nos lábios dele.
- Eu quero que você saiba, que eu tenho orgulho de você, da sua força e eu quero que você se levante, dê a volta por cima, se apaixone novamente se for preciso, mas nunca desista  da sua vida, nunca desista de lutar. Começava a falar com uma certa dificuldade. - I Love You.
- Henri, eu amo você também, não da intensidade de antes, mas ainda sim eu amo, você marcou minha vida, você foi meu primeiro namorado, você foi o primeiro homem que não se interessou apenas pela minha aparência, você olhou dentro de mim. - Você sempre terá um lugar dentro do meu coração.
- Me dê sua mão. Henri levantava sua mão direita com um certo esforço, entrelaçando com a mão esquerda de Ash. - Obrigado, por ter estado comigo, por ter me amado, por fazer meus dias mais felizes, ou melhor, por fazer eu viver o ano mais feliz da minha vida.
- Henri, para de falar como se estivesse se despedindo. Intensificava o choro.
- Mas eu estou. Sorria.
- Por favor, não morra, eu não vou saber conviver com isso. Olhava para cima. - Deus, por favor, ele não merece morrer, não o deixe partir, se quiser, me leve no lugar dele, mas deixe o Henri viver. Dizia desesperada, sem saber o que mais fazer.
- Hey, olhe para mim. Dizia com bastante dificuldade. - Não se culpe por isso, porque eu não culpo você por nada. A olhava nos olhos. - Esse é meu último pedido, seja feliz, ao lado da pessoa que você escolher, não deixe de amar, não perca sua essência. Dava um último sorriso. - I Love You. Fechava os olhos.
- Henri. Ash gritava. - Henri. Deitava no peitoral dele, chorando intensamente. - Porque você? Porque? Se levantava, olhando para o rosto dele, aproximando-se dos lábios dele, dando um demorado selinho.
- Ash. Bri se aproximava. - Eu sinto muito. Se agachava ao lado da amiga.
- Thank You.
- Oh... Jared chegava, vendo os olhos de Henri fechados. - Eu sinto muito. Olhava para Ash. - Eu cheguei tarde demais.
- O que nós vamos fazer? Bri se aproximava de Jared, deixando Ash abraçada de Henri.
- Levar o corpo para o hospital para fazer todos os procedimentos...

....


No Outro Dia...


- Ash. Lilly batia na porta do quarto da filha, abrindo-a. - Como você está? Entrava no quarto, vendo Ash sentada na cadeira, em frente a penteadeira, se olhando no espelho. - Você passou a noite acordada? Via a filha com um olhar parado,enquanto lágrimas corriam por sua face. - Ashley, pelo amor de Deus, fale alguma coisa, você está assim desde ontem, não quis deixar a Bri passar a noite aqui...
- O que a Senhora quer que eu diga? Olhava para ela. - O Henri morreu por minha culpa, por minha causa...
- Ash, ele pulou na frente porque quis, você não o obrigou, não foi sua culpa. Se aproximava dela.
- Vou para o Cemitério. Se levantava.
- Espere que eu vou com você.  Segurava na mão direita dela, ao passar por si.
- Eu quero ir sozinha, eu quero ficar sozinha. Olhava para baixo.
- Ash, você não pode ficar assim.
- Tanto faz. Soltava sua mão das dela.
- Você não pode dirigir sozinha nesse estado, é perigoso...
- E a Senhora acha que eu estou me importando? Olhava para ela. - Morrer agora, seria melhor do que ter que sentir o que estou sentindo.
- Nunca mais. Lilly a sacudia. - Fale isso, como você acha que Eu iria ficar ao ver minha única filha...
- Sorry. Saía andando lentamente.
- Ashley, por favor, desabafe comigo, diga o que você está sentindo. Fazia ela se virar.
- Bom, o namorado da minha melhor amiga me beijou, ela disse coisas que...Suspirava. - O Jensen deve estar sentindo nojo de mim, assim como a Nick e para completar, meu primeiro namorado, morreu por minha causa, como eu deveria me sentir?
- Querida, o tempo vai curar tudo isso, a Nick vai te perdoar, a amizade de vocês é mais forte do que isso...
- Não, não vai, porque eu sinto a morte do meu Pai até hoje, certas coisas, ficam ali, para sempre, para te atormentar.
- Bom, pelo menos as coisas com a Nick você pode consertar, vá a procurar mais tarde, vocês são amigas, vão se entender.
- Thanks Mom. Saía dali com um olhar triste...

...

- Eu achei que iria ter mais gente aqui. Jared se aproximava de Bri, que estava em frente ao túmulo de Henri.
- A Ash pediu para não avisar a ninguém. Olhava para ele.
- Nessas horas é melhor ter apenas pessoas que realmente importam. Misha dizia, abraçando Bri.
- E a Nick? Jared dizia receoso.
- Não atende nenhuma ligação. Bri respondia. - Eu fui até a casa dela, mas não adiantou, ela não quer ver ninguém. Dizia com uma voz triste. - E o Jensen?
- Não passou a noite em casa. Olhava para baixo. - O carro dele não estava no estacionamento...
- Tudo culpa da L.B. Bri pensava.
- Eu posso imaginar o quanto a Nick está ferida. Misha olhava para Jared. - O amor dela por você é puro, ouso dizer que é até inocente.
- Eu não sei o que me deu para beijar a Ash, aconteceu. Tentava não chorar.
- Você deve estar encantado pela Ash, ou apaixonado... Bri olhava para ele.
- Ela está vindo. Jared via a loira se aproximar.
- Uau, acho que eu nunca vi a Ash assim, tão acabada. Bri se virava,vendo a amiga se aproximar. - Eu sinto muito. A abraçava.
- Thank You. Começava a chorar. - Principalmente por não espalhar o velório dele para todo mundo, eu prefiro assim.
- Meus sentimentos Ashley. Misha olhava para ela.


Look Ash Cemitério -  Look Misha  - Look Jared - Look Bri 



- Obrigada. Se aproximava do túmulo, se ajoelhando ali, depositando rosas brancas em cima do gramado.
- Henri, Eu não sei o que dizer. Começava a chorar. - Queria ter um lindo texto para me despedir, mas como se despedir de alguém que parece estar aqui, comigo? Como se despedir de uma pessoa que foi corajoso o suficiente para oferecer sua vida, para me salvar? Eu sei que você pediu para eu não me culpar, mas é difícil, quando esse tiro que acertou em você, era para ter acertado em mim. Chorava. - Deus deve ser sádico, porque eu mereço viver? E você...Soluçava com seu próprio choro. - Você tinha uma carreira pela frente, você era, é, tão integro, enquanto eu,bom...
- Ash, não. Bri se agachava ao lado dela, a abraçando de lado. - Pare com isso, você é especial e merece viver tanto quanto qualquer outra pessoa nesse planeta...
- A Nick não quis vir? Olhava para Bri.
- Eu não avisei ela, mas tenho certeza que depois que vocês conversarem, vai ficar tudo bem. Tentava animar a amiga.
- Jensen? Olhava para Jared.
- Ele passou a noite fora...
- Você precisa dizer a verdade para a ele Jared, Jensen deve estar me odiando nesse momento. Continuava chorando.
- Pode deixar que assim que eu tiver a primeira oportunidade, eu direi.
- Mudando um pouco de assunto, alguém se lembrou de chamar um Padre... Misha olhava para Bri.
- Eu lembrei e ele já deve estar chegando. Bri dizia.
- Quem é aquela? Jared olhava para trás, vendo uma Senhora se aproximar.
- É a mãe do Henri, Silvia Falmer. Ash se levantava, aproximando dela.

- Quem a avisou? Misha olhava para Bri.
- A Ash deve ter pedido para alguém ligar.
- Ou no hospital ligaram. Jared deduzia.
- Senhora Falmer. Ash ficava de frente para ela. - Eu sinto muito pela sua perda. Dizia com os olhos cheios de lágrimas.
- Sente muito? Retirava o óculos, olhando para a face de Ash. - Que irônico.
- Me desculpe, acho que eu não entendi.
- Bom, então irei refrescar sua memória, recebi uma mensagem mais cedo, contando sobre o ocorrido, toda a verdade, desde a traição, até o meu filho pulando na frente de um tiro para proteger uma vagabunda. Dava um tapa na cara de Ash.
- I'm sorry. Olhava para ela, começando a deixar lágrimas descer.
- Essas suas desculpas vão fazer meu filho voltar a vida? Não, então não venha com elas.
- Ash. Jared se aproximava, a abraçando de lado.
- Eu deveria ter interferido nesse namoro do meu filho, você não passa de uma vagabunda, que não o merecia, você, você deveria estar debaixo da terra, não meu filho.
- A Senhora tem razão. Olhava para ela. - E se serve de algum consolo, esse acontecimento estará presente em todos os dias da minha vida.
- Cale a boca e suma daqui, sua presença não é bem vinda. Saía caminhando até a lápide do filho.
- Vem, você precisa de ajuda. Jared a pegava no colo, ao percebe-la sentir uma leve indisposição.
- Jared, é melhor agente evitar de ser vistos juntos. Olhava para ele.
- Eu estou aqui como seu amigo, do mesmo jeito que ontem, você estava aqui por mim. Olhava nos olhos dela.
- Você não deveria estar aqui. Entrelaçava seus braços no pescoço dele. - Você já passou por tanta coisa ontem, que chega a ser egoísmo da minha parte.
- Shiiiiu. Depositava seu dedo nos lábios dela,parando no portão de saída do cemitério.
- E eu vindo aqui, todo arrependido pela maneira como te tratei ontem. Jensen parava de caminhar um pouco antes de se aproximar da entrada do cemitério. - Querendo escutar toda a verdade vindo de você. Dizia com os olhos cheios de lágrimas.


Look Jensen

- Isso não é nada do que você está pensando. Ash pulava do colo de Jared, ao ver o amado.
- Oh, não precisa se dar ao trabalho de me explicar alguma coisa, o que eu acabei de ver, não precisa de explicação. Olhava para Jared. - O pior de tudo é que eu fui traído justo pelo meu melhor amigo, aquele que cresceu comigo, que foi criado ao meu lado, como um irmão.
- Jensen, escuta, nós dois não temos nada. Jared Gritava.
- Quer saber. Jensen se afastava, aproximando de seu carro, entrando no mesmo, dando partida no automóvel, se aproximando deles. - Vocês dois se merecem, espero que consigam ser felizes em cima da infelicidade dos outros, eu quero esquecer que algum dia eu os conheci. Saía dali.
- O que aconteceu? Bri se aproximava de Ash, vendo-a chorar intensamente.
- O Jensen acabou de vir aqui... Jared dizia com um olhar parado.
- OMG. Bri se preocupava.
- E o que aconteceu com a Mãe do Henri? Jared olhava para Bri.
- Ou o Henri nunca conheceu a mãe de verdade, ou o demônio possuiu o corpo dela. Dizia naturalmente.
- Ela não disse nenhuma mentira. Ash continuava chorando. - É tudo minha culpa.
- Não diga isso Ashley, ele se jogou, isso se chama livre arbítrio. Misha dizia.
- Isso é o que pessoas dizem para tentar fazer as outras se sentirem melhor. Saía caminhando até seu carro.
- Onde você vai? Bri ia atrás.
- Até a casa da Ni-Nick. Começava a ver tudo rodar, até desmaiar
- Essa quedinha pode provocar isso? Misha dizia ao ver sangue descer pelas pernas de Ash.
- Ela está grávida? Bri se virava para trás,olhando para Jared.
- É o mais provável. Corria até ela, se agachando, a pegando no colo. - Precisamos levá-la até o hospital. Caminhava até seu carro. Desativando o alarme do automóvel, passando a chave para Bri abrir.
- Misha, você não vêm? Bri olhava para ele.
- Bom, eu preciso ir para o Campus, já que você não vai...
-  Oh God, até esqueci que eu trabalho. Corria até ele.
- Tudo bem, mesmo não sabendo tudo muito bem, eu cubro seu horário. A puxava para si, iniciando um beijo.
- Thank You. Dava um leve sorriso. - Bom, qualquer coisa que você precisar, pode me ligar. Saía correndo dali, entrando no carro de Jared...

....

Horas Depois...

Look Nick


- Jensen,até que enfim você apareceu. Nick se levantava da calçada do edifício onde os J's moram.
- O que você quer aqui? Descia do carro, não retirando o óculos escuro.
- Eu vim me redimir. Se aproximava dele.
- Se redimir? Estranhava.
- As coisas que eu disse ontem da Ash, não são verdades, quero dizer, são, mas não da maneira que eu fiz parecer. Dizia um pouco envergonhada.
- Bom, se você veio aqui somente para isso, sinto lhe informar, perdeu a viagem. Passava por ela.
- O que aconteceu? Dizia, fazendo ele se virar.
- Eu flagrei a Ash e o Jared no maior clima, ela inclusive estava nos braços dele. Retirava os óculos, dando para perceber seus olhos um pouco vermelhos de chorar.
- Você está falando sério? Arregalava os olhos.
- Eu fui no cemitério, porque sabia que a Ash iria estar lá e assim, nós poderíamos conversar. Tentava não chorar. - Mas ao chegar lá, eu vi ela no colo do... evitava falar o nome do até então, amigo.
- E eu com pena dela, achando que disse coisas ruins. Começava a deixar lágrimas cair.
- Bom, se você me der licença, eu vou subir e pegar algumas coisas para ficar em um Flat. Saía dali.
- Como a Ash teve coragem de fazer isso comigo? Nick caminhava até seu carro, entrando no mesmo e começando a chorar. - Ela sabia que eu ia voltar com ele. Escutava seu celular tocar e logo o pegava dentro de sua bolsa. - Bri, o que você quer? Atendia a ligação.


- Nick, até que enfim você atendeu, como passou de ontem para hoje?
- Como você acha? Limpava as lágrimas, se olhando pelo espelho do carro.
- Bom, eu sei que você pode estar se sentindo traída, mas a Ash é inocente, o Jared também...
- Olha Bri, eu não vou falar sobre isso com você agora, ainda mais porque você está do lado dela.
- Você tem horas que age feito uma criança birrenta.
- Você me ligou somente para isso? Posso desligar? Dizia cinicamente.
- Não, eu liguei para te avisar que a Ash passou mal e está no hospital.
- Passou mal? Se interessava. - O que aconteceu? Dizia com um olhar perverso.
- Ela estava grávida de Duas semanas sem ao menos saber e acabou de perder o bebe...
- Você está no hospital? Ligava o carro, dando partida no mesmo, saindo dali.
- Yeah, seria bom a Ash poder contar com você nesse momento, na verdade, seria bom que vocês se acertassem. Bri olhava para Ash, sentada na poltrona do quarto hospitalar da amiga.
- Você tem razão. Sorria. - Já estou a caminho. Encerrava a ligação sorrindo.

Hospital 

- O que eu estou fazendo aqui? Ash acordava um pouco assustada, se assustando ao perceber estar em um quarto de hospital.  - O que aconteceu? Via Bri a seu lado. - Foi tudo um sonho? Sorria. - O Henri está vivo?
- Ash, I'm sorry, não foi um sonho. Bri olhava para ela. - Você desmaiou na saída do cemitério.
- Isso não pode estar acontecendo. Começava a chorar. - Porque eu vim parar aqui?
- Calma Ash, se acalme. Via Jared entrar no quarto e logo se aproximada dele. - Fique com ela enquanto eu vou atrás do Médico que a atendeu para explicar tudo.
- Tudo bem. Olhava para ela. - Você não acha melhor avisar a mãe da Ash que ela passou mal?...
- É melhor não.
- Tem certeza?
- Tenho, é melhor deixar a Ash decidir isso depois. Caminhava até a porta. - Fique de olho nela.
- Ok. A via sair e logo se aproximava de Ash. - Como você está se sentindo?
- Fisicamente, um pouco zonza, com uma sensação estranha...
- Isso é normal... Sorria para ela.

- Nick. Bri via a amiga se aproximar pelo corredor. - Ainda bem que você veio. Sorria. - Ela vai precisar muito da nossa ajuda nesse momento.
- Onde ela está? Parava de frente para Bri.
- No quarto a frente. Apontava.
- Thank You. Seguia caminho até o quarto de Ash, entrando no mesmo,vendo Jared sorrir para a loira.
- Nick! Ash se surpreendia ao vê-la.
- Você quer que eu saía? Jared olhava para Ash.
- Yeah. Confirmava balançando a cabeça.
- Ok, qualquer coisa estarei na sala de espera. Passava por Nick, que fingia um sorriso.
- Eu não acredito que você está aqui. Ash sorria para ela, se sentando na cama.
- Não precisa abrir esse sorriso. Dizia cinicamente, se aproximando da  cama dela. - Eu não vim aqui querendo fazer as pazes com você, porque para mim, você morreu, é como se não existisse.





- Não fale isso, pelo menos me escute, me deixe explicar. Chorava.
- O que você quer explicar? Os detalhes do seu beijo com o Jared? Como é quente o colo dele? Ou outros detalhes?  Fingia um sorriso. - Eu passo.
- As mensagens que eu te mandei durante a madrugada, você não leu nenhuma?
- Apaguei todas e já troquei o número do meu celular,de você, eu só quero uma coisa, distancia.
- Eu não gosto do Jared, ele quem me beijou, eu nem correspondi ao beijo.
- Isso lhe torna pior ainda e se ele te beijou, foi porque você deu a entender que tinha interesse. Olhava friamente para Ash. - Que ódio, eu terminei tudo com o Misha, achando que era o certo a se fazer, achando que eu finalmente ia ter meu final feliz com o Jared e você toma a chance de mim. Começava a deixar algumas lágrimas cair.
- Mas vocês podem ser felizes ainda, eu sei que ele te ama.
- Eu já peguei restos da Molly, não vou querer pegar os seus. Se virava, saindo dali.
- Nick, pelo menos tenta se por no meu lugar. A via se virar, se aproximando.
- Se ponha no meu lugar você, Primeiro o Paul, depois sempre me envolvendo em seus draminhas, eu sempre tendo que escutar, sempre tendo que deixar meus problemas de lado para a Rainha do Drama roubar toda a cena para si. Aumentava o tom de sua voz. - Quantas vezes eu fui te procurar para contar sobre os meus problemas e o assunto principal acabava virando você?
- Eu não sabia que você se sentia assim. Limpava as lágrimas.
- Eu também não sabia, até eu ver você e o homem que eu amo, se beijando. Olhava para baixo. - Eu passei horas me preocupando com você, quando eu achei que a Lav ia conseguir te matar, eu fiz tudo que podia para você não morrer e para que?
- Me diz, o que eu posso fazer para consertar as coisas? Voltava a chorar.
- Esquecer que eu existo.
- Nick, você não pode fazer isso, eu te considero como uma irmã.
- Que lindo. Sorria cinicamente. - Quer saber, a melhor época da minha vida, foi quando você estava morando em Londres. Olhava para ela, que intensificava o choro. - Tudo era tão mais fácil, não tinha L.B., a Lav era mais calma, minha vida se resumia a escola, Paul, saídas casuais. Olhava nos olhos dela. - Desde que você voltou, tudo voltou a virar esse inferno, nossas vidas viraram de cabeça para baixo, isso tudo que está acontecendo é culpa sua.
- Isso é realmente o que você pensa? Elevava a mão no coração, sentindo uma grande angústia.
- Não só o que eu sinto, como a verdade.  Começava a se distanciar, deixando algumas lágrimas cair. - E isso que aconteceu com você, foi o castigo de Deus, pelo menos nisso ele foi justo, imagina como seria a vida desse bebe que você carregava.
- What? Se assustava com a parte do bebe, voltando a chorar em alto e bom som.
- O que você fez? Bri dava de cara com Nick saindo do quarto, escutando o choro de Ash.
- Não fiz nada, além de jogar a verdade na cara dela. Saía dali olhando cinicamente para a face de Jared, que estava logo atrás de Bri.
- Doutor. Ash se levantava da cama ao vê-lo entrar na sala. - Eu estava grávida? Dizia histericamente.
- Sim, Senhorita Baltmoore, de Duas semanas, foi um aborto espontâneo, devido ao seu estado emocional. Olhava para ela, que intensificava o choro. - A boa notícia é que você pode engravidar novamente se quiser, daqui há Dois meses. A via se ajoelhar no chão, logo se sentando. - Eu sinto muito pela sua perda. Saía do quarto, com pena da loira,deixando Jared e Bri com ela.
- Ash. Bri e Jared, diziam juntos, ajudando-a a se levantar.
- Eu estava grávida do Henri e nem sabia. Abraçava Jared. - Como se já não bastasse perder ele, agora um filho.
- Acho melhor eu pedir para uma enfermeira sedar ela. Bri saía dali chorando...

...


Uma Semana Depois...



Look Ash - Look Lilly

- Ash, você tem certeza que é realmente isso que quer? Lilly entrava no quarto da filha, vendo-a fechar uma mala, uma de muitas.
- Eu tenho, East St. Louise acabou para mim. Se sentava na cama, exibindo um olhar triste.
- Você sabe que essa escolha....
- Eu sei Mãe. A interrompia. - Eu sei que estou fugindo de tudo, para falar a verdade, é isso que eu quero, uma chance de recomeçar e aqui, isso seria impossível.
- É uma pena você ir, vou sentir tanta sua falta. Se sentava ao lado dela,pegando nas mãos da filha.
- Então venha junto de mim e da Elle.
- Eu não posso fazer isso, apesar de querer muito ir, eu preciso ficar, principalmente pelo Patrick.
- Obrigada por me deixar ir. Abraçava a mãe.
- Oh minha querida, se isso vai lhe ajudar, quem sou eu para ficar no meio do caminho. Sorria, um pouco emocionada. - Se isso lhe serve de consolo, eu irei sempre que puder te visitar.
- E será muito bem vinda. Deixava uma lágrima cair. - Onde está a Elle? Se afastava,olhando para Lilly.
- Ela já foi para a pista de voo, o jatinho que eu contratei chegou antes do combinado.
- Bom, preciso ligar para um Táxi. Se levantava.
- Não precisa. Lilly sorria. - Eu já fiz isso.
- Mom, posso te pedir outra coisa? Se virava para ela.
- Claro.
- Caso alguém perguntar para onde eu fui, não diga, eu prefiro que tudo fique em segredo.
- Nem caso a Nick mude de ideia?
- A Nick pode mudar de ideia o quanto quiser, eu jamais vou perdoar ela, nossa amizade acabou, pra mim, ela morreu.
- E a Bri?
- Para ela, você pode dar notícias, mas não dizer para onde fui...
- Jensen? Dizia receosa.
- Jensen e Eu acabou. Dizia com os olhos cheios de lágrimas.  - Ele me odeia...
- Tudo bem Ash, ninguém além de mim irá saber para onde você foi... Olhava para ela.
- Thanks.
- Ah, quase me esqueci, eu acabei de receber uma ligação da Administração da Universidade de Londres e eles aceitaram receber você como a mais nova aluna do curso de Jornalismo.
- Really? Começava a sorrir. - Finalmente uma boa notícia. Abraçava a Mãe.
- Saiba querida, eu vou estar bem aqui, torcendo para tudo dar certo, torcendo para você conseguir superar toda essa fase ruim.
- Thanks Mommy, eu sei que vou conseguir. Dizia perto do ouvido dela.
- Deve ser o táxi. Lilly a afastava de si, escutando o barulho de buzina. - Deixe eu te ajudar com as malas. Lilly se levantava e logo descia com uma mala. - Você tem certeza de que não quer levar mais coisas? Parava na porta.
- Tenho, não quero ficar carregando esse monte de coisa, assim que eu chegar em Londres eu vou fazer algumas compras, vida nova, tudo novo.
- Ok. Saía dali, deixando Ash sozinha.
- Vou sentir falta daqui. Olhava bem para seu quarto, se lembrando de coisas que viveu ali. - Tantos momentos felizes aqui. Olhava em volta. - Bom. Pegava a mala em cima da cama, saindo arrastando-a. - Quem sabe um dia eu entre aqui novamente. Caminhava até a porta, dando uma última olhada antes de fechá-la.
- Ash. Patrick se aproximava dela no corredor. - Vou sentir sua falta.

- Eu também irei Patrick.
- Eu sinto muito de tudo ter chegado a esse ponto. A abraçava.
- Não sinta. Dizia perto do ouvido dele. - Vai ser para melhor isso.
- Pode deixar que eu irei tomar conta da sua mãe muito bem e tenha a certeza de que eu a amo muito.
- Eu sei que você vai e isso me deixa mais tranquila. Se afastava.
- Boa viagem. A via se distanciar.
- Thank You. Começava a descer a escada, se aproximando da porta da sala, saindo de casa. - Mom, não chore. A via parada ao lado do táxi e logo se aproximava.
- Ai, eu estava tentando me fazer de forte mas...
- Não chore se não eu irei chorar junto. A abraçava.
- Eu sei que agente cria filhos para o mundo, eu sabia que um dia você iria embora, ter sua vida, mas eu esperava que isso fosse acontecer quando você se formasse. Começava a chorar.
- Viu, eu disse que não queria chorar. Sorria enquanto lágrimas desciam.
- Tudo bem . A afastava. - Melhor você ir.
- Thanks. Entrava no Táxi, colocando a mala a seu lado, logo em seguida, abrindo o vidro. - Fique com Deus Mãe.
- Que ele seja sua companhia também minha filha. Acenava. - E assim que você estiver bem instalada, me avise, porque eu quero ir visitá-la.
- Pode deixar que eu irei. Sorria. - Sua benção.
- Deus te abençoe querida. Via o Táxi se distanciar enquanto Patrick a abraçava de lado.





- Adeus East St. Louise. Ash fechava o vidro do automóvel, encostando sua cabeça na janela, olhando a paisagem da cidade, onde inciava um leve chuvesqueiro. Ash via conhecidos andarem pela rua, lugares marcantes, pessoas das quais não gostava muito... - Achei que essas mensagens já tinham acabado. Escutava o Bip de seu celular.

 " Quem lhe deu permissão para sair da cidade? Ou melhor, quem lhe deu permissão para sair do jogo? Não aprendeu que ele termina quando Eu digo Game Over" ? 
XoXo L.B.

- E quem você pensa que é para dizer o que eu devo ou não fazer? Acabou, você não manda mais em mim, chega. Dizia, enquanto abria o fundo de seu Iphone, retirando o Chip, quebrando o mesmo e o jogando  na rua. - Agora sim, acabou. Voltava a olhar para a Janela, enquanto o motorista esperava o sinal da praça da cidade abrir. - Jensen? Ash o via sentado em uma mesa perto da janela, dentro do Grill. - Espero que algum dia você entenda tudo. Abria o vidro do carro.
- Ash? Ele também via o carro parado ao lado de sua mesa. - Ash. Se levantava da mesa correndo, esbarrando em um garçom qualquer, fazendo o mesmo cair no chão. - Sorry. Se virava para trás e logo voltava a correr, saindo do lugar. - Ashley? Via o carro se distanciar. - Ashhhhleeeeyyy. Gritava o mais alto que podia, vendo o carro sumir no meio da noite. - I'm sorry. Se ajoelhava no chão. começando a chorar.
- I Love You and I Always Will.
Share this article :

1 comentários:

  1. Ahhhh, amei o capítulo gente. Quanta emoção em um só caps

    Pelo visto o Cap deveria ser chamar, esculhambem a Ash. kkkkkkkkkkkk
    Nick, Jensen, Mãe do Henri... Faltou mais alguém? haha

    Gente, eita que baixou Blair Waldorf na Nick. Nossa, tava puro veneno o Capítulo todo.
    Confesso que chorei com o que ela disse no fim. ='(
    A Ash não merecia escutar nem um terço do que escutou

    Bri é uma ótima amiga, ela pode ter todos os defeitos e ão tomou partido de ninguém. DIVA

    Ai que dó do Jensen e da Ash, eles merecem ficar juntos. Não creio que a Ash fugiu e foi para Londres. OMG
    Pior ainda foi esse final. Cryyyyy

    Ansiosa já pela continuação.

    ResponderExcluir

 
Support : Your Link | Your Link | Your Link
Copyright © 2013. Supernatural Family | Here's Your Family. - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger