Home » » Kill All The Secrets - Capítulo 3.03 - " Surprised? "

Kill All The Secrets - Capítulo 3.03 - " Surprised? "




Nome: Kill All The Secrets (Mate Todos Os Segredos).

Número de Temporadas: 3 

Capítulo: 3.03 - " Surprised?" ( Surpresos?)

Classificação : 18 - Contem cenas de violência,morte,sexo...

Personagens:  Ashley,Brittany, Nickole, Lavínia, Jensen, Jared, Misha, Matthew Devereux, Daphne , Hannah, Maisie, Elle, Lilly, Cecy, Rene, Patrick,

Sinopse: Alguns meses se passaram desde os últimos Acontecimentos. Ash tem sua nova vida em Londres, embora pareca ser difícil deixar certas lembranças no passado, principalmente quando nesse passado, foi deixado o amor de sua vida. Nick tem uma mudança em seu comportamento, aquela garota doce e romântica, não existe mais, alguém extremamente egoísta e insegura assume o controle de sua personalidade. Sua vida pessoal também, parece estar longe de boa, principalmente em casa, onde algo aparentemente não está certo. Bri e Misha, bom, esses parecem viver no paraíso, oops, eu disse paraíso? Me perdoem, o paraíso está mais para um antro de perdição. Assim como a personalidade de Bri, o relacionamento dos dois, é mais confuso ainda, principalmente quando a Loira quer apimentar as coisas. E enquanto a Jared? Bom, esse se encontra na mesma situação de Ash, tirando a parte de ter se mudado, Jared sofre amargamente as consequencias do beijo, consequencias quais fizeram seu melhor amigo se afastar, Sim, Jensen não consegue deixar para trás o que lhe atormenta, justamente por saber que Ash esse tempo todo disse a verdade, como seguir em frente sendo que as lembranças de Ash não permite? E enquanto a Lav? Bom, se você acha que ela está na pior, erro seu,  quero dizer, ela continua presa, mas a prisão não é tão ruim assim quando se tem certos privilégios. Dois novos personagens aparecem, Dafhne e Matthew. Dafh, misteriosa e aparentemente inofensiva. Matt, lindo, rico, educado e apaixonado, Se a perfeição tivesse nome, com certeza ele estaria no topo da lista. E para terminar, por onde anda "L.B." quando a personagem principal não se encontra mais em East St. Louise? Qual a graça de continuar seus jogos se Ash não está mais aqui? Bom, melhor não subestimar sua inteligência,pois quando menos se espera...





3.03 -  " Surprised? "
"Surpresos?"



Duas Semanas Depois...


Ash's Home 





- Ash, você está pronta? Lilly batia na porta do quarto da filha.
- Quase, me dê somente mais alguns instantes. Dizia sentada na cama, olhando para seu Notebook.
- Ok, mas não demore muito, não é de bom tom deixar as pessoas esperando. Saía dali.
- Fine Mommy. Continuava a olhar para seu Notebook, que estava aberto no bloco de notas. - Bom, eu sei que isso pode parecer estranho, mas eu dificilmente irei confiar em alguém para contar essas coisas, na verdade, desabafar. Ash dizia para si mesma. - Então, eu vou seguir o conselho do Matt e escrever o que eu estou sentindo aqui, porque pelo menos eu sei que em uma máquina, posso confiar. Sorria e logo começava a digitar seus pensamentos.
" - Há algum tempo atrás, eu nunca achei que minha vida pudesse mudar tanto em questão de tão pouco tempo, nunca achei que iria me distanciar daquelas pessoas que eu mais considerei e mais amei, é eu sei, esse amei, não deveria ter sido conjugado no passado... - Quando conheci o Henri, achei que ele fosse o amor da minha vida e que com ele me casaria, mas a vida ou destino, fez questão de me provar o contrário, colocando outra pessoa em minha vida, pessoa qual, fez questão de me quebrar em mínimos pedaços, que eu ainda tento juntá-los...
- Eu poderia falar também da minha Ex melhor amiga, mas eu não vou perder meu tempo com alguém que preferiu colocar qualquer um a minha frente, a única amiga que eu realmente considero, é a Bri, essa sim, sempre esteve ao meu lado, sem julgar, sem se preocupar com o que as pessoas diziam, eu sei que ela tem esse lado maluco e impulsivo, mas não é isso que realmente faz tudo valer a pena?
 Hoje, quase Dois meses e meio depois da morte do meu primeiro amor, eu estou me envolvendo com outra pessoa, não pense que é fácil isso, porque não é. O que me dá forças para seguir em frente foi o último pedido feito por você Henri, o de " Seja Feliz" e tenha certeza, que se eu estou de pé hoje, é porque esse pedido me encoraja todos os dias. Eu queria que você não tivesse partido e se eu pudesse voltar no tempo, eu nunca teria te traído e muito menos te feito de segunda opção, eu sei que fui uma tola por achar que o Amor sempre deve vir em primeiro lugar. Carinho, respeito, dedicação, sinceridade, confiança, entre outras coisas, são muito mais importantes em um relacionamento e talvez tenha sido necessário aprender isso da pior maneira possível.
- Dois meses podem parecer pouco para se inciar um relacionamento, principalmente com uma pessoa que "Você Mal Conhece", mas o pouco que eu conheço do Matt, é o suficiente para eu aceitar a namorar com ele, na verdade, eu não estou namorando com ele, mas eu vou conhecer os Pais dele nesse jantar de hoje, estranho não?
- Mas isso já mostra muito sobre o caráter do Matt, ele não é do tipo que quer apenas brincar, ele é um homem sério, está no último Ano de Direito, a Família dele tem muitos negócios, dos quais ele irá cuidar... Hoje completa Um Mês desde que nos conhecemos e Um Mês também desde que nos beijamos. Sabe, ele me faz bem, eu me sinto protegida ao lado dele, mas eu sinto que ele esconde algo, talvez ele resolva dizer o que é durante essa noite e eu também não me importo muito com isso, já que eu escondo boa parte do meu passado e ele não me pressiona com isso... Bom, eu posso dizer que finalmente estou sentindo minha vida seguir no rumo certo, minhas notas na Faculdade estão ótimas e meu curso, falta pouco para acabar, quem sabe daqui há no máximo Dois meses eu consiga algum estágio em uma grande revista?
- Bom, acho que por enquanto é só, já estou me sentindo mais aliviada, o Matt tinha razão, me fez bem escrever esse desabafo, me sinto mais leve e espero continuar assim XoXo !!!
Ash salvava seu texto em uma pasta protegida com senha e logo caminhava até seu Closet, se olhando no espelho,começando a Se lembrar do dia em que aconteceu seu primeiro beijo com Matt...

...


Look Bri - Look Misha - Imobiliária


- Misha, você está nervoso? Bri entrava na sala do namorado, que olhava pela janela o movimento que estava ao lado de fora da Imobiliária.
- Um pouco, eu tenho um pouco de pavor desses eventos. Olhava para ela.
- Ué, então você não deveria ter organizado esse coquetel. Se aproximava dele, se sentando na beirada da mesa.
- Mas eu precisava fazer,uma divulgação sempre ajuda nos negócios...
- Marketing, a alma de todo negócio. Bri sorria para ele.
- Tem muita gente lá fora?
- Apenas os clientes e outras pessoas que você convidou.
- Good. Começava a estalar os dedo.
- Misha, venha aqui. O puxava para si. - Isso deve te acalmar. Iniciava um beijo.
- Isso ajuda, mas ainda não é o suficiente.
- E agora? Bri se levantava da mesa, o prensando na parede, começando um beijo mais intenso, deslizando suas mãos pelo peitoral dele, puxando a gravata do namorado. - Quer que eu continue? Mordia os lábios, olhando para "Baixo", sentindo certos detalhes darem sinal de vida. - Eu posso fazer um Strip agora mesmo, em cima dessa mesa. Olhava para ele.
- A ideia é tentadora, mas alguém pode entrar, é melhor deixar isso para mais tarde.
- Tudo bem. Sorria maliciosamente, dando uma leve arrumada no cabelo de Misha. - Olha, fique calmo, eu estou aqui com você, vai dar tudo certo. Acertava a gravata dele.
- Thanks. Sorria. - Mudando um pouco o assunto, a Nick chegou?
- Yeah, ela me ligou mais cedo dizendo que chegou e trazendo uma novidade.
- Novidade?
- Ela conheceu uma  mulher...
- Ela virou lésbica? Se assustava, fazendo Bri começar uma gargalhada.
- Misha, deixa eu terminar de falar. Continuava rindo.
- É, deveria ter ficado de boca fechada.
- Então, ela conheceu essa garota no SPA, que veio da Califórnia e acabou de conseguir um emprego de professora na Universidade daqui...
- Que coincidência.
- Foi o que eu disse. Dizia pensativa. - Só espero que não seja nenhuma dessas chatas metidas a intelectual, não tenho paciência.
- A Nick vai trazer ela aqui?
- Foi para isso que ela me ligou, para perguntar se tinha algum problema...
- Bri, eu te conheço...
- Ué, eu disse para a Nick que se essa Mulher for chata, melhor nem trazer...
- Oh God, abençoe essa noite e a livre de confusão.

...

Look Ash - Look Lilly


- Ash. Lilly entrava no quarto da filha. - Podemos ir? O Matt mandou um motorista para nos pegar.
- Se a Senhora soubesse como eu estou nervosa em ter que conhecer os Pais dele. Se olhava no espelho.
- Medo de que? Pelo o pouco que eu pude conhecer do Matthew, ele é tão educado, os pais dele também devem ser.
- E eu também estou apreensiva, será que fiz bem em aceitar ir nesse jantar? Dizia um pouco nervosa.
- Ash, o que realmente está te incomodando? Se sentava na cama dela, vendo-a se aproximar.
- A Senhora sabe que nós estamos ficando, saindo, se conhecendo, sem compromisso algum certo? Se sentava ao lado da Mãe.
- Sim e Eu aprovo isso.
- Eu estou com medo dele me pedir em namoro na frente dos Pais. Olhava para Lilly.
- E porque isso seria algo ruim? Dizia um pouco surpresa. - Isso só mostra que ele é um homem sério.
- As vezes eu acho que não estou pronta para entrar em outro relacionamento entende?
- Mas você só vai saber disso se der uma chance para ele.
- Você acha isso?
- Sim, ele é um homem tão bom, educado, engraçado, gentil...
- Nisso você tem razão, eu adoro ficar perto dele, me faz tão bem, mas tem um porém...
- Que porém?
- Ele não sabe do meu passado, eu omiti certos detalhes. Olhava para baixo.
- Eu acho que você também não sabe um pequeno grande detalhe da vida dele.
- Como? Ash olhava espantada para a Mãe.
- Nada, esquece, ele vai te contar isso.
- Fine. Ash se levantava, pegando seu perfume em cima da penteadeira, dando pequenas borrifadas em seu pulso, passando-o por seu pescoço.
- Podemos ir? Lilly se levantava também.
- Yeah. Se aproximava da mãe, dando o braço para ela, saindo juntas dali. - A Elle não quer vir?
- Ela disse que está cansada do curso de culinária que está fazendo. Gargalhava. - E que está envergonhada em ir no jantar também.
- Ainda bem que a Senhora veio passar o resto do verão comigo. Desciam as escadas chegando até a sala.

...


Look Patrick - Look Cecy


- Patrick. Cecy, mãe de Nick se aproximava do Xerife, que também estava no pequeno Coquetel de Misha.
- Cecy, boa noite. A cumprimentava.
- Boa noite, como você está? Dava três beijinhos nele.
- Muito bem e você?
- Ótima, obrigada por perguntar. Se encostava no balcão.
- E o Nestor? Porque não veio?
- Disse que não estava com paciência para festas e preferiu ficar em casa, ai vocês homens, vou te falar.
- Fale por ele, não por mim... Sorria.
- Sorte teve a Lilly, você a valoriza, vocês saem, viajam... - Meu casamento anda tão rotineiro.
- Isso deve ser uma fase, logo passa.
- Assim espero. Arrematava o resto da bebida que estava no copo.
- E a Nick? Como ela está? Fiquei sabendo que ela viajou...
- Ela chegou hoje da capital e aparenta estar muito bem.
- Good. Sorria. - Ela vai vir aqui hoje?
- Sim, sai de casa ela estava se arrumando. Dizia pensativa. - E a Ashley, como está?
- Bem, pelo menos por telefone...
- E a Lilly, quando volta?
- No fim do verão...
- Menos de Um mês então. Olhava para os lados.
- Yeap.
- Patrick, posso te fazer uma pergunta? Dizia receosa.
- Claro.
- A Lavínia, já se passou um tempo desde sua prisão e até hoje nada de julgamento...
- Que fique entre nós, o advogado que ela arrumou é ótimo, está atrasando esse julgamento o máximo que pode... Dizia em baixo tom de voz.
- Porque isso?
- Para ela não ir para a penitenciária feminina.
- Deve ser terrível ficar com uma criminosa do porte dela na delegacia...
- A Lavínia sabe como ninguém ser inconveniente, você acredita que um dia ela começou uma rebelião para não usar uniforme?
- Sério? Ficava surpresa.
- Sim e o pior de tudo é que eu tive que ceder...
- Patrick, você deveria redobrar a vigilância em cima dela.
- Eu já fiz isso, tem um Guarda que veio diretamente da Capital para ficar de olho nela.
- Humm, que bom escutar isso... Via Karl, a ex empregada de Lav se aproximar.
- Karl. Patrick olhava para ela.
- Boa Noite Senhor Xerife.
- Que engraçado, estávamos falando justamente da sua Ex Patroa... Cecy sorria.
- Imagino que mal. Deduzia.
- É uma pena você não querer depor no julgamento dela...
- Ai Xerife, eu prefiro ficar neutra nessa historia, eu já tenho uma certa idade e não quero problemas...
- Eu não tiro sua razão, depois de tudo que a Lavínia já fez. A mãe de Nick dizia.
- Por isso mesmo.
- Bom, caso você mude de ideia, é só me procurar na delegacia. O Xerife dizia. - Eu posso manter seu depoimento como anonimo...
- Tudo bem Xerife, eu vou pensar.
- Só não demore muito, o julgamento da Lavínia deve ser marcado para o Início do Outono. Olhava para ela. - Se vocês me dão licença. Patrick saia dali...

...





- Ash. Matt via o carro de seu motorista parar de frente para sua casa e logo caminhava até o automóvel. - Por favor, deixe que eu abro. Matt impedia o motorista de abrir a porta do carro. - Boa Noite. Dizia ao abrir a porta do carro. - Senhora Baltmore. Dava a mão para a Mãe de Ash descer.
- Thanks Matt e eu já lhe disse que você pode me chamar de Lilly. Dava um boa olhada ao seu redor, percebendo que Matt não morava em uma casa qualquer e sim em uma luxuosa mansão.
- Tudo bem Lilly. Sorria e logo estendia sua mão, ajudando Ash a descer do carro. - Uau, você está mais linda que o de costume. Olhava nos olhos dela.
- Thank You. Dava um selinho nele. - Juro que não imaginava que você morava bem aqui.
- Porque? Sorria.
- Por nada, é que eu tenho costume de caminhar às vezes e eu fiquei encantada com essa casa.
- Que bom que você gostou. Dava o braço para ela. - Podemos entrar?
- Claro. Caminhavam até a entrada da mansão, Lilly vinha logo atrás, olhando pequenos detalhes do local.
- Uau, é uma linda mansão. Lilly admirava a beleza do lugar.
- Obrigado Lilly. Matt se virava para trás. - Sinta-se a vontade em minha casa.
- Eu Irei. Se aproximavam da porta de entrada, dando de cara com os Pais de Matt.
- Ashley, Lilly. Matt ficava de frente para elas. - Esses são os meus Pais, Michelle Devereux e Aaron Devereux. Se virava para seus Pais. - Mãe, Pai, essas são Ashley Baltmoore e Lilly Baltmoore.


Look Matt - Devereux's Home - Look Michelle - Look Aaron



- Muito prazer Senhor Devereux. Ash se aproximava dele, que a cumprimentava com um abraço.
- Vejo que os elogios do Matt são mais do que verdadeiros, você é realmente encantadora.
- Thank You, digo o mesmo do Senhor. Sorria. - Senhora Devereux, é um prazer conhecê-la.
- Digo o mesmo Ashley. Trocavam três beijinhos. - E por favor, pode me chamar pelo primeiro nome. Sorria.
- Tudo bem Michelle. Sorria.
- Senhor e Senhora Devereux, muito obrigada por Receber eu e minha filha em sua residência. Lilly os cumprimentava.
- Que isso Senhora Baltmoore, é um prazer enorme. Aaron pegava a mão dela, beijando-a. - E por favor, nós devemos ter a mesma idade, então podemos nos tratar por primeira pessoa.
- Ok Aaron. Sorria.
- Então Lilly. Michelle se aproximava dela. - O Matt me disse que você mora em uma cidade de porte médio na Pennsylvania... As duas saíam conversando para dentro de casa.
- Então Ashley, o Matt me contou que você está fazendo um curso de moda na Central Saint Marins, está gostando?
- Estou sim Senhor Aaron, é um curso muito interessante, além de moda ele envolve um pouco de artes também. Sorria.
- Ela é super dedicada. Matt a abraçava de lado.
- E faculdade, você já faz?
- Sim, de Jornalismo, eu inclusive já me matricule na University College Of London, se Deus quiser daqui há um ano e meio me formo.
- Nossa, estou surpreso, atualmente é tão difícil achar uma mulher bonita que não seja fútil ou pense em se casar por dinheiro...
- Pai... Matt o repreendia.
- Tudo bem Matt. Ash sorria para ele. - Mesmo isso não sendo uma pergunta, fique sabendo que eu tive apenas Dois namorados em toda minha vida, um era Estudante aqui em Londres e o Outro Professor, ou seja, não estou atrás de dinheiro algum, até porque, não preciso disso, o que meu Pai deixou dá para eu viver muito bem até minha velhice. Saía dali jogando o cabelo, indo atrás de sua Mãe.
- O Senhor com essa estúpida mania de achar que as pessoas se interessam por mim pelo dinheiro da nossa família. Matt o recriminava.
- Desculpa filho, mas depois da sua última namorada ter tentado dar o golpe da barriga, eu não posso deixar isso acontecer e foi bom levar esse resposta dela, isso mostrar que ela tem dignidade.
- Espero que o Senhor peça desculpas para ela. Saía dali indo atrás de Ash.


...

Look Jensen

- Bri. Jensen a via se aproximar. - Hi. Sorria.
- Jensen, achei que você não iria vir. Parava ao lado dele, que estava encostado no balcão da recepção.
- Misha é meu amigo, é mais do que minha obrigação estar aqui. Bebia um pouco de Whisky que estava em seu copo. - Falando nele, onde ele está?
- Na sala dele, esperando o antigo Dono daqui chegar para fazer um pequeno discurso. Gargalhava.
- Ele está lá apenas por isso ou por vergonha?
- Os dois. Sorria.
- Misha definitivamente é meio piradinho. Via Bri concordar balançando a cabeça. - Posso te fazer uma pergunta, um pouco fora desse assunto?
- Claro.
- Você sabe para onde a Ash foi? Dizia um pouco envergonhado.
- Não, mas talvez o Patrick saiba. Apontava ele um pouco mais a frente. - Você não consegue esquecê-la não é?
- Está tão visível isso? Forçava um sorriso.
- Só de olhar nos seus olhos dá para perceber.
- Será que algum dia ela vai me perdoar? Olhava fixamente para os olhos de Bri.
- Sinceramente? Eu não sei, mas a Ash estava muito machucada quando foi embora.
- Bri. Jared parava ao lado dela, olhando sem graça para Jensen.
- Eu vou falar com o Patrick, agente se vê depois... Olhava para Bri, saindo dali.

Look Jared


- Esse clima entre vocês, é tão estranho. Sorria, olhando para Jared.
- Se você soubesse como é ruim ver ele me desprezar com o olhar.
- Eu imagino, é horrível perder alguém que você considera uma irmã. Bebia um pouco de seu coquetel.
- Você está se referindo a Ash certo?
- Uhum. Sorria.
- Mas pelo menos você sabe que ela não sente raiva sua.
- É, de fato, mas isso não minimiza o fato de sentir saudades dela.
- Falando nisso, eu preciso te contar algo sobre ela. Dizia um pouco receoso.
- OMG, não me diga que vocês foram para a cama?
- Não, ainda bem que isso não aconteceu.
- Ainda bem. Respirava aliviada. - Então, o que é?
- Sabe quando eu a beijei?
- O dia onde tudo resolveu acontecer? Bri ironizava.
- Yeah.
- O que tem ele?
- Antes de ter a beijado, Ela estava estranha, sabe, se despedindo de verdade...
- Ok e o que aconteceu? Se interessava.
-  Ela disse, que iria ter algo enterrado no jardim da casa dela para o Jensen, que ele iria saber onde...
- E porque você está falando isso somente agora?
- Porque eu acabei esquecendo e lembrei disso do nada.
- O que deve ter lá? Dizia pensativa.  - Ou melhor, porque você está me dizendo isso?
- Por que você é a única que pode dizer isso ao Jensen?
- Ok, se a Ash estava se despedindo... Bri começava a pensar consigo mesma. - Talvez não seja uma boa ideia falar isso para o Jensen, não agora.
- Porque?
- Porque isso tudo para ele ainda é muito recente.
- E o que você sugere?
- Esperar um pouco mais, assim talvez ele não sofra muito? Dizia duvidosa.
- É, acho que você tem razão.

...






- Aposto que deve ter sido a Nick que esqueceu algo. Nestor, Pai dela, escutava a campainha tocar e logo se levantava do sofá, indo atendê-la.
- Hi Senhor Nestor. A empregada da casa de Nick sorria para Ele.
- Holly, o que você faz aqui a essa hora? A olhava de cima embaixo.
- É que eu esqueci minha bolsa aqui mais cedo e meus documentos estão dentro dela, tem algum problema eu ir pegá-la?
- Não, onde você a deixou?
- Se não estiver na cozinha, deve estar no quarto da Dona Cecy.
- Tudo bem, pode ir lá, eu vou ficar aqui na sala vendo Tv.
- Tudo bem. Passava por ele, que logo fechava a porta. Nestor caminhava até o sofá da sala, ligando a Tv e começando a zapear os canais.


Nestor - Holly

- A bolsa não está na cozinha, devo ter deixado no quarto antes de sair, posso subir? Holly voltava da cozinha.
- Claro. Se virava para ela, reparando na roupa provocante que ela usava. - Oh, God. Balançava a cabeça e logo voltava a olhar para a Tv. - Não deveria ter deixado ela subir... Nestor pensava.
- Holly, está tudo bem? Gritava, não obtendo resposta. - Holly? Se levantava do sofá, subindo as escadas rapidamente, chegando até o seu Quarto. - O que você está fazendo? Se assustava ao vê-la em cima de sua cama, usando apenas a parte debaixo da Lingerie.
- Eu não esqueci minha bolsa aqui, na verdade, isso foi apenas uma desculpa.
- Porque? Se fazia de sonso.
- Não se faça de idiota, eu percebo a maneira que você olha para mim, com olhos de desejo.
- Você está maluca, saía daqui. Aumentava sua voz. - Minha esposa pode chegar a qualquer momento.
- Querido, eu sei que você quer isso. Se aproximava dele.
- Você é louca. Olhava para os seios dela.
- Você sabe que não. Gargalhava. - Você me deseja, você me quer e eu não vejo problemas nisso. Começava a levantar a camisa que ele vestia. - Afinal, eu sou mais jovem, mais gostosa e muito mais bonita que sua esposa, é um desperdício um homem feito o Senhor nas mãos daquela velha acabada.
- Não fale isso dela. Olhava para ela, dizendo suavemente, deixando se levar por Holly.
- Tudo bem, não vamos falar dela, na verdade, ela nem precisa ficar sabendo disso, isso será nosso segredinho. Aproximava seus lábios dos dele, começando um quente beijo. Nestor a deitava na cama e logo começavam a se despir...

....



- Ash, estava falando para a Michelle sobre seu Pai. Lilly via a filha a seu lado.
- Homem mais honrado do mundo. Sorria.
- Você sente falta dele? Michelle olhava para ela.
- Todo dia, principalmente por não ter conseguido me despedir dele sabe... Olhava para o chão.
- Me desculpe por tocar nesse assunto.
- Está tudo bem. Olhava algumas pinturas penduradas na Parede da sala de entrada.
- Vamos mudar de assunto. Michelle sorria. - O Matt me falou que você faz faculdade de jornalismo e está fazendo um curso de verão, está gostando?
- Estou adorando.
- Já sabe qual área quer seguir?
- Sim, eu já estou começando a ver alguns estágios em revistas de moda, na verdade. Sorria. - Eu fui até sondada para trabalhar em uma, só que resolvi não aceitar, a revista ainda está no começo e...
- Faz muito bem, estágio agente tem que conseguir em lugares bons, porque assim, é só esperar uma promoção.
- Exato.
- Senhora Michelle. A empregada se aproximava dela.
- Sim Adrianna. Olhava para ela sorrindo.
- Uau, que linda. A empregada olhava para Ash.
- Thank You, Adrianna, Prazer, me chamo Ashley. Esticava sua mão, fazendo a empregada apertá-la.
- O Matt dessa vez teve sorte, você é uma boa pessoa. Sorria.
- Thanks, você é muito simpática.
- Que isso, apenas disse o que vi em você. Olhava para  Ash e logo se virava para Michelle. - Senhora, eu vim avisar que o jantar está pronto, posso servi-lo?
- Claro, nós já vamos em instantes para a sala de refeição.
- Tudo bem, com licença. Saía dali.
- Ash. Matt chegava por trás, a abraçando. - Perdoe meu pai pelo que ele disse...
- Tudo bem Matt, eu não estou chateada com isso. Se virava, dando um selinho nele.
- Eles formam um lindo casal. Michelle cochichava com Lilly.
- Eu concordo.
- Ashley, me perdoe pelo que eu disse lá fora, você deve entender que quando...
- Tudo Bem Senhor Aaron, eu sei que dinheiro atrai gente interesseira, mas quero que fique bem claro, que eu não estou aqui por isso...
- Eu não acredito que você fez algum comentário do tipo. Michelle se assustava. - Será que você não percebeu que diferente de outras pessoas a Ashley tem classe, educação, porte e principalmente, bondade?
- Gente, tudo bem, não precisa brigar por isso. Ash tentava acalmá-los.
- Não precisa mesmo, a Ash jamais foi esse tipo de garota e além do mais, meu falecido marido deixou o equivalente para uma vida extravagantemente confortável.
- Oh Lilly, lhe peço perdão por isso. Michele se envergonhava.
- Tudo bem, vamos esquecer isso.

...





- Xerife Patrick? Jensen se aproximava dele, que estava parado no balcão da área de funcionários.
-  Jensen, certo? Olhava para ele, estendendo sua mão, fazendo o mesmo apertar.
- Isso. Sorria
- Imagino que você queira saber sobre a Ash, estou certo?
- Sim, o Senhor pode me dizer como ela está?
- Ela está muito bem, o que me faz muito surpreso, já que ela sempre desmorona em situações de tragédia...
- É bom escutar isso. Sorria um pouco sem graça. - O Senhor sabe onde ela está?
- Infelizmente, a Lilly preferiu não me contar...
- Eu queria tanto poder me desculpar com ela...
- Creio que isso não vai ser possível.
- O Senhor provavelmente deve me odiar por tudo que eu fiz.
- Sabe que não, você tinha seus motivos, suas razões, pena que você caiu em si tarde demais.
- Se arrependimento matasse... Olhava para baixo. - O Senhor não tem pelo menos o número do celular dela?
- Ela sempre faz ligações ocultando o ID do celular. Olhava para ele. - A Ash simplesmente se cansou dessa vida aqui sabe, ela não quer voltar e muito menos ser descoberta.
- Eu amo ela. Dizia com os olhos cheios de lágrimas
- Olha, posso te dar um conselho?
- Claro. Concordava.
- Esquece a Ash, o tempo de vocês acabou. Olhava para ele. - Você é um homem bem apessoado, tem um bom emprego com uma carreira promissora, encontre uma mulher digna de você e seja feliz ao lado dela.
- Será impossível fazer isso, eu não quero outra mulher, eu quero a sua Afilhada.
- Sinto muito, mas isso só vai lhe trazer sofrimento. Patrick saía dali, deixando Jensen sozinho.
- Whatever. Saía dali, passando pela área de serviço da Imobiliária, caminhando até a sala de Misha, parando antes de entrar, ao escutar ele conversar com alguém...

Look Gert



- Uhh, meu gostosão, finalmente nós estamos a sós. Gert, a velha safada estava de volta.
- Senhora. Misha se afastava. - Por favor, fique onde está.
- Meu bebezão, gostosão. Ficava de frente para ele. - Não precisa temer, eu só quero te ter em meus braços. Deslizava seu dedo no peitoral dele.
- Não, eu tenho namorada, por favor, fique onde está.
- Baby, não tenha medo. O puxava para si, se aproximando do ouvido dele,começando a cochichar. - Eu quero percorrer seu corpo nu com minha língua e depois fazer...
- Heeeeelp, alguém me ajuda. Misha gritava.
- Dude. Jensen entrava na sala gargalhando. - Eu não sei se te ajudo, ou se continuo rindo.
- Tira essa senhora daqui. Fazia voz de coitado.
- Não precisa me tirar. Gert se virava. -  Eu vou, mas fique sabendo que eu volto, meu garanhão. Descia seu dedo até sua parte íntima e logo se virava, saindo dali.
- Cara, você tinha que ver sua cara. Jensen continuava gargalhando.
- Essa velha é maluca. Se recompunha.
- Maluca por você. Sorria.


...

- Pessoal, podemos Jantar agora? Michelle olhava para eles, que estavam olhando algumas pinturas na sala de entrada da casa.
- Por mim. Aaron sorria.
- Claro que podemos. Ash e Lilly diziam juntas.
- Tudo bem, e logo depois do Jantar eu faço questão de mostrar a casa para vocês.
- Fine. Lilly sorria.
- Antes de jantar, eu queria dizer algo para a Ash. Matt olhava para ela.
- Ok. Deduzia o que poderia ser.
- Podemos ir até a sala de visitas por um instante? Matt dizia.



- Claro. Todos concordavam, Aaron e Michelle se olhavam já sabendo do que se trava. Todos saíam da sala de entrada, indo até a sala de visitas, se acomodando no sofá, Matt ficava de frente para eles, no centro da sala. - Bom, eu não sei muito bem como dizer. Olhava para Ash, que estava sentada ao lado da mãe. - A verdade é que, desde que nós nos vimos no Shopping em Harrisburg, eu não tiro você da minha mente. Olhava nos olhos de Ash, que sorria. - Antes, esse seu sorriso, era apenas uma prazerosa lembrança, lembrança qual eu jamais queria esquecer. Sorria. - Eu sei que isso é loucura, principalmente por eu mal te conhecer, ou melhor, eu não sabia quem você era. Mas o tempo foi passando e sua face continuava ali, na minha mente e eu achando que estava ficando maluco, como eu poderia sentir algo por uma pessoa que eu apenas esbarrei em um Shopping? Mas tudo mudou, quando nós nos esbarramos de novo e dessa vez, aqui em Londres, se você soubesse o quanto meu coração batia acelerado naquele momento...
- Matt, que lindo. Ash se emocionava.
- Pode parecer pouco tempo, mas eu sei o que sinto e sei que você é a mulher da minha vida e eu não vou deixar a chance escapar. Sorria. - Acho que você já deve saber o que eu irei fazer, mas antes disso, eu preciso te contar algo que eu estou escondendo de você. Olhava para baixo. - Eu apenas não te contei isso antes, porque queria te proteger e principalmente, não deixar isso interferir em nada...
- Matt, você está me assustando. Forçava um sorriso.
- Ok, eu vou falar tudo de uma vez, por favor, não fique com raiva de mim, eu não fiz por mal. Respirava fundo. - Minha família vem de uma longa descendência da Nobreza Européia, mais especificamente, Descendência de Condes, do qual o Título era do Meu Pai e tempos atrás foi passado para mim. Olhava para ela, que simplesmente não exibia reação alguma. - Ash. Matt se preocupava.
- Eu preciso de um pouco de ar. Se levantava, saindo correndo dali.
- Me desculpem. Lilly saía atrás da filha.

...





- Bri, você sabe se a Nick voltou de Harrisburg? Jared olhava para ela.
- Sim, ela chegou mais cedo.
- E ela vai vir aqui ?
- Até onde sei, sim, na verdade, já era para ter chegado. Olhava para os lados.
- Será que ela ainda está com raiva de mim?
- Acho que vamos descobrir isso agora... Dizia surpresa ao ver a amiga vestida de uma maneira da qual nunca achou que iria viver para ver. - OMG, o que a Nick fez? Dizia espantada, ainda olhando para ela, que se aproximava acompanhada, despertando os olhares dos homens no recinto. - Awesome, mais uma loira ou melhor duas, vou pintar meu cabelo de preto, que coisa mais clichê. Dizia, fazendo Jared sorrir.


Look Nick - Look Daph


- Bri. Nick parava de frente para ela. - Que saudades. A abraçava.
- Uau, nunca imaginei que iria te ver loira e usando roupas assim. Dizia mais do que surpresa.
- Gostou da minha mudança? Se afastava e logo dava uma voltinha.
- Sendo sincera, prefiro você morena.
- Que pena, porque essa é a nova Eu. Olhava para Jared. - Está olhando o que querido? Nick se virava para ele.
- Nada, é que você está diferente. A estranhava.
- Estou mais mulher querido, mais magra...
- De fato, não sei o que você fez, mas nunca te vi tão magra. Bri a interrompia.
- Thank You. Jogava o cabelo. - Deixe eu apresentar, essa daqui é minha nova amiga, Daphne. Apontava ela. - Daph, esses são Brittany, minha amiga e Jared, meu Ex. Dava ênfase no 'Ex'.
- Prazer Brittany, Jared. Acenava para eles. - Espero que possamos ser amigos.
- Você é a professora? Bri deduzia.
- Sim, então a Nick falou de mim.
- Yeah. Olhava bem para ela. - Não sei porque, mas eu tenho a impressão que já lhe conheço.
- Impossível, morei minha vida Toda em Los Angeles. Sorria.
- Seja bem vinda Daphne. Jared sorria para ela.
- Obrigada. Sorria de volta para ele. - Sabe que é uma pena as coisas entre vocês terem acabado de maneira ruim, formam um lindo casal.
- Bom, não vamos falar de coisas do passado que não valem a pena. Nick dizia cinicamente. - Bom, se vocês me dão licença, vou pegar algo para beber. Saía dali.
- Ai, não ligue para isso, ela está muito machucada por tudo que aconteceu. Daph olhava para Jared.
- Eu vou atrás dela. Saía dali.
- Então Daphne, porque trocar a Califórnia pela Pensylvannia? Bri ia direto no assunto.
- Primeiro porque estavam precisando de novos professores aqui e como eu acabei de me formar, não podia escolher para onde ir...
- Humm. Dizia pensativa. - Espero que goste da cidade.
- Já estou amando, adorei esse clima de interior.
- Que bom, seja bem vinda. Dava um sorriso. - Bom, se você me der licença, eu vou atrás do meu namorado. Saía dali, indo até a sala de Misha, ao ver o Antigo Dono da Imobiliária entrar na sala dele.
- Humm. Daph dava uma risadinha. - Vou pegar algo para beber. Saía dali.



- Misha. Bri entrava na sala dele. - Está tudo bem?
- Claro, o Senhor Conor veio trazer a escritura que estava dando problemas...  Misha olhava para ela.
- Deu tudo certo? Bri se preocupava.
- Sim, está tudo bem. Se aproximava dela, abraçando-a.
- Podemos então fazer essa pequena Cerimonia? Conor dizia.
- Claro, antes que meu amigo aqui mije nas calças de tanto nervoso. Jensen dava leves tapinhas nas costas do amigo.
- Hey. Misha o repreendia.
- Awm, adoro quando você fica bravo. Bri gargalhava.
- Melhor irmos certo? Conor abria a porta da sala de Misha, saindo dali.
- Fine. Misha dizia enquanto dava o braço para Bri, saindo dali, Jensen ia logo atrás, ambos aparavam ao lado de Senhor Conor na sala de trabalho dos funcionários.
- Um minutinho de silêncio por favor. Senhor Conor chamava a atenção dos convidados presentes. - Boa Noite a todos. Sorria. - Bom, hoje, eu estou aqui, não como Dono dessa Imobiliária, que pertenceu a meu Pai e depois a mim. Como a maioria de vocês devem saber, devido a certas circunstâncias, me vi obrigado a passar meu negócio para frente e não deve ser segredo para ninguém que eu estava falindo, então, antes de entrar em uma situação crítica, eu resolvi vender isso aqui, que foi meu ganha pão desde sempre. Sorria. - Bom, sem muita demora, O novo dono disso tudo aqui, é o Senhor Misha Collins, que já trabalhou alguns anos nesse ramo e é com orgulho que eu passo a escritura e todos os documentos desse estabelecimento para ele, porque sei que o mesmo é um homem Honrado, que irá fazer esse negócio que foi tão importante para minha família, continuar funcionando. Entregava um quadro com a escritura do local e uma pasta com todos os documentos necessários.
- Thank You. Misha agradecia e alguns aplausos começava. - Obrigado a todos vocês por virem aqui, eu gostaria de dizer que estou muito feliz por ter realizado esse sonho. Sorria. - Muitos de vocês devem me conhecer como Padre, mas antes de entrar na vida sacerdotal, eu trabelhei alguns anos em uma Imobiliária, como corretor e na parte administrativa também. Pegava na mão de Bri. -  Bom, só quero dizer que tenho a intenção de fazer um excelente trabalho e enquanto aqueles que dependem da Imobiliária, seja moradores, comerciantes, tudo continuará do mesmo jeito...



- O que você tanto olha para a sala ao lado Jared? Daph se aproximava dele.
- Nada. Olhava para ela.
- Sei. Dava uma leve olhada, vendo Nick e um outro cara se beijando. - Se você a ama, não deveria desistir dela. Olhava para ele.
- E o que eu posso fazer se ela não me quer?
- Vá lá e mostre para aquele garoto que a Nick já tem dono. O olhava cinicamente.
- Sério? Duvidava
- Sim, ou você prefere perder ela? Bebia um pouco do coquetel que estava em seu copo.
- É, você tem razão. Saía dali, caminhando até a salinha ao lado, vendo Nick sentada no Balcão,  com suas pernas entrelaçadas no quadril do Homem em questão. - Nick. A chamava, se aproximando dela.
- Será que não dá para perceber que estou muito ocupada agora? Encostava sua cabeça no peitoral do cara, sorrindo cinicamente.
- Nick, que diabos você está tentando fazer? Estranhava o comportamento dela.
- Eu? Se fazia de sonsa. - Nada.
- Você não é assim, não se veste assim, essa não é você...
- Erro seu fofinho, essa é a nova Eu, querendo você ou não.
- Tudo isso porque. Dizia ao lado dela.
- Não termine essa frase. O interrompia, olhando para ele.
- Nós deveríamos conversar, esclarecer as coisas.
- Ai Jared. Descia do balcão. - Me deixa, não quero saber de suas desculpas, na verdade, elas pouco me importam. Se virava, ficando de frente para o garoto que a acompanhava.
- Não, você precisa escutar. A pegava pelo braço, fazendo-a se virar.
- Me solta seu idiota, você está me machucando.
- Não, nós vamos conversar vai ser agora...
- Hey cara, ela já mandou você a soltá-la. - O homem qual acompanhava Nick empurrava Jared.
- Fique fora disso, esse assunto é entre Eu e ela.
- É, mas o problema é que ela não está muito afim de ficar perto de você. Piscava para Jared.
- Eu já disse para você ficar fora disso. Engrossa o tom de sua voz.
- E se eu não ficar, o que você vai fazer? Sorria de lado.
- Isso. Dava um forte soco na cara do acompanhante de Nick.
- Jared. Nick gritava, percebendo algumas pessoas entrar na sala pela discussão, ou melhor, pela Briga.
- Isso não vai ficar assim. Limpava o sangue que saía do canto de sua boca e logo se aproximava de Jared.
- Por favor, não, vem, vamos sair daqui. Nick o impedia.
- Fine. Olhava para ela.
- Só mais uma coisa, pare de ficar vindo atrás de mim, eu não quero mais saber de você, acabou, você não significa mais nada para mim, e eu vou seguir minha vida do jeito que eu quiser, com quem eu quiser. Se virava, saindo dali.
- Jared, está tudo bem? Misha e Bri se aproximavam dele.
- Yeah. Olhava um pouco envergonhado para eles. - Me desculpe pela confusão.
- Tudo bem, não foi nada...
- Sabe Jay, talvez seja bom você deixar a Nick de lado... Bri dizia.
- Eu não posso, quando eu a vi conversando com esse babaca, eu fiquei com ciúmes.
- Desculpe por dizer isso, mas acho que agora é tarde demais. Bri dizia receosa.
- Não se ela ainda tiver sentimentos por mim. Saía dali.

...




- Ash. Lilly se aproximava da filha, que caminhava rapidamente até o portão de saída da Residência de Matt. - Espera.
- O que foi? Olhava para trás, parando ao lado do Chafariz.
- Como você está?
- Não sei. Suspirava. - Um pouco confusa talvez?
- Você está com raiva do Matt?
- Não, mas eu não sei o que pensar. Olhava para baixo .- A Senhora já sabia que ele é um Conde?
- Eu sabia que conhecia o sobrenome dele de algum lugar, mas depois deixei isso de lado. Olhava para Ash. - Mas ao chegar aqui, eu lembrei de uma matéria que saiu em uma revista mostrando a casa de alguns Nobres...
- E porque a Senhora não me contou?
- Porque quem deve lhe contar isso é ele.
- Falando nele. O via se aproximar.
- Quer que eu fique?
- Pode voltar lá para dentro.
- Tudo bem. Saía dali, dando um leve sorriso para Matt.




- Ash. Matt parava de frente para ela. - Me desculpe por ter omitido esse grande detalhe de mim.
- Você não podia ter feito isso.
- Você está com raiva de mim?
- Não, eu não estou com raiva. Dizia naturalmente.
- Então o que é?
- Você omitiu apenas isso, ou tem algo mais que eu precise saber?
- Não, eu apenas omiti isso...
- Porque? Porque você não me disse a verdade? Olhava nos olhos dele.
- Bom, primeiro porque quando eu contei de você para os meus Pais, eles se preocuparam e pediram para eu manter segredo, por medo de eu me aproximar de alguém interesseiro, mas que fique bem claro, eu jamais pensei isso de você.
- Ok, mas você poderia ter me contado antes.
- Ash, você não entende, se eu te contasse, você provavelmente iria me deixar. Dizia com os olhos cheios de lágrimas.
- Porque você diz isso?
- Porque sustentar esse Título, vem suas obrigações e com elas algumas coisas inconvenientes, como Mídia, paparazzi, boatos... Deixava lágrimas cair. - Eu via, na verdade, ainda vejo uma certa tristeza em você e te conhecendo bem, você gosta da sua privacidade. Olhava para baixo. - O fato é, você iria se afastar de mim...
- Você omitiu isso porque estava preocupado comigo? Se surpreendia.
- Sim, se a mídia começar com os Boatos de nós dois, tenho certeza que seremos os novos Príncipe William  e Kate Middleton, claro que de uma proporção um pouco menor...
- Aquele passeio de barco, alguns fotógrafos. Pensava. - Eles eram Paparazzi?
- Uhun. Pegava nas mãos dela. - Mas minha Mãe comprou as fotos, evitando sair qualquer coisa na mídia.
- Você só estava me protegendo?
- Sim, eu não quero que você perca sua privacidade, sua vida normal. A via sorrir.
- Você não cansa de me surpreender.
- Você não está com raiva?
- Como eu poderia ficar com raiva de você depois disso. Sorria. - Mas se a Mídia souber que somos um casal, o que acontece?
- Bom, além de alguns paparazzi, sempre tem certos eventos, que somos obrigados a Ir, talvez até a Rainha gostaria de conhecê-la e o principal, você iria ser chamada de futura Condessa.
- Uau. Se espantava. - Eu posso ser sincera? Olhava para ele.
- Claro.
- Eu não me sinto preparada para isso, isso é demais para mim, eu não mereço isso. Se virava.
- Espera. A segurava pela mão. - Você está terminando tudo?
- Eu não mereço isso, e principalmente, eu não mereço você. Dizia com os olhos cheios de lágrimas.
- Não diga isso, você é a mulher mais especial que eu já conheci, não desista de nós sem ao menos tentar.
- Matt, eu não me sinto segura o suficiente para ser uma pessoa pública desse jeito e principalmente, tem tanta coisa no meu passado, que talvez algum tabloide sensacionalista possa usar contra eu ou Você. Olhava nos olhos dele, deixando lágrimas cair. - Minha vida seria um inferno e o nome da sua família iria para o Lixo.
- Ash, o que você fez no passado, fica no passado e você é sim, uma pessoa integra e honrada. Pegava nas mãos dela. - Olha, se você realmente quiser, nós podemos tentar e manter nosso relacionamento desse jeito, anonimo, até você se sentir segura o suficiente para fazermos um anuncio.
- Você acha que isso é possível?
- Nós já não estamos fazendo isso há um Mês? Dava um leve sorriso.
- Você tem razão. Sorria.
- Posso? Se ajoelhava.
- Claro. Estendia sua Mão.
- Antes de mais nada. Retirava uma caixinha dentro de seu blazer. - Eu quero dizer que este anel,tem um significado muito importante, ele foi dado a minha Mãe como presente de 15 anos e antes dela, foi usado pela minha avó. Sorria. - E é com este anel que eu, Matthew Devereux, pergunto: Ashley Baltmoore, você gostaria de ser minha namorada?
- Eu adoraria. Sorria enquanto ele colocava o anel em seu dedo.
- Eu tenho certeza que vamos ser felizes. Se levantava, aproximando seus lábios dos dela, iniciando um apaixonado beijo, desejado por ambos. Lilly, Michelle e Aaron viam a cena na sacada da sala e logo começavam a bater palmas, fazendo Ash e Matt olharem para eles sorrindo.
Share this article :

1 comentários:

  1. OMG, gente que Caps ótimo, fico boba de ver que mesmo depois de tantos Caps a Laura ainda consegue dar um clima totalmente diferente na Fic.

    Matt é um Conde, Bapho socorro, isso vai render, sentindo. haha

    Nick e seu novo visual, tá ousada, mas prefiro ela de cabelo escuro e as roupas, ela devia maneirar, mas, deixa a menina curtir essa fase rebelde. kkkkkkkkkkkkkkk
    Falando nisso, ela parou com as vomitações da vida né?

    Chocada com a casa do Matt, é muito linda, ai Ash sortuda, acertou na loteria. kkkkkkkkkkkk

    Karl apareceu haha

    O pai da Nick, gente socorro, que velho safado, mas safada ainda a empregada. Bapho

    Super gostei da Ash fazendo um arquivo como se fosse diário, qualquer dia tentarei. hehe

    Senti falta da Lav divando. kkkkkkkkkkkk

    Senti algo estranho na Daph, vamos esperar para ver.

    Jared e Jensen que dó gente, espero qur tudo acabe bem para eles.

    Bri precisa urgentemente voltar pra vida de piriguete.

    Morrendo com a Gert. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Tadinho do Misha.

    Enfim amei o capítulo, Laura, vc é uma ótima escritora, Parabéns.
    Amei os Looks, o da Ash tava a cara do poder, adorei as músicas tbm, amo.
    Ansiosa por mais.

    ResponderExcluir

 
Support : Your Link | Your Link | Your Link
Copyright © 2013. Supernatural Family | Here's Your Family. - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger