Home » » Kill All The Secrets - Capítulo 3.04 - " College Things "

Kill All The Secrets - Capítulo 3.04 - " College Things "





Nome: Kill All The Secrets (Mate Todos Os Segredos).

Número de Temporadas: 3 

Capítulo: 3.04 - " College Things  "

Classificação : 18 - Contem cenas de violência,morte,sexo...

Personagens:  Ashley,Brittany, Nickole, Lavínia, Jensen, Jared, Misha, Matthew Devereux, Daphne , Hannah, Maisie, Elle, Lilly, Cecy, Rene, Patrick,

Sinopse: Alguns meses se passaram desde os últimos Acontecimentos. Ash tem sua nova vida em Londres, embora pareca ser difícil deixar certas lembranças no passado, principalmente quando nesse passado, foi deixado o amor de sua vida. Nick tem uma mudança em seu comportamento, aquela garota doce e romântica, não existe mais, alguém extremamente egoísta e insegura assume o controle de sua personalidade. Sua vida pessoal também, parece estar longe de boa, principalmente em casa, onde algo aparentemente não está certo. Bri e Misha, bom, esses parecem viver no paraíso, oops, eu disse paraíso? Me perdoem, o paraíso está mais para um antro de perdição. Assim como a personalidade de Bri, o relacionamento dos dois, é mais confuso ainda, principalmente quando a Loira quer apimentar as coisas. E enquanto a Jared? Bom, esse se encontra na mesma situação de Ash, tirando a parte de ter se mudado, Jared sofre amargamente as consequencias do beijo, consequencias quais fizeram seu melhor amigo se afastar, Sim, Jensen não consegue deixar para trás o que lhe atormenta, justamente por saber que Ash esse tempo todo disse a verdade, como seguir em frente sendo que as lembranças de Ash não permite? E enquanto a Lav? Bom, se você acha que ela está na pior, erro seu,  quero dizer, ela continua presa, mas a prisão não é tão ruim assim quando se tem certos privilégios. Dois novos personagens aparecem, Dafhne e Matthew. Dafh, misteriosa e aparentemente inofensiva. Matt, lindo, rico, educado e apaixonado, Se a perfeição tivesse nome, com certeza ele estaria no topo da lista. E para terminar, por onde anda "L.B." quando a personagem principal não se encontra mais em East St. Louise? Qual a graça de continuar seus jogos se Ash não está mais aqui? Bom, melhor não subestimar sua inteligência,pois quando menos se espera...





3.04 -  " College Things "
"Coisas De Universidade"





Look Ash - Sala

- Ninguém em casa. Ash descia a escada de sua casa lentamente, trajando um lindo e luxuoso vestido vermelho, exibindo lindas jóias e um olhar triste, com a make dos olhos um pouco borrada por seu choro.
- Elle? A gritava, para se certificar. - Elle? Terminava de descer os degraus e logo olhava para os lados, realmente não tendo ninguém além de si mesma em casa. Ashley caminhava até a cozinha, se aproximando de uma pequena adega, pegando uma garrafa de Champagne, abrindo a mesma e enchendo uma taça. - Good. Degustava um pouco, voltando para a sala ao escutar a campainha tocar. Ashley caminhava em direção a porta, depositando sua mão direita na fechadura, destrancando-a.
- Você? Se espantava, deixando a taça com Champagne cair no chão.
- Ashley. Jensen sorria para ela.

- O que você faz aqui, como você veio parar aqui? Dizia ainda assustada, exibindo olhos arregalados.
- Isso não importa, eu vim aqui porque eu Te Amo.
- Isso não está acontecendo. Se virava, começando a caminhar, sentindo uma leve tontura ao chegar perto do sofá, se encostando no mesmo.
- Você está bem? Corria até ela, a segurando.
- Se afaste de mim. O empurrava, olhando para ele. - Eu quero saber o que você faz aqui.
- Eu descobri que você tem outro, eu não vou perder você... Exibia um olhar esperançoso.
- Você não vai me perder, você já me perdeu. Dizia friamente.
- Isso não é verdade. Dizia com os olhos cheios de lágrimas.
- Claro que é, você duvidou de mim. Se alterava, aproximando-se dele. - Você me humilhou, disse coisas que até hoje me perseguem. Parava de frente para ele, olhando nos olhos verdes dele, aumentando seu tom de voz. - Você é um dos culpados por fazer minha vida ter mudado tanto em dentro de pouco tempo, então não venha dizer que me ama. Enxia os olhos de lágrimas.
- Eu sei que fui um estúpido, um idiota, principalmente porque eu sei de toda a verdade agora e isso é o que mais me machuca, não ter confiado em você. Deixava algumas lágrimas cair. - Mas eu Te Amo e isso nunca irá mudar, eu não posso arrancar esse sentimento de mim, se você soubesse o quão arrependido estou.
- E o que faz você pensar que eu vou te perdoar? Limpava uma lágrima que descia.
- O seu amor, porque eu sei que você sente o mesmo por mim. Elevava sua mão até o rosto dela, começando a acariciar.
- Eu não vou te perdoar, eu tenho uma nova vida, eu tenho um homem maravilhoso ao meu lado, eu já cometi o erro de te escolher uma vez, não vou cometê-lo novamente. Olhava para baixo, fechando seus olhos, sentindo as mãos de de Jensen passar por sua cintura, a aproximando-a ainda mais de si, dando para sentir o calor do corpo dele.
- Case-se comigo, eu lhe prometo que irei fazê-la feliz. Olhava nos olhos dela, aproximando seus lábios dos dela, podendo sentir a respiração de Ash.
- O que você disse? Retribuía o olhar, deixando se levar por ele.
- Case-se comigo. Dizia perto do ouvido dela, que virava um pouco sua cabeça, conseguindo olhar para ele, dando um leve sorriso, fazendo Jensen aproximar seus lábios dos dela, inciando um beijo, que começava lentamente...


Ash's Home


- Ooh. Ash acordava assustada em seu quarto, se virando para o lado, não vendo ninguém. - Foi um sonho. Abraçava um de seus travesseiros. - Porque isso fica rondando minha mente?
- O que fica rondando sua mente? Elle entrava no quarto da loira com uma bandeja de Café da Manhã.
- Nada. Se sentava.
- Ash, eu te conheço.
- Não é nada, sério. Sorria. - E você não precisava trazer café aqui, eu já ia descer.
- Só quis te mimar um pouquinho. Colocava a bandeja na cama, se sentando perto de Ash.
- Thanks. Olhava para ela. - E minha mãe, já acordou?
- Sim e já saiu.
- Onde ela foi? Retirava o Lacre do copo de Yorgut, começando a comê-lo.
- Foi fazer algumas compras.
- Humm, inveja me define nesse momento. Gargalhava.
- Ela só não te esperou porque sabe que você tem esse Brunch no seu curso...
- Ai, nem me fale. Se preocupava.
- Você está nervosa?
- Claro, alguns dos diretores das revistas mais conceituadas de moda estarão lá, sem mencionar os olheiros...
- Sobre o que é realmente esse Brunch?
- Concorrer a uma vaga de estágio?
- Uau, estágio para quais revistas?
- ELLE Magazine, Vanity Fear, V e Haper's Bazar.
- E todos estão concorrendo? O melhor, isso está acontecendo apenas no seu curso?
- Não, eles vão em outros lugares conceituados em Londres a procura do que interessar a eles.
- Humm, esse estágio vai servir para a faculdade também?
- Bom, isso eles não disseram.
- Te desejo sorte. Se levantava.
- Thanks. Sorria. - Ah, e seu curso de culinária, como vai?
- Vai muito bem, quem sabe eu não uso minha poupança para abrir uma Confeitaria.
- OMG. Sorria. - Eu ia adorar, tomara que dê tudo certo.
- Thanks Ash. Saía dali, deixando a mesma sozinha.

...


Universidade


- Daph. Nick atendia seu celular enquanto caminhava pelos corredores do Campus de East St. Louise.
- Nick, bom dia, como você está?
- Estou ótimo e você?
- Bem.
- Você está me ligando agora porque?
- Eu estava pensando em fazer algumas compras e como não quero ir sozinha, pensei em te chamar.
- Ok, eu te acompanho, assim eu aproveito para comprar algumas coisinhas. Entrava na recepção da sala do Reitor.
- Ótimo. Dizia animada. - Você quer que eu te pegue na sua casa...
- Eu não estou em casa. A interrompia, se sentando no sofá, esperando ser atendida.
- Onde você está?
- Na Universidade. Bufava.
- Fazendo o que? Dizia interessada.
- O Reitor me ligou ontem a tarde dizendo que tem sérios assuntos para tratar comigo.
- Ihhh, o que será que aconteceu?
- Espero que nada.
- Então acho melhor eu ir as compras sozinha...
- Não, que isso, aqui não deve demorar, assim que eu sair daqui, eu te ligo...
- Tudo bem então, boa sorte.
- Thanks. Encerrava a ligação e logo se levantava ao ver a porta da sala do Reitor se abrir. - Bri. Se surpreendia ao ver a amiga sair dali.



Look Bri - Look Nick


- Nick, o que você faz aqui? Bri se aproximava dela.
- Ia te fazer a mesma pergunta. Dizia ainda surpresa. - Mas respondendo sua pergunta, o Reitor me chamou aqui para conversar.
- Ihhh. Dizia pensativa.
- E você? O que faz aqui tão cedo?
- O Reitor também me chamou e você não vai acreditar. Sorria.
- O que aconteceu? Dizia animada.
- Eu ganhei uma bolsa de estudos pelo tempo que trabalhei de graça na biblioteca. Dava pulinhos.
- OMG, Bri, parabéns. A abraçava. - Mas você não precisa de bolsa...
- Foi o que eu disse ao Reitor Josh, mas ele insistiu, então, não vou reclamar. Gargalhava.
- Ai, que bom, você merece essa bolsa, foi obrigada a trabalhar na biblioteca voluntariamente para passar uma boa imagem por ter sido acusada da morte da Mãe da Lav.
- Ai nem me fale o nome desse ser. Bufava.
- Tudo bem, não está mais aqui quem falou. Reparava no cabelo de Bri. - Adorei o novo corte. Sorria.
- Oh, você fala da franja? Sorria.
- Yeah, ficou linda.
- Thanks, mas essa franja aqui é falsa, daquelas que você prende com tic-tac. Gargalhava.
- OMG, está parecendo seu cabelo natural. Se surpreendia.
- Ela é feita de cabelo natural, por isso é tão natural. Sorria.
- E porque colocar uma franja falsa ao invés de cortar?
- Primeiro, minha franja está mais curta, mas não tão curta, segundo que eu não sabia se iria ficar bom e por último, franja curta dá muito trabalho.
- Humm, de qualquer maneira, eu amei. Via o Reitor fazer sinal para entrar.
- Thanks. Sorria.
-  Bom, preciso entrar.
- Quer que eu te espere?
- Claro.
- Ok, você já sabe onde eu estarei. Saía dali. - Bye.

...

- Finalmente alguém dá sinal de vida nessa casa. Misha zombava enquanto tomava café.
- Você que fez o Café? Jensen se sentava de frente para ele na mesa.
- Yeah e o resto eu resolvi levantar mais cedo e ir na padaria. Partia um pedaço de bolo em seu prato, levando-o até a boca.
- Humm, até que deixar você morar aqui não foi uma má ideia. Sorria, colocando suco de laranja no copo.
- Falando nisso, assim que eu começar a ter um bom retorno, eu me mudo daqui...
- Que isso Misha. Pegava um croissant de queijo. - Não se preocupe com isso, fique o tempo que precisar, você é bem vindo aqui.
- Thanks. Sorria. - Mas já que é assim, eu quero contribuir com as despesas enquanto estiver aqui.
- Tudo bem. Tomava um pouco do suco. - Depois agente acerta isso.
- Bom dia. Jared se aproximava.


J's Home - Look Jensen - Look Misha - Look Jared


- Bom Dia. Misha sorria, vendo o mesmo se sentar a seu lado.
- Há quanto tempo não vejo essa mesa tão cheia. Jared olhava para o lado do bolo de chocolate feito uma criança.
- Bom, como agora eu trabalho e o dinheiro já está começando a aparecer, nada mais justo que eu retribuir a hospitalidade de vocês.
- Que isso, não foi incomodo algum te ajudar. Jared partia um pedaço do bolo, colocando-o no prato.
- Isso mesmo Misha. Jensen dizia ironicamente. - Porque ao contrário de certas pessoas, você é um homem honrado, verdadeiro que jamais seria capaz de trair a confiança de alguém.
- Thanks, eu acho. Dizia, percebendo o clima ficar um pouco tenso.
- Eu  também te admiro Misha. Jared olhava cinicamente para Jensen. - Porque você não é do tipo que destrata as pessoas e muito menos mulheres. Jared se referia a Ash.
- Ooh, God. Misha olhava para baixo, temendo uma briga começar.
- O que você quis insinuar com isso seu projeto de homem? Jensen dava um sorriso de lado.
- Que engraçado. Jared cutucava Misha. - Agora ele fala comigo.
- Gente, por favor, vamos manter a calma. Misha dizia sem graça.
- Eu estou calmo, apenas quero que essa pessoa ao seu lado tenha a coragem de dizer o que está insinuando. Jensen mantinha a calma.
- O que? Que você foi um covarde? um idiota? Jared debochava.
- Eu? Covarde e Idiota? Se levantava. - Bem, não foi eu quem ficou com a mulher que o melhor amigo ama, não foi eu o covarde por omitir isso, não foi eu que menti. Jensen aumentava um pouco seu tom de voz.
- Não foi eu que por puro orgulho a perdeu.
- Quer saber Jared, nessa historia toda, o maior culpado é você, eu não estou diminuindo minha culpa, porque eu sei o que fiz, mas o que você fez, foi indigno. Olhava para ele. - Até a Nick te evita, ou melhor, nem a Nick te rejeita.

...

- Uau, você está linda. Matt entrava no quarto de Ash, vendo a mesma se olhar no espelho do closet.
- Thanks. O olhava pelo reflexo do espelho. - Você acha que eu estou simples ou exagerada?
- Você está perfeita. Se aproximava dela por trás, abraçando-a, dando leves beijos no pescoço da loira.
- Se você soubesse como é bom te ver de manhã. Se virava para ele, olhando-o nos olhos.
- E se você soubesse como é bom escutar isso. A puxava para si, iniciando um beijo. - Agora sim. Olhava para ela. - Bom  dia. Sorria.
- Bom dia. Dizia docemente.


Look Ash -  Look Matt


- Ah, minha Mãe mandou eu te desejar boa sorte.
- Com certeza eu irei precisar de toda sorte do mundo. Ash dizia um pouco nervosa.
- Tenho certeza que tudo vai dar certo. Sorria para ela. - Você sabe como vai ser essa 'seleção'?
- Tipo, nesse Brunch estará pessoas nos observando, olhando nossa desenvoltura, eles vão conversar com agente de maneira informal depois vão fazer uma pergunta a cada um e no fim, eles vão escolher algumas pessoas pelo conjunto da Obra. Pegava uma bolsa em cima de uma das bancadas de seu Closet.
- Bom, tenho certeza que você será a escolhida. Sorria para ela.
- Queria ter esse mesmo otimismo. Passava por ele, caminhando até sua penteadeira, pegando alguns cosméticos, guardando-os na bolsa.
- Ash, você é linda, inteligente, esperta, espontânea, tem uma boa energia, tem uma ótima dicção para falar, você não precisa se preocupar, apenas seja você mesma e será impossível não conseguir o que quer.
- Você é o melhor namorado do mundo. Se aproximava dele sorrindo, iniciando um beijo.
- Será então que esse namorado pode te levar até onde acontecerá o Brunch?
- Claro que pode. Sorria perfeitamente para ele.
- Oh, eu queria saber o que fiz para merecer alguém feito você. Acariciava a face dela. - Ver esse sorriso em sua face me faz tão bem, é como se nada mais importasse, a não ser te ver feliz.
- Matt, sou eu quem tem que agradecer por você ter entrado na minha vida, e eu falo sério, você faz eu me sentir tão especial.
- É porque você é especial.
- Obrigada, por tudo. O abraçava. - Agora acho melhor irmos porque se não eu irei começar a chorar e isso resultará na minha make borrada o que irá fazer eu me atrasar.
- Ok Senhorita Baltmoore. Dava o braço para ela. - Vamos então. Saíam dali juntos, dando de cara com Lilly subindo as escadas.
- Matt, bom dia. Sorria para ele.
- Bom dia Lilly.
- Ash, já está indo?
- Yeah, me deseje sorte. Parava de frente para ela.
- Boa sorte querida, eu sei que você vai conseguir. Dava um beijo na bochecha da filha.
- Thanks, qualquer coisa, eu ligo.
- Tudo bem, até mais tarde. Seguia direto para seu quarto.
- Até. Terminava de descer a escada junto de Matt, saindo dali.

...


Reitor Josh. Nick entrava na sala dele. - Bom dia. Dava um leve sorriso.

- Bom dia Nickole. Sorria para ela. - Sente-se por favor. Apontava uma cadeira de frente para sua mesa.
- Ok. Se sentava, colocando a bolsa em seu colo.
- Como está indo suas férias?
- Ótimas, pena que já estão quase no fim... Sorria.
- Que bom.
- Mas creio que o Senhor não me chamou aqui para perguntar como estão indo minhas férias...
- Exato.
- Ok, então qual o motivo da minha vinda aqui? Colocava todo o cabelo de lado.
- Então, você está ciente de que seu rendimento nesse último semestre caiu drasticamente...
- Caiu mais minhas notas continuam dentro da média. Bufava.
- Engano seu.
- What? Olhava assustada para ele.
- Nesse último semestre suas provas foram terríveis...
- Isso é mentira, as notas delas estavam acima da média. O interrompia.
- Porque alguns professores ficaram com pena e aumentaram um pouco sua nota para ficar na média...
- Porque eles fizeram isso? Dizia descrente.
- Primeiro porque eles sabiam que você estava passando por alguns problemas pessoais e segundo porque você sempre foi uma aluna exemplar, aplicada, esperta, com notas altíssimas.
- OMG. Olhava para o Reitor, um pouco desapontada.
- Tudo bem Nickole, não precisa ficar assim.
- Acho melhor eu ir. Se levantava.
- Pode continuar sentada que eu ainda não terminei a conversa. Dizia calmamente.
- Ok, o que o Senhor quer?
- Simples, eu sempre acreditei que pessoas merecem ser ajudadas quando precisam e principalmente, merecem uma segunda chance...
- E o que isso quer dizer?
- Bom, dias atrás eu me reuni com alguns de seus professores para vermos o que fazer com você.
- E o que vocês decidiram?
- Todos concordaram que você tem potencial, é inteligente, dedicada. Olhava para ela. - Mas não seria justo com os outros alunos apenas suas notas terem sido aumentadas.
- O que o vou ter que fazer? Dizia receosa.
- Se você estiver de acordo, nós estamos indicando você para fazer um estágio voluntário no hospital por durante seis meses.
- Ok, mas porque voluntário? Estranhava.
- Porque ainda não é a época do estágio da sua turma começar, você vai fazer isso não como punição, mas como uma forma de estimulá-la, porque no hospital será um aprendizado constante...
- Ok, eu aceito então. Sorria.
- Good, só para constar, durante esses seis meses, você não será remunerada, mas depois desses Seis meses, que será a época que a sua turma começará  a estagiar, você irá passar a receber um salário mensal...
- Tudo bem, eu aceito o estágio e obrigada por me ajudar. Se levantava, apertando a mão do Reitor.
- Por nada, agora por favor, não deixe seu rendimento cair, pense que suas notas são a porta de entrada para qualquer trabalho que você quiser arrumar depois de formada.
- Tudo bem Reitor Josh. Sorria. - E quando eu começo no estágio?
- Daqui há uma semana, eu vou te mandar todas as instruções por email. A via se distanciar.
- Mais uma vez, obrigada. Saía dali aliviada.

...




- Guys, por favor, está cedo ainda para brigar. Misha tentava acalmar os ânimos na sala de refeições.
- Tudo bem, a Nick pode não me querer, mas pelo menos ela não fugiu de mim. Jared também se levantava da mesa, aumentando seu tom de voz. - Já a Ash, ela sumiu, se foi, ela também não te quis. Sorria.
- Oh God, parecem duas garotas fúteis brigando por quem roubou meu Gloss. Misha dizia naturalmente enquanto dava uma boa golada em seu café.
- Shut Up. Jensen e Jared o repreendia.
- Ok, não está mais aqui quem falou. Olhava para o lado, tentando não rir.
- Sabe o que é o pior de tudo, você a beijou, conversou comigo, teve a oportunidade de me contar, mas preferiu me enganar, preferiu deixar eu saber por outra pessoa, se você tivesse me dito a verdade, eu nunca teria duvidado da Ash.
- Eu já lhe pedi desculpas e não jogue toda a culpa em cima de mim, foi você quem não confiou nela, o tempo todo ela te disse a verdade. Dizia alterado.
- Dude, qual o problema com você? Eu me senti usado e enganado, você sabe que minha relação com a Ash foi sempre cheia de idas e vindas, segredos, mistérios. Olhava descrente para ele. - Você queria que eu chegasse perto da Ash e dissesse: " Hey, não se preocupe, está tudo bem você ter beijado meu melhor amigo".
- O seu problema é a falta de confiança, ela sempre foi sincera, ela nunca mentiu para você. Dizia com um certo tom de arrependimento.
- Você está insinuando que eu sou inseguro? Levantava sua sobrancelha esquerda.
- Não, é que você é cético e prefere acreditar naquilo que parece fazer mais sentido.
- Ok Ladies. Misha se levantava. - Se vocês me dão licença, eu vou ir trabalhar, tenho que mostrar uma casa a uma  cliente especial e pelo visto, essa briguinha de vocês ainda vai continuar. Saía dali, caminhando até a porta da sala.
- Quer saber, eu não vou continuar brigando. Jensen também se levantava.
- Aleluia, ainda bem que o furacão Ash não vai fazer mais estragos. Misha batia a porta.
- Ooh. Jensen dizia ao esbarrar na ponta da mesa, deixando a maleta de Jared cair no chão.
- Hey Dude, meus equipamentos. Se levantava da cadeira, pegando algumas coisas que saíra de dentro da maleta. - Great. Via algumas coisas quebradas.
- Não se preocupe com isso, olhe o lado bom, você terá que comprar equipamento novos. Jensen sorria cinicamente.
- Você fez isso de propósito? Se levantava.
- O que você acha? Sorria.
- Idiota, você pensa que é o fodão, mas olhando bem, você não passa de um perdedor.
- Cala a boca. Jensen aumentava o tom de voz, ficando de frente para Jay.
- Não, não calo, você não passa de um perdedor que não consegue ao menos segurar a mulher que ama.
- Eu já mandei você calar a boca. Jensen dizia dando um soco em Jared.
- Isso está fazendo você se sentir mais homem? Hein? Elevava sua mão até onde o soco foi dado.
- Vai pro inferno Jared. Jensen dizia saindo dali.
- É, desejo o mesmo. Jared dizia indo para seu quarto

...



- Do jeito que eu gosto. Bri se sentava na arquibancada do Campo da universidade, vendo alguns jogadores de Rugby se aquecerem. - Ai, multiplica Senhor. Se abanava, olhando eles.
- Me sinto no paraíso. Percebia alguns jogadores olhando para si e logo cruzava as pernas de maneira provocante.
- Hey Bri. Um dos jogadores se aproximava dela, sem camisa diga-se de passagem.

- Hi. Enrolava uma mecha de cabelo.
- Darrell, me chamo Darrell. Sorria para ela, se sentando ao seu lado.
- Com esse corpo e rosto você poderia ter qualquer nome e ainda sim continuaria gostoso. Pensava.
- De onde você conhece meu nome? Bri sorria para ele.
- Da biblioteca e da sua fama de... Cochichava no ouvido dela, fazendo a mesma gargalhar.
- Não sabia que tinha fama de Deusa dos Jogadores de Rugby. Continuava gargalhando. - Também, já fiz o teste drive em todos os jogadores interessantes daqui. Pensava. - Você é novo por aqui?
- Yeah, me mudei para cá nas últimas semanas de aula. Olhava para ela, que descruzava as pernas. - Você ainda trabalha na biblioteca?
- Não mais.
- Porque?
- Porque agora eu sou uma estudante. Sorria.
- Que legal, seria uma pena se você se mudasse daqui. Olhava para o farto e generoso decote dela.
- Aww, que fofo. Jogava o cabelo para trás.
- Então, eu estava pensando se você não gostaria de sair comigo, talvez um cinema, jantar.  Olhava nos olhos dela.
- Eu não posso. Se levantava dando  um sorrisinho.
- Não pode ou não quer? Se levantava também.
- Na verdade, não posso mesmo, eu tenho um namorado, sorry. Se virava, torcendo sem querer o pé.
- Te peguei. Darrell a segurava por trás, encostando seu peitoral nas costas dela.
- Oh My Gooood. Bri sentia uma leve tontura, não pelo quase tombo, mas sim por sentir as fortes mãos de Darrel segurando seus braços, por sentir o forte peitoral dele e principalmente por sua mão sem querer ter parado em certas partes, dando para sentir o órgão mesmo por cima do Shorts dele. - Sorry. Se virava para ele. - Acho melhor eu ir, antes que eu faça qualquer idiotice. Bri saía dali atordoada, encontrando Nick mais a frente.
- Você e aquele cara estavam se beijando? Nick parava de frente para Bri.
- Não, Deus sabe como estou totalmente inocente nessa historia.
- Então porque essa cara de quem aprontou.
- Porque eu quase aprontei e foi por pouco que eu não arrastei ele para um canto e... Olhava para o lado. - Ai, ele é tão Hot, musculoso, aquela tatuagem no peitoral dele, ai alguém me abana.
- Bri, e o Misha? Saíam andando lentamente.
- Se eu não fiz nada foi justamente em respeito dele. Olhava para trás, vendo Darrell sorrir para sua pessoa.
- Mas o que aconteceu de verdade?
- Nada, mas acho que era da vontade de Deus porque eu tropecei e ele me segurou naqueles braços fortes, e sem querer minha Mão foi parar no meio das pernas dele, ai. Se abanava. - Que saúde.
- É impressionante, o tempo passa e você continua a mesma tarada de sempre. Gargalhava.
- Continua a mesma nada, porque a Bri de antes iria fazer o Darrell de brinquedo sexual. Gargalhava.
- Imagino. Olhava para ela.
- Ok, mudando de assunto, o que nós vamos fazer?
- A Daph me ligou e nós combinamos de fazer algumas comprinhas, está afim de vir?
- Claro, onde vamos encontrar ela?
- No Grill.
- Ok, então vamos para lá. Saíam dali.

...


- Chegamos. Matt estacionava seu carro em frente a Central Saint Martins. - Você quer minha companhia ai dentro?
- Eu iria adorar, mas acho melhor não. Olhava para ele.
- É, você tem razão, ainda mais por ter editores de revistas que adorariam começar com os boatos de nós dois...
- Exato. Sorria para ele. - Por favor, não fique bravo comigo...
- Ash, não precisa se desculpar, está tudo bem, nós só vamos assumir algo publicamente quando você estiver se sentindo pronta.
- Thanks por ser tão compreensível. Dava um selinho nele. - Me deseje sorte.
- Boa sorte e vai dar tudo certo. A via sair do carro . - Assim que terminar, me ligue que eu venho te buscar.
- Você não iria jogar Polo? Olhava para ele.
- Eu vou, mas eu sempre tenho tempo para você. Sorria.
- Ok, então até depois. Saía dali, entrando rapidamente no estabelecimento onde o Brunch acontecia.
- Ash. Hannah acenava para ela.
- Você veio. Sorria, se aproximando da amiga.
- Claro que eu vim, amigos devem sempre estar ao lado apoiando. Saíam caminhando até ao salão, começando a descer a escada.
- Você está nervosa? Via algumas pessoas olharem para elas.
- Eu estava, quer dizer, ainda estou um pouco, mas o Matt me tranquilizou bastante.
- Falando nele, Ash você fisgou um dos melhores partidos dessa cidade, queria ter essa sorte sua.
- É, o Matt é uma joia rara. Sorria.
- Raríssima, ele é muito educado, na Universidade mesmo, uma vez eu esbarrei nele e o mesmo me pediu desculpas.
- Eu acho lindo isso nele, essa coisa de não se sentir superior as pessoas.
- Né. Terminavam de descer a escada. - Você já pensou quando irá tornar esse namoro público? Digo, acho que vai ser impossível esconder para sempre.
- Bom, os pais dele estão comprando todas as fotos que alguns paparazzis conseguem tirar, e eu sei que não se pode esconder isso para sempre, mas na hora certa tudo vai acontecer.
- Saiba que estou na torcida.
- Thanks. Via uma de suas professoras se aproximar.  - Miss Agnes. Ash sorria para ela.
- Ashley, que bom que você chegou.
- Desculpe pela demora, mas o trânsito não estava muito favorável.
- Tudo bem, eu estava conversando com a Editora Chefe da Vanity Fair e ela se interessou em você.
- Really? Ash sorria.
- Sim, eu mostrei alguns de seu trabalhos, ideias, textos e ela gostou bastante do que viu.
- E onde ela está?
- Aqui. A chamava por trás, fazendo Ash se virar, exibindo um belo sorriso.

Elizabeth Carter


- OMG. Dizia surpresa. - É um prazer conhecer a Senhora, Elizabeth Carter.
- O prazer é todo meu Ashley. Apertava a mão dela. - Fico feliz ao ver gente jovem feito você com trabalhos excelentes, notas, idéias e principalmente, de tamanha beleza.
- Thank You, a Senhora também é extremamente linda.
- Obrigada. Sorria, olhando para Hannah. - E você? Quem é?
- Ela é minha amiga, também estuda jornalismo, só que quer seguir em outro ramo.
- Humm, entendi.
- Ashley. Agnes a chamava. - Um dos seguranças me ligou e disse que seu namorado está te esperando no corredor porque você esqueceu sua bolsa no carro.
- OMG. Sorria sem graça. - Nem havia percebido isso, posso ir pegar? Olhava para Elizabeth.
- Claro. Dava passagem para ela, que saía rapidamente dali.
- Se vocês me dão licença também, eu vou dar uma olhava em volta. Hannah saía dali.
- Tudo bem querida, qualquer coisa, pode me chamar. Agness olhava para ela, que agradecia.
- Preciso atender. Elizabeth escutava seu celular tocar e saía dali para atender.


- Matt, obrigada por trazer minha bolsa. Ash se aproximava de, no corredor, perto da escada.
- Por nada, por sorte não estava muito longe. Entregava a bolsa para ela.
- Eu a deixei no banco da frente? Sorria.
- Yeah, vi ela por acaso. Sorria também. - E como está indo o Brunch?
- Você acredita que a Editora Chefe da Vanity Fair estava conversando comigo? Dizia entusiasmada.
- Uau, fico feliz que tudo esteja dando certo.
- Tomara que eu consiga.
- Você vai conseguir. A puxava para si, olhando-a nos olhos. - Para dar sorte. Iniciava um beijo, que Ash correspondia.

- Então os boatos que andam correndo dentro da revista são reais. Elizabeth parava de conversar no celular, flagrando um pouco de longe o beijo de Ash e Matt, reconhecendo o mesmo. - Ashley, Ashley, Ashley, ter você na revista, vai ser ótimo. Sorria de lado, olhando os dois se beijarem.

....

- Achei que estava atrasado, mas pelo visto o cliente ainda não chegou. Misha estacionava seu carro em frente a uma das casas de sua Imobiliária.
- Achou que eu ainda não tinha chegado, Baby? Gert, a velha safada parava em frente ao carro, fazendo Misha se assustar, não só por ela aparecer do nada, mas sim pela Roupa que a Velha trajava.

Look Gert - Casa



- Você é o cliente? Misha saía do carro.
- Espero não sofrer nenhum tipo de descriminação. Se fazia de ofendida.
- Claro que não. Dizia sem graça.
- Qu bom, porque eu odiaria denunciar certos tipos de abuso.
- Tudo bem Senhora, vamos entrar? Caminhava até a casa, abrindo a porta.
- Não precisa pedir duas vezes meu gostosão. Saía correndo atrás do mesmo. - Sabe meu gostoso, te achava tão sexy como Padre, mas te vendo assim de terno, sinto meus ovários explodindo de tanto calor e fogo. Entrava na casa, atrás de Misha.
- Por favor Senhora, vamos manter esse encontro apenas no lado profissional. Se virava para ela, dizendo um pouco incomodado.
- Tudo bem Senhor Corretor gostoso. Dava um olhada na sala. - Adorei a sala, a achei aconchegante, espaçosa, bem mobilhada, só mudaria as cores da parede para vermelho sangue, a cor da paixão. Mordia na ponta do dedo.
- Bom, como a Senhora pode perceber...
- Por favor. Se aproximava dele,  ficando de frente para ele. - Sem Senhora, porque eu não me considero uma. Depositava seu dedo nos lábios dele.
- Tudo bem Gert. Se afastava. - Como você pode ver, é uma sala ampla, moderna, paredes cobertas por gesso, uma lareira onde se pode criar um clima bem intimista e esse lustre é de Cristal puro, o que particularmente dá um toque especial...
- Quer saber Misha, cansei desses joguinhos. Gert abaixava sua saía, ficando apernas de Corset, Botas e calcinha.
- Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh. Misha gritava espantado ao ver a cena.
- Eu sei que você está gritando de tesão, hoje nós vamos fazer sexo bem selvagem, no chão. Se aproximava dele, passando a língua pelos lábios.
- Não se aproxime mais sua velha maluca. Misha dava a volta atrás do sofá.
- Meu gostoso, eu sei que você me quer. Ela dizia lambendo o próprio dedo.
- Não, não me entenda mal, eu só estou aqui para vender, ou mostrar essa casa para a Senhora.
- Não depois disso. Gert subia em cima da mesinha de centro, começando a dançar sensualmente, insinuando que iria tirar a calcinha.
- Oh God !!!! Misha tampava os olhos.
- Tudo bem meu lindo, pode olhar. Gert estava apenas com um espartilho e botas.
- Ohhh, My, God. Olhava assustado. - Eu, vou, embora...
- Não vai não. Gert descia da mesa correndo, pegando a chave na porta, guardando-a entre seus seios, que estavam levantados por conta do espartilho.
- A Senhora é maluca... Misha dizia subindo as escadas.
- De amor por você, volta aqui !!! Ela corria com dificuldade atrás dele,o espartilho estava muito apertado.
- O que anda acontecendo com essas velhas? Meu Deus. Misha dizia entrando em um quarto qualquer, se aproximando da janela, conseguindo abri-la.
- Não faça isso Baby gostoso. Geart chegava no quarto, vendo Misha sentado na janela. - Você pode quebrar a perna. Dizia preocupada.
- Qualquer perna quebrada é melhor do ver essa cena deplorável. Misha pulava rapidamente a janela.
- Voltaaaaaaaaaaa !!! Gert o gritava na janela. - Eu vou ficar aqui nua, te esperando em cima da cama, porque eu sei que você  vai voltar, ninguém resiste a mim.

...


- Ainda bem que você me levou em casa para eu deixar meu carro. Nick dizia enquanto descia do carro de Bri, estacionado na praça, perto do Grill.
- Seria idiotice chegarmos cada uma em um carro. Fechava a porta de seu lado, ativando o alarme. - Será que a Daphne está ai?
- Sim, eu mandei uma mensagem para ela. Atravessavam a rua lentamente.
- Acho engraçado, vocês se tornaram 'amigas' tão rápido...
- Ela é legal. Olhava para Bri. - Você não gosta dela?
- Não é isso, é que... Dizia pensativa. - Deixa pra lá. Se aproximavam do Grill.
- Ok. Nick abria a porta do estabelecimento, avistando Daph sentada em uma mesa perto da entrada.


Grill - Look Daph


- Nick, Hi. Daph sorria para ela.
- Hi. Se sentava de frente para a mesma.
- Brittany. Daph a cumprimentava.
- Hello. Se sentava ao lado de Daph e Nick. - E se você quiser, pode me chamar de Bri, prefiro assim.
- Ok Bri. Sorria. - Espero que não se importem. Daph apontava algumas 'bobeirinhas' em cima da mesa. - Mas eu sai de casa apressada e acabei não comendo nada, se vocês quiserem dividir...
- Aproveite seu lanche. Bri se levantava. - Eu vou pegar sorvete. Sorria. - Você aceita Nick?
- Não, mas bom apetite. Dizia sem graça
- Ok então. Saía rapidamente dali.
- Mudando de assunto. Daph dizia ao tomar um pouco de suco. - O que o Reitor queria com você?
- Nada demais, apenas chamar minha atenção e avisar que eu vou estagiar a partir de semana que vem no hospital da cidade.
- Isso é bom. Daph dizia entusiasmada.
- De certa forma, sim. Olhava para o lado.
- OMG. Daph dizia ao morder em um Muffin. - Isso aqui está ótimo, você precisa experimentar. Oferecia para ela.
- Thanks, mas não estou com fome. Forçava um sorriso.
- Nick, um pedaço não faz mal a ninguém. Sorria. - Além do mais, um doce sempre deixa nosso dia mais alegre.
- Fine. Pegava um Muffin na caixinha em cima da mesa, elevando o bolinho até a boca, dando uma leve mordida. - Você tem razão, está ótimo. Dava outra mordida, dessa vez uma mordida bem generosa.
- Doces são meu prazer culposo. Gargalhava.
- Posso pegar mais um? Dizia ao terminar de comer o Muffin.
- Claro. Sorria
- Thanks. O devorava rapidamente.
- O único problema desse Muffins é que são muito calóricos. Olhava para Nick.
- Você tem razão. Se levantava assustada. - Preciso ir ao banheiro, avise a Bri que já volto.
- Ok. Sorria ao vê-la se distanciar.
- Porque a Nick foi para o banheiro naquela pressa? Bri voltava com um Sundae nas mãos, se sentando ao lado de Daph.
- Acho que ela estava apertada para fazer o número um.
- Humm. Dizia pensativa. - Mudando de assunto, você já sabe onde quer ir fazer compras?
- No Shopping, acho que lá deve ser mais movimentado.
- Boa escolha, além de movimentado, temos mais opções. Sorria. - Posso te fazer uma pergunta?
- Faça.
- Você já foi entrevistada pelo Reitor? Já conhece a faculdade daqui já que irá dar aulas?
- Sim, eu tive que fazer uma entrevista antes de conseguir o trabalho e dias atrás eu fui conhecer o Campus...
- E gostou?
- Adorei, achei um lugar lindo e acolhedor. Limpava seus lábios no guardanapo. - Agora minha vez de perguntar.
- Ok, o que você quer saber?
- Quem é aquele cara que é amigo seu e também professor?
- Você deve estar falando do Jensen? Deduzia.
- Exato.
- Bom, vou encurtar assunto, acho melhor você ficar longe dele, Jensen tem olhos apenas para uma mulher, acredite, você não vai conseguir nada dali.
- Ele tem namorada? Dizia interessada.
- Não mas... Dizia pensativa. - Olha, isso é assunto pessoal dele e eu não vou ficar aqui contando. Se levantava ao ver Nick se aproximar.
- Ok. Daph se levantava também.
- Está tudo bem? Bri olhava para Nick.
- Claro, está tudo ótimo.
- Podemos ir então? Daph olhava para Nick.
- Claro, vamos aproveitar ao máximo esse dia. Saíam caminhando dali.

....

- Matt. Ash se afastava dele. - Preciso voltar para o salão.
- É melhor ir agora, porque eu posso não deixar você voltar. Dava um selinho nela.
- Bobo. Sorria. - E obrigada por trazer a bolsa. Retribuía o selinho. - Ok, agora é melhor você também ir antes que fique sem ir no seu treino de Polo.
- Na verdade, já me atrasei, vou ficar te esperando no estacionamento, tudo bem?
- Fine, acho que aqui não deve demorar muito. Se distanciava.
- Boa Sorte e Até depois.
- Thanks e Bye. Dava tchauzinho e logo se virava, aproximando-se do salão, começando a descer a escadaria rapidamente, caminhando até Elizabeth.
- Desculpe pela demora. Ash sorria.
- Tudo bem, porque isso me deu tempo para pensar e eu quero você estagiando para mim.
- OMG. Dizia surpresa, começando a dar pulinhos. - Thanks Senhora Elizabeth.
- Por favor, sem Senhora, me sinto tão velha.
- Tudo bem Elizabeth, quando eu começo?
- Semana que vem está bom para você?
- Claro. Sorria.
- Gostou da surpresa Ashley? Agnes dizia alegremente.
- Claro, não poderia estar mais feliz.
- Bom, só esclarecendo, esse estágio que você irá fazer, não é para o curso e sim para a faculdade.
- Como? Dizia um pouco confusa.
- Eu vejo potencial em você e como eu estava olhando seu histórico, assim que suas aulas na faculdade voltarem, você irá ter que começar a estagiar então, melhor garantir você agora, porque eu tenho certeza que depois, muitas revistas vão estar de olho em você.
- Uau, nem sei o que dizer. Ash sorria. - Obrigada pela confiança.
- Não tem o que agradecer, eu vejo um futuro brilhante para você. Elizabeth sorria.
- Thanks. Ash dizia animada. - Só uma dúvida, para concluir esse curso eu não preciso do estágio?
- Não necessariamente, esses estágios são apenas para alunos que nós escolhemos, ou que se destacam.
- Ooh, não sabia disso. Ash sorria.
- Somos obrigados a fazer isso, muitos estudam aqui, mas pouco tem aquele algo a mais. Agnes olhava para Ash.
- É, pensando por esse lado. Dizia pensativa. - Elizabeth, esse estágio vai funcionar como?
- Eu vou pegar depois seus dados com a Agnes e dentro de alguns dias lhe enviarei um email com o que você precisa saber.
- Ok, então eu posso ir embora?
- Claro, mas você não prefere aproveitar o Brunch?
- Meu namorado está me esperando no estacionamento, prefiro ir.
- Porque você não o chama para entrar. Agnes se intrometia.
- Ele é um pouco tímido. Sorria um pouco sem graça. - Bom, até amanhã Miss Agnes.
- Até Ashley. Sorria.
- Obrigada pela chance Elizabeth, tenha um bom dia.
- Por nada Ashley. Sorria. - Ah, como chama seu namorado? Ele deve ser um homem de sorte.
- Ele se chama Matthe... Pensava. - Ele se chama Matt. Sorria.
- Belo nome. Dizia pensativa, tendo a confirmação do que viu mais cedo. - Bom, vou deixá-la ir, não quero ser responsável por fazer seu namorado a ficar esperando.
- Thanks. Se virava e logo escutava o Bip de seu celular. - Hannah. Via o nome dela no visor. - "Estou conversando com um editor de jornal, pode ir sem mim, Beijos Hannah". - Ok, boa sorte então. Mandava a mensagem e saía rapidamente dali.


...



Look Lav

- Está olhando o que infeliz? Lav se virava para um policial qualquer que a olhava, enquanto a mesma se olhava no espelho em cima de uma pequena comoda.
- Nada. Parava de olhar para Lav.
- Humm. Dizia pensativa. - Onde está o Rob?
- Na sala do Xerife conversando com o mesmo.
- Falando sobre minha pessoa? Gargalhava.
- Miss Vanderbill, a Senhora pensa que todos os problemas dessa cidade se resume apenas em você?
- Basicamente, sim. Dizia cinicamente. - Pode até perceber que não se acha mais corpos abandonados em lugares públicos.
- Uau, aposto meu salário do ano todo que a causa do aquecimento global é esse seu enorme ego.
- Não aposte essa merda que você chama de salário, vai acabar debaixo da ponte. Gargalhava.
- Você acha que a sua fortuna a torna melhor, mais digna do que os outros?
- Sim, principalmente de dejetos de aborto feito você. Sorria cinicamente.
- Algum problema? Rob chegava, percebendo que o policial ali presente não estava em um momento muito feliz.

- Aleluia, ela é toda sua. O policial se afastava. - Você vai para o céu por aguentar essa peste.
- Lav, o que você fez? Rob olhava para ela.
- Não fiz nada, na verdade eu até estava de bom humor. Gargalhava. - Mudando de assunto, o que você fazia na sala do Patrick? Se aproximava da porta, ficando de frente para ele.
- Seu julgamento foi marcado.
- Hell. Chutava a porta. - Para quando?
- Um Mês e meio. Olhava para os lados, não vendo ninguém perto. - Dessa vez seu advogado não pode fazer nada. Destrancava a porta, entrando na cela da vadia.
- Advogado incompetente. Se aproximava da cama, sentado na beirada, cruzando as pernas.
- Olha, seu advogado fez um ótimo trabalho, ele conseguiu atrasar tudo o máximo possível, principalmente diante das provas contra você.
- E porque aquele infeliz não veio aqui me avisar? Olhava para ele.
- Ele vai vir mais tarde com mais tempo, vocês precisam começar a trabalhar a defesa de vocês. Se sentava ao lado dela.
- Hummm. Dizia pensativa.
- Eu não queria ver você indo para um presídio, uma mulher com tamanha beleza não merece passar o resto de seus dias em um lugar sujo feito um presídio. Olhava para ela.
- Rob. Olhava pensativa para ele. - O que você seria capaz de fazer por mim?
- O que você tem em mente? Sorria de lado.
- Na hora certa você saberá. Gargalhava . - Posso contar com você?
- Eu já arrisquei tudo que conquistei me envolvendo com você, resta alguma duvida de que você pode confiar em mim? Olhava nos olhos dela.
- Querido, então se prepare. Gargalhava maleficamente.
Share this article :

1 comentários:

  1. OMG, gente que cap perfeito.

    O sonho da Ash no início, puro luxo, o look, o vestido a cena, parecia cena desses filmes ultra glamourosos. Amei, amei.

    Tbm amei o cabelo da Bri, pena que a franja é falsa. kkkkkkkkkkk
    Esperta, franja curta é horrível de cuidar mesmo.

    Jensen e Jared brigando, Oh Deus.

    Ihhh Nick, fudeu. kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Ela achando que estava por cima da carne seca, doce ilusão, ainda bem que o Reitor vai ajudar.
    Gente e que contraste nos looks da Nick haha

    Ash e Matt são fofos juntos.

    Que bom que a Ash conseguiu o estágio, mas acho que a Elizabeth está interessada no que a fama de condessa da Ash ( se é que isso vai acontecer) possa trazer.

    Não tenho uma opinião sobre a Daph, ela é bem misteriosa e dá para perceber que o santo da Bri não bate com o dela.
    Nick foi no banheiro vomitar? Gente, ela está bulímica, coitada.

    Misha e Gert, morrendo aqui. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Nem na cadeia Lav sossega o rabo. kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Humilhando até os carcereiros e de quebra ainda com o gostoso do Rob, Deus, que mundo injusto. kkkkkkkkk

    Amei o capítulo, ansiosa aqui por mais, adorei as músicas e os Looks, todos perfeitos.

    ResponderExcluir

 
Support : Your Link | Your Link | Your Link
Copyright © 2013. Supernatural Family | Here's Your Family. - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger